Varizes: causas, fatores de risco, remédios, cirurgia, complicações e mais

10 de maio de 2019

|

POR Bruno Botelho dos Santos

Varizes são veias facilmente reconhecidas por sua aparência tortuosa e aumentada. Embora possam afetar diversas regiões do corpo, costumam ser mais frequentes nas pernas.

Além do incômodo estético, as varizes podem cursar com inchaço, dor e, em casos mais graves, úlceras. Entenda:

O que são varizes?

perna sem varizes e com varizes
Solarisys/Shutterstock

Varizes são, por definição, veias dilatadas, tortuosas e de cor azulada ou arroxeada que costumam aparecer nos pés e pernas.

Elas acometem grande parte da população, principalmente do sexo feminino, já que o número de gestações e a presença do hormônio estrogênio são fatores que colaboram com a alteração circulatória.

Quais são suas causas?

Varizes se desenvolvem quando pequenas válvulas dentro das veias deixam de funcionar adequadamente.

Em uma veia saudável, o sangue flui suavemente para o coração e uma série de minúsculas válvulas abre e fecha para permitir sua passagem.

Se essas válvulas estiverem fracas ou danificadas, o sangue pode fluir para trás e se acumular na veia, fazendo com que ela fique inchada e aumentada (varicosa).

As varizes dos membros inferiores podem ser classificadas em:

Primárias

São os tipos mais frequentes. Possuem causa genética, podendo piorar com o tempo ou por fatores ambientais (como gestação e uso de hormônio feminino).

Secundárias

Varizes desse tipo podem ser decorrentes de outras doenças, por exemplo trombose venosa profunda, fístula artério-venosa ou má formação vascular.

Quais são os fatores de risco?

Se tratando de varizes primárias, a hereditariedade tem papel importante.

Além disso, os sintomas e o aspecto das varizes tendem a piorar com o envelhecimento, o número de gestações, o ganho de peso e o uso de contraceptivos hormonais.

Alguns fatores podem aumentar as chances de desenvolver varizes, segundo a Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde:

Idade

A condição é mais comum a partir de 30 anos de idade e piora conforme o envelhecimento e, consequentemente, a redução da eficácia circulatória.

Sexo

A propensão é maior em mulheres do que em homens graças a fatores hormonais que facilitam a dilatação das veias.

Histórico familiar

A chance de apresentar o problema é maior caso haja histórico de casos de varizes na família.

Obesidade

O excesso de peso aumenta a pressão sobre as veias, o que acaba dificultando o retorno venoso.

Gravidez

Durante a gravidez, o volume de sangue no corpo aumenta para sustentar o feto em crescimento. Em contrapartida, há aumento do trabalho das veias e maior chance de desenvolver varizes.

Sedentarismo

O sangue não flui se o indivíduo estiver na mesma posição por longos períodos ou não se movimentar suficientemente. Portanto, a prática de exercícios físicos e o combate ao sedentarismo são muito importantes para evitar as varizes.

Tabagismo

A parede das veias pode sofrer agressões pelas substâncias contidas nos cigarros.

Temperatura

Exposição a temperaturas elevadas por longos períodos pode provocar dilatação das veias. Por isso, deve-se tomar cuidado com o excesso de calor do sol, das saunas e dos fornos.

Pílulas anticoncepcionais e reposição hormonal

Progesterona, hormônio sexual fundamental para o equilíbrio do ciclo ovariano e da gravidez, colabora com a dilatação das veias. Portanto, o uso de contraceptivos ou reposição hormonal com a substância constitui fator de risco para varizes.

Sinais e sintomas de varizes

Varizes podem não apresentar sintomas por muito tempo. Na maioria das vezes, as queixas são estéticas, já que podem ficar muito visíveis nas pernas e pés.

Em outros casos, pode haver:

  • Ressecamento da pele
  • Coceira
  • Pernas doloridas e desconfortáveis
  • Inchaço, principalmente no fim do dia
  • Cãibras, principalmente à noite

Varizes calibrosas são fator de risco para flebites e trombose venosa profunda, que têm maior gravidade. Por isso, inchaço e dores persistentes são sinais importantes para a procura de atendimento médico de urgência.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito clinicamente por meio da observação das veias varicosas. Porém, o médico especialista pode realizar ou solicitar exame de ultrassom com doppler colorido, o qual permite o estudo do movimento do sangue, de modo a avaliar estreitamentos e obstruções, além de testar válvulas.

Qual profissional procurar?

O cirurgião vascular/angiologista é o profissional mais indicado para diagnosticar e tratar varizes.

Tratamentos de varizes

médico examinando perna com varizes para cirurgia
Evgeny Atamanenko/Shutterstock

A escolha do tratamento mais adequado dependerá das características das veias acometidas.

Cirurgia de varizes

Na cirurgia de varizes, é realizada a resseção das veias varicosas por meio de pequenas incisões no trajeto da veia.

O procedimento pode ser realizado em ambulatório ou hospital e o tempo de afastamento das atividades varia de dias a semanas, dependendo da gravidade do quadro.

Tratamento endovascular

O tratamento endovascular, realizado por radiofrequência ou laser, é utilizado principalmente na veia safena ou em veias perfurantes (que comunicam os sistemas superficial e profundo).

Nele, o acesso ao sistema vascular ocorre por meio de pequenas incisões – principalmente na virilha –, utilizando acessórios como fios guias e cateteres, em que é possível fazer reparos ao sistema vascular em geral, desde pequenos vasos até os mais calibrosos.

Escleroterapia química

A escleroterapia, conhecida popularmente como aplicação para varizes, consiste na injeção de um agente esclerosante dentro do vaso, de modo a fecha-lo.

Esta técnica pode ser utilizada para veias finas, conhecidas popularmente como vasinhos, ou para as mais calibrosas.

Dentre as abordagens, as que mais se destacam são o tratamento de varizes com espuma e o com glicose.

Laser transdérmico

O laser transdérmico é um tipo de luz específica que, quando aplicada na pele, aquece o sangue e promove a contração da veia e o fechamento do vaso.

Como conviver com o problema?

A maior parte dos paciente com varizes não apresenta sintomas importantes, mas é fundamental a realização do tratamento precoce para evitar a evolução.

Alguns fatores podem ajudar na convivência com o problema:

  • Uso de meias de compressão
  • Reorientação postural
  • Prática de atividade física
  • Controle do peso
  • Uso de medicações, eventualmente

Tudo isso mantêm as complicações e os sintomas das varizes controlados.

Complicações

As varizes podem ter complicações simples, como ressecamento e escurecimento da pele ou flebites – processo inflamatório das veias.

Em casos preocupantes, pode até mesmo levar à trombose venosa profunda – doença grave em que um coágulo se forma no vaso sanguíneo.

Como prevenir?

Como se trata, na maioria das vezes, de uma doença genética causada por fraqueza na parede do vaso, não há meios garantidos de evitá-la, porém pode-se apostar em hábitos para reduzir sua incidência:

  • Praticar atividades físicas;
  • Controlar o peso;
  • Não fumar;
  • Só fazer uso de contraceptivos ou reposição hormonal com orientação médica;
  • Evitar ficar longos períodos na mesma posição;
  • Usar meias de compressão em vôos ou viagens longas.

Fontes

Cirurgião vascular angiologista Paulo Eduardo Bochio, da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo – CRM 59868/1

Mayo Clinic. Varicose veins. Disponível em: www.mayoclinic.org/diseases-conditions/varicose-veins/symptoms-causes/syc-20350643

Medical News Today. What can I do about varicose veins?. Disponível em: www.medicalnewstoday.com/articles/240129.php