Tendinite: tem cura? Saiba como identificar e tratar

Atualizado em 31 de outubro de 2018

|

Tendinite é a inflamação de um ou mais tendões que provoca inchaço e dores. É um problema bastante comum, que pode ter diversas causas e costuma atingir principalmente os ombros, braços e punhos.

Sentir incômodo em algum tendão não indica necessariamente que alguém está com tendinite. Porém, não cuidar da dor pode fazer com o que o problema evolua.

Quando a condição se agrava, pode ser mais difícil de tratar e, em muitos casos, pode apresentar recidivas mesmo após o alívio dos sintomas.

A boa notícia é que tendinite tem cura. Para isso, no entanto, é necessário iniciar o tratamento o quanto antes. Abaixo, veja quais são as causas mais comuns deste problema e como tratá-lo.

Causas de tendinite

Os tendões não são tão fortes quanto os ossos e os músculos, então qualquer sobrecarga nas articulações pode gerar inflamação e dor.

Embora a tendinite possa ser causada por uma lesão súbita, na maioria dos casos ela aparece após a realização constante de um exercício específico sem o alongamento muscular adequado. Isso é comum em empregos ou hobbies que envolvem movimentos repetitivos.

Assim, as principais causas de tendinite englobam:

  • Falta de alongamento e flexibilidade de algum grupo muscular;
  • Falta de aquecimento antes da prática de atividades físicas;
  • Excesso de movimentos repetitivos, tanto no trabalho quanto em exercícios;
  • Neuropatias que conduzem a alterações musculares;
  • Alterações na estabilidade das articulações;
  • Alterações na postura corporal;
  • Sobrecarga nos treinamentos;
  • Uso de calçados inadequados;
  • Doenças autoimunes;
  • Traumatismos;
  • Estresse.

Fatores de risco

Alguns fatores aumentam a chance de desenvolver o problema, tais como idade, determinados trabalhos e prática esportiva.

Idade

Conforme as pessoas envelhecem, os tendões se tornam menos flexíveis e, deste modo, mais propícios a lesões.

Ocupação

A tendinite é mais comum em pessoas cujos empregos englobam:

  • Movimentos repetitivos
  • Posições difíceis
  • Sobrecarga frequente
  • Vibração
  • Demasiado esforço

Atividades físicas

Outro grupo mais propenso a desenvolver tendinite é o dos praticantes de certos esportes, tais como:

  • Basquetebol
  • Boliche
  • Golfe
  • Corrida
  • Natação
  • Tênis

Tipos

Os principais tipos de tendinite são:

  • Tendinite no ombro
  • Tendinite patelar
  • Tendinite no quadril
  • Tendinite no pulso
  • Tendinite do calcâneo
  • Tendinite na mão
  • Tendinite no pé

Sinais e sintomas de tendinite

O acometimento provoca inflamação, sensibilidade e dor na articulação afetada.

Alguns casos se desenvolvem com incômodo súbito e outros com crônico – o qual dura semanas ou meses.

Diagnóstico

A tendinite pode ser determinada por meio da investigação da história médica do paciente e do exame físico. Ainda podem ser necessários exames de raio X e ressonância magnética para descartar outras condições.

Complicações

As tendinites fazem parte de um grupo de patologias chamadas tendinopatias, o qual designa as lesões que atingem os tendões.

É importante estar atento e focado na recuperação do problema, já que uma tendinite mal avaliada, não tratada ou tratada de forma incorreta pode acarretar na chamada tendinose, condição marcada pela total degeneração do tendão, que pode até mesmo romper-se, provocando ainda mais incômodos.

Tendinite tem cura?

Tendinite tem cura, mas o tratamento deve ser iniciado o quanto antes. Ele pode ser feito de diversas maneiras, mas tudo dependerá da gravidade do problema e da avaliação feita pelo médico.

Tratamentos de tendinite

Abaixo, explicamos um pouco sobre cada tipo de tratamento e para quais casos eles são mais indicados.

Descanso e tratamento caseiro

O tratamento caseiro realizado de forma correta e aliado ao repouso pode ser uma das melhores soluções para a tendinite – especialmente quando o problema está em estágio inicial.

Utilizar bolsas para fazer compressas de gelo ajuda a aliviar a dor e a inflamação, poupando um pouco a articulação afetada.

Chás para tratar a tendinite

Outros métodos também podem ajudar muito, a exemplo dos remédios caseiros e naturais. Chás são uma excelente pedida.

Para o caso específico da tendinite, eles podem ser feitos com plantas que têm ação anti-inflamatória. Alguns que podem ser muito úteis para reduzir a inflamação, inchaço e dor nos tendões são:

  • Chá de gengibre;
  • Chá de erva-doce;
  • Alimentos com efeito anti-inflamatório, como coentro, ovos, frutas cítricas, agrião, atum, sardinha e salmão;
  • Suco ou gel de babosa (aloe vera).

Se o médico orientar, o paciente também pode fazer uso de medicamentos farmacêuticos. Alguns analgésicos e anti-inflamatórios podem ajudar a aliviar os sintomas.

Quando o problema é tratado desde o início, acaba não sendo necessário partir para outros tipos de tratamento. Quando as terapias caseiras não surtem o efeito necessário, porém, a fisioterapia, imobilização e cirurgia podem ser indicadas pelo médico.

Fisioterapia

A fisioterapia busca o alívio da dor e inflamação do tendão afetado por meio de massagens e exercícios de alongamento e fortalecimento muscular.

Desta forma, a pessoa consegue recuperar aos poucos os movimentos e a força nos músculos afetados.

As sessões de fisioterapia podem ser realizadas de acordo com a disponibilidade da pessoa. Obviamente, quanto mais forem realizadas, mais efetivo será o tratamento e mais rápido os resultados aparecerão.

Imobilização da região

A imobilização do lugar afetado pela tendinite pode ser muito útil, uma vez que a diminuição dos movimentos ajuda a aliviar as dores e a reduzir a inflamação. Mas nem sempre ela é indicada.

Em alguns casos, somente o repouso, a fim de não forçar muito a articulação, já é suficiente.

Usar tala por muito tempo pode deixar os músculos frágeis, o que pode inclusive facilitar a reincidência do problema no futuro. Por isso, a imobilização da região só deve ocorrer caso um médico especialista ou fisioterapeuta faça a recomendação.

Cirurgia

Os métodos cirúrgicos são necessários quando o quadro de tendinite se agravou muito.

Ela costuma ser uma indicação principalmente quando há a deposição de pequenos cristais de cálcio no tendão (tendinite calcária). Neste caso, é preciso fazer uma raspagem no local afetado ou costurar o tendão após um possível rompimento.

A cirurgia não é complicada e a recuperação dura aproximadamente uma a duas semanas.

Após o procedimento, o paciente é encaminhado para fisioterapia.

Casos mais graves, como os de tendinose, podem exigir afastamento do trabalho e de atividades físicas por alguns meses. Dependendo da gravidade da degeneração do tendão, a pessoa pode não voltar à prática esportiva.

Por isso, se desconfiar que uma dor que você sente nos braços, pulsos ou ombros podem ser um episódio de tendinite, procure um médico o quanto antes para saber do que se trata e iniciar o tratamento.

Prevenção

É possível evitar tendinite por meio dos seguintes orientações:

Cuidado com carga excessiva

Cuidado com atividades que causem estresse excessivo das articulações. Se você notar incômodo durante um movimento, pare e descanse.

Opte por outras atividades físicas

Se um movimento lhe causar dor, tente realizar variações dele. Por exemplo, se você sente incômodo ao correr, tente andar ou nadar. Peça ajuda a um educador físico para receber orientações individualizadas.

Cuidado com a técnica

Muitas vezes a técnica falha em alguns exercícios aumenta o risco de inflamação nos tendões. Neste caso, peça ajuda de seu treinador ou superior para realizar a movimentação da maneira mais adequada.

Alongue

Não se esqueça de alongar as articulações e músculos. Isso é essencial para maximizar a amplitude de movimento e minimizar traumas repetitivos.

Fortaleça

Fortaleça os músculos usados ​​em sua atividade laboral ou esporte. Isso pode ajudar no suporte do estresse e da carga.

 

Fontes

National Institute of Arthritis and Musculoskeletal and Skin Diseases. Bursitis and Tendinitis: Questions and Answers about Bursitis and Tendinitis

Arthritis Foundation. Disease Center: Tendinitis. Disponível em: www.arthritis.org/about-arthritis/types/tendinitis

American College of Rheumatology. Tendinitis and Bursitis. Disponível em: www.rheumatology.org/I-Am-A/Patient-Caregiver/Diseases-Conditions/Tendinitis-Bursitis