Simeticona (Luftal): o que é e para que serve o medicamento?

Atualizado em 29 de outubro de 2019

|

O remédio Simeticona, conhecido pelo nome comercial de Luftal, é indicado para aliviar os sintomas de excesso de gases no aparelho digestivo, como flatulência, desconforto, aumento de volume da barriga, inchaço e cólicas. Sua ação faz com que as bolhas de gás se rompam e o incômodo seja amenizado.

Além disso, o fármaco pode ser utilizado no preparo de endoscopia digestiva ou colonoscopia, assim como exames de imagem, a fim de evitar a acumulação de gás no aparelho digestivo, comum nesses procedimentos.

Facilmente encontrado em qualquer farmácia, o componente ativo pode ser ingerido como cápsula gelatinosa, comprimido ou em gota. Continue lendo e entenda mais:

Composição

A composição básica do medicamento, de acordo com sua bula, é carbonato de cálcio, manitol, dióxido de silício, povidona, corante, amido, lactose monoidratada, estearato de magnésio, talco, celulose microcristalina e fosfato de cálcio dibásico di-hidratado.

No caso de gotas, também é possível encontrar em sua fórmula goma xantana, aroma de laranja e água purificada. Assim, o remédio ganha um gosto agradável.

Todos os componentes de simeticona não são absorvidos pelo organismo, de acordo com a farmacêutica Alessandra Graziel Paganini. “Ele atua somente dentro do aparelho digestivo e é totalmente eliminado nas fezes, sem alterações”, explica.

Para que serve?

A simeticona pode ser útil na seguintes situações:

Flatulência ou gases intestinais

Os gases intestinais, que são expelidos pelo ânus, normalmente são causados por carboidratos que não foram quebrados na hora de passar pelo estômago. Eles podem causar desconforto e dor.

Gases no estômago

Ao contrário dos gases intestinais, os gases no estômago costumam ser liberados pela boca e são conhecidos como arroto. Eles podem ser causados por bebidas gaseificadas, ingestão de ar, alimentação em excesso e fisiologia anormal. Em alguns casos, causa inchaço e desconforto.

Barulho estomacal

Os sons, também conhecidos como rugidos estomacais, normalmente são causados pela contração de músculos do intestino ou estômago. Eles podem surgir a qualquer momento, mas tendem a aparecer quando há movimentação de fluidos e ar, o que acontece muito durante a digestão.

Estufamento ou flatulência pós-cirúrgica

Depois de processos cirúrgicos, é comum que algumas pessoas sintam desconforto estomacal ou intestinal, como inchaço, dores e flatulência.

Inchaço e dilatação na barriga

O inchaço e a dilatação são sintomas que podem ocorrer por diversas causas, como ingestão rápida de alimentos, consumo excessivo de sal, intolerância à lactose e até ficar em pé por longos períodos.

Nomes comerciais

Além de ser conhecido como simeticona, o princípio ativo pode ser encontrado com os seguintes nomes comerciais: Luftal, Dimetiliv, Fluolic, Flagass, Flatol, For Gas, Dimezin, Neo Dimeticon, Mylicon, Dimeftal, Sintaflat, Faltex, Dimetigass, Livgas e Luftbem.

Ação esperada

Luftal pode levar entre 10 e 30 minutos após a sua ingestão para atingir o estômago e o intestino e começar a diminuir a tensão superficial dos líquidos digestivos.

Isso significa que as bolhas que podem estar no sistema digestivo são rompidas, facilitando a eliminação dos gases.

Como tomar?

 

Shot maximizado de comprimido branco em cima de mesa.

Fahroni/Shutterstock

A recomendação da bula dos comprimidos varia de acordo com a idade. Crianças de 2 a 12 anos devem tomar um comprimido a cada seis horas, não ultrapassando a dose de seis comprimidos ao dia. Enquanto adultos podem tomar de um a três comprimidos de 6 em 6 horas, sem ultrapassar a dose de 12 comprimidos ao dia.

No caso de gotas, a emulsão oral costuma ter 75 mg/mL, em um frasco gotejador com 10 mL. Ela pode ser utilizada por bebês, crianças e adultos. Crianças com até 2 anos podem tomar cinco gotas de seis em seis horas, desde que não ultrapassem 60 gotas ao dia. Já as crianças de 2 a 12 anos podem tomar dez gotas de seis em seis horas, sem ultrapassar a dose de 60 gotas por dia. Por fim, adultos devem tomar de dez a trinta gotas de seis em seis horas, não superando 120 gotas por dia.

Já cápsulas moles com 125 mg são recomendadas para adultos na posologia de uma cápsula de seis em seus horas, com limite diário de quatro unidades. A orientação médica, porém, é o que prevalece.

Efeitos colaterais

Como a Simeticona é bem tolerada, não há advertências ou recomendações especiais sobre o seu uso. Mas, por precaução, o medicamento não deve ser usado por pessoas que têm alergia ou sensibilidade a qualquer um dos componentes da fórmula.

Além disso, os comprimidos contêm o corante amarelo de tartrazina que pode causar reações de natureza alérgica, entre as quais asma brônquica, especialmente em pessoas hipersensíveis ao ácido acetilsalicílico.

Em casos raros, foram observadas reações imediatas, como urticária e eczema de contato.

Contraindicação

O medicamento é contraindicado para distensão abdominal importante, cólica intensa, dor persistente massa palpável na região do abdômen, alergia à Simeticona e a seus derivados ou em casos de perfuração ou obstrução intestinal.

Grávida pode tomar simeticona?

A Food and Drug Administration, agência federal dos Estados Unidos que regulamenta drogas e alimentos, os medicamentos são classificados em categorias quanto ao risco de causar reações na gravidez.

Não há estudos importantes a respeito da simeticona em gestantes ou lactantes, portanto ela não é indicada para grávidas ou para mulheres que estejam amamentando.

Interações medicamentosas

Não são oficialmente conhecidas interações de Simeticona com outros medicamentos ou alimentos. Todavia, há relatos de que o remédio Levotiroxina – usado para terapia de reposição hormonal da tireoide – possa prejudicar a absorção da simeticona se usados de forma concomitante.

 

Fontes

Farmacêutica Alessandra Graziel Paganini

Clínico geral Mauro Luis de Mello Ferreira, especialista em geriatria pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) – CRM 34107