Zumbido no ouvido: causas, tratamento e prevenção

29 de novembro de 2018

|

POR Gabriele Amorim

O tinnitus, mais conhecido como zumbido no ouvido, costuma causar enorme desconforto em quem o sente, além de atrapalhar a execução de tarefas simples do dia a dia. Trata-se de uma sensação sonora, porém sem origem externa. Não é uma doença em si, mas exige investigação e cuidados adequados.

Conheça suas causas, tratamentos, complicações e meios de prevenção a seguir:

Causas

As causas do zumbido no ouvido são diversas, mas podem ser divididas entre as localizadas no ouvido em si e as que estão em outras áreas do corpo, porém interferem diretamente na audição.

Causas no próprio ouvido

  • Acúmulo de cera
  • Otite crônica
  • Perfuração da membrana do tímpano
  • Secreção no ouvido
  • Perdas auditivas de diversas origens
  • Hipertensão endolinfática
  • Contrações musculares
  • Alterações de vasos sanguíneos
  • Tumores
  • Viroses

Causas em outras áreas do corpo

  • Hipertensão arterial
  • Diabetes
  • Hiperinsulinismo
  • Problemas na tireoide
  • Colesterol alto
  • Tumores do cérebro
  • Problemas na articulação do maxilar
  • Problemas na coluna cervical
  • Doenças autoimunes
  • Anemia
  • Hipertensão intracraniana
  • Esclerose múltipla
  • Baixo índice de zinco
  • Efeito colateral de medicamentos
  • Doenças de vasos sanguíneos do pescoço ou coluna cervical

Zumbido no ouvido também pode estar associados a perdas auditivas e tonturas.

Como se manifesta?

Geralmente, o zumbido no ouvido se manifesta como um barulho que pode ser constante ou intermitente.

Na maioria das vezes, o paciente sente o incômodo no período noturno, em função do maior silêncio. Pode acontecer em apenas um ouvido ou nos dois.

O que fazer?

Nenhum zumbido no ouvido que persiste por mais de uma semana deve ser ignorado, mas sim investigado minuciosamente.

Tratamento para zumbido no ouvido

Os tratamentos podem ser clínicos, por meio de medicamentos. Em casos mais específicos e graves, procedimentos cirúrgicos são necessários.

Porém, o tratamento mais atual é o não medicamentoso Ele é feito por meio de uma estratégia bem individualizada, na qual pode ser utilizado um aparelho auditivo e inúmeros outros recursos.

O importante e ideal é o paciente sempre buscar tratamento profissional e instruções adequadas ao perceber qualquer um dos sintomas, mesmo que pareçam inofensivos.

Complicações

Zumbidos no ouvido são capazes de causar doenças psicológicas, como a depressão, e até aumento de pressão arterial devido ao alto nível de estresse vivenciado pelo paciente.

Há casos de suicídios vinculados ao problema, em função da gravidade do sintoma e modo pelo qual interfere na vida do indivíduo. Portanto, não ignore qualquer sintoma.

Prevenção

A melhor forma de prevenção é manter uma vida saudável, com respeito aos limites do organismo humano.

Evitar traumas de origem sonora, ambientes excessivamente ruidosos e uso constante em volume alto de fones de ouvidos também é importante.

Atenção também para as medicações de uso contínuo, pois pode haver efeitos colaterais que geram o zumbido.

 

Fonte

Otorrinolaringologista Jamal Azzam – CRM/SP 57245