Causas da insônia: veja 10 fatores que podem levar ao problema

12 de abril de 2018

|

POR Bruno Botelho dos Santos

As causas da insônia formam uma lista bastante extensa de possibilidades, que vão desde alterações hormonais típicas da idade, como a menopausa, até transtornos como depressão e transtorno de ansiedade generalizada.

Fato é que a insônia tem estado cada vez mais presente no dia a dia das pessoas. Inclusive, o número de indivíduos que apresentam algum tipo de dificuldade para dormir cresce a cada dia. Um levantamento conduzido por pesquisadores norte-americanos mostra isso: segundo a publicação, cerca de 1/3 das pessoas apresentam ou já apresentaram pelo menos um sintoma da insônia.

Isso, de acordo com outros estudos recentes, muito se deve ao estilo de vida acelerado e ao turbilhão de informações que recebemos a todo o momento.

Não à toa, a insônia é somente um dos distúrbios do sono que acometem a população em números cada vez mais alarmantes, que também incluem apneia do sono e a síndrome das pernas inquietas, entre outros.

Abaixo, separamos uma lista das 10 causas mais comuns da insônia. Dentre elas, estão fatores biológicos, físicos e psicológicos. Confira!

10 causas da insônia

Segundo uma pesquisa da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, somente metade dos casos de insônia conseguem ter suas causas identificadas. Ainda de acordo com a publicação, estima-se que cerca de 10% da população adulta sofra de insônia crônica.

As causas mais comuns, porém, estão listadas abaixo:

1. Ansiedade

Uma das causas da insônia mais frequentes é a ansiedade e o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG, ou ansiedade crônica).

As características de pessoas que sofrem deste problema são uma das que mais afetam a qualidade do sono, pois afetam diretamente a forma das pessoas de lidarem com preocupações, situações adversas e até mesmo o futuro.

Ou seja: por trás de um episódio de ansiedade estão preocupações do dia a dia, relacionados ao trabalho, estudos ou vida pessoal, mas também receios de coisas que ainda nem sequer aconteceram. Diversas razões podem ser gatilho para desencadear uma grande aflição, capaz de tirar a tranquilidade da pessoa. Assim, o sono também acaba sendo prejudicado.

2. Uso de aparelhos eletrônicos

Assistir televisão ou usar aparelhos eletrônicos antes de dormir, como computadores e principalmente celulares (muito pelo vício em redes sociais e na internet) podem favorecer um episódio de insônia.

Isso acontece porque esses aparelhos emitem um tipo de luz que atrapalha a produção da melatonina, hormônio responsável por causar o sono. Portanto, a recomendação de não utilizá-los excessivamente antes de ir dormir é válida não somente por quem tem pré-disposição à insônia, mas para todo mundo.

Por isso, quem trabalha demais com o computador acaba tendo um excesso de estímulo no cérebro. Quando a pessoa fica muito concentrada na tela — ainda mais perto do horário de dormir –, acaba tendo mais dificuldades em dormir.

3. Consumo de cafeína, nicotina, álcool e drogas

A ingestão de cafeína e álcool ou o uso de substâncias como cigarro (nicotina), drogas e alguns medicamentos (estimulantes e remédios para controle da pressão) podem afetar o sono. O café, inclusive, é muito utilizado justamente para dar energia. À noite, porém, ele não é recomendado para todas as pessoas.

O cigarro é outro que pode levar ao problema, já que, ao contrário do que muitos podem pensar, ele provoca inquietação no fumante. Da mesma forma, parar de fumar repentinamente também pode causar insônia por um certo período.

4. Depressão

A depressão é uma das mais graves causas da insônia e costuma afetar muito a qualidade do sono, além de outras instâncias da vida. Grande parte das pessoas diagnosticadas com depressão têm grande dificuldade em dormir e não conseguem pegar no sono de jeito nenhum.

Depressão, assim como a ansiedade, não é frescura. Pessoas que sofrem deste quadro não têm a tranquilidade necessária para conseguir pegar no sono.

5. Outros problemas psiquiátricos e neurológicos

Além da depressão e da ansiedade, outros problemas psiquiátricos e neurológicos também podem estar por trás das causas da insônia. Os principais são a síndrome das pernas inquietas (SPI), a doença de Parkinson e a doença de Alzheimer.

Em razão das alterações que comprometem algumas funções cerebrais, a insônia pode ser um resultado esperado também. Da mesma forma, os medicamentos que são usados para tratar essas doenças também podem atrapalhar o sono.

6. Estresse

As diversas preocupações rotineiras da vida, sejam elas com o trabalho, estudos e vida pessoal, entre outras, podem acabar tirando a tranquilidade e aumentando o nível de estresse de uma pessoa. Assim, ela é uma das causas mais comuns da insônia.

Um acontecimento traumático ou preocupações com as finanças, o trabalho ou a família costumam tirar o sono naturalmente, mas altas cargas de estresse podem levar a um quadro de insônia, que talvez precise de atenção médica.

Trabalhar em turnos noturnos ou mudar de escala constantemente, só para citar dois exemplos, também afetam o relógio biológico e a qualidade do sono à noite.

7. Alterações hormonais

Esse problema afeta demais as mulheres, que no geral têm mais chance de sofrerem com alterações hormonais do que os homens. Isso por causa do ciclo menstrual, que para algumas nem sempre é tão reguladinho.

Essas alterações também podem afetar o sono. A menopausa, porém, que marca a última menstruação da mulher, também pode prejudicar e levar à insônia.

8. Dores (principalmente as crônicas)

Dores crônicas, como fibromialgia e artrite, podem afetar demais a qualidade do sono de uma pessoa. No geral, as pessoas que sofrem com dores crônicas não costumam ter uma boa qualidade de sono, já que elas são bem fortes e incômodas.

Outras dores, como enxaquecas e problemas respiratórios, também afetam a qualidade do sono, atrapalhando o descanso.

9. Idade avançada

A insônia nos idosos é muito comum, pois, com a idade, vem uma dificuldade maior para pegar no sono ou até mesmo de manter ele. Isso se deve principalmente a alterações biológicas relacionadas ao envelhecimento e a condições médicas que vêm com a idade.

Para melhorar a qualidade do sono dos idosos, é recomendado beber chás específicos para insônia, que têm efeito calmante ou fazer uso de medicamentos prescritos por um médico de confiança.

10. Atividade física à noite

Praticar atividades físicas pouco tempo antes de dormir também pode atrapalhar e dificultar o sono. Isso ocorre porque o corpo está mais agitado por causa da descarga de adrenalina no organismo gerada pelo exercício, deixando a pessoa agitada.

Para quem já tem maior propensão à insônia, é recomendado não fazer exercícios por pelo menos 1 ou 3 horas antes de ir dormir.