Salmonella: o que é, transmissão, sintomas e tratamento

Atualizado em 01 de outubro de 2019

|

POR Gabriele Amorim

Salmonella ou salmonelose é uma das principais infecções transmitidas pelo consumo de alimentos contaminados. A maioria das cepas são patogênicas para humanos, ou seja, podem se multiplicar no organismo do hospedeiro e causar infecções e outras complicações.

As características das doenças causadas pela salmonella são variáveis, visto que a bactéria geralmente infecta o trato digestivo, mas pode se mover pela corrente sanguínea e a afetar também outras partes do organismo.

O que é salmonella?

A salmonella é uma bactéria gram-negativa que pertence à família Enterobacteriaceae e foi descoberta pelo cientista americano Daniel Elmer Salmon.

Os micro-organismos desse tipo causam diversos acometimentos, como gastroenterite – infecção intestinal – e febre tifoide – doença bacteriana que aumenta o volume do baço.

Tipos

Existem dois tipos de salmonella: a typhi e a paratyphi.

A primeira reside apenas em humanos, enquanto a segunda reside principalmente em pessoas, mas também em animais.

Como contrair

 

Ovos

Tevarak/IStock

As pessoas são infectadas, geralmente, por meio do consumo de carnes de aves mal cozidas, laticínios não pasteurizados ou legumes e verduras contaminados. A salmonella pode afetar também os ovários das galinhas, assim o ovo é contaminado antes mesmo de ser posto.

Outros alimentos, como frutas e ervas, também podem ser infectados por fezes de animais durante o cultivo ou por pessoas infectadas que manuseiam alimentos e não higienizam as mãos corretamente.

Fatores de risco

Os sintomas costumam ser mais severos em idosos, crianças, grávidas e pessoas com o sistema imunológico enfraquecido.

Sintomas de salmonella

Quando o trato digestivo é infectado, os sintomas iniciam-se entre 12 e 48 horas.

Os mais comuns são:

  • Cólicas abdominais
  • Enjoos
  • Diarreia
  • Febre
  • Vômitos
  • Perda de apetite
  • Mal estar
  • Cansaço

Outros sintomas também podem aparecer caso a infecção viaje pela corrente sanguínea e chegue a outras regiões do organismo. Caso um osso esteja infectado, a área ficará sensível e dolorida, enquanto se a válvula cardíaca for afetada, o paciente sentirá falta de ar.

Diagnóstico

Os sintomas apresentados ajudam a identificar se o paciente possui gastroenterite. No entanto, a única forma de confirmar se ele realmente está infectado pela salmonella é por meio do exame de fezes, no qual uma amostra é analisada em laboratório.

Portanto, ao perceber a ocorrência dos sintomas, deve-se procurar um profissional de saúde para que uma avaliação médica seja realizada.

Tem cura?

O tratamento contra a bactéria é capaz de eliminá-la do organismo sem causar problemas posteriores. Contudo, a falta de cuidados adequados após o aparecimento dos sintomas pode levar ao óbito.

Complicações

Casos nos quais a salmonella atinge a corrente sanguínea podem evoluir para o acometimento de outras partes do organismo, como ossos, articulações, trato urinário, pulmões e válvulas cardíacas. Além disso, podem surgir tumores.

Tratamento da salmonella

A ingestão de líquidos é de extrema importância para manter a hidratação, prejudicada pela diarreia, febre e vômitos, e controlar os sintomas.

Além disso, para os casos mais graves, é necessário o uso de antibióticos específicos para combater cada tipo de bactéria. Os sintomas costumam desaparecer de 1 a 4 dias.

Para casos nos quais veias e artérias sofrem abscessos, o paciente é submetido a um procedimento cirúrgico para drenagem e uso de antibióticos.

Prognóstico

Aproximadamente 30% dos adultos infectados pela bactéria desenvolvem a chamada artrite reativa semanas após o término dos sintomas, a qual causa dor e inchaço geralmente nos quadris e joelhos.

Em todos os casos, o acompanhamento médico adequado é extremamente necessário para que a bactéria seja eliminada por completo do organismo.

Prevenção

Algumas medidas podem ser muito eficazes na prevenção da infecção. Confira:

  • Cozinhar bem aves e ovos
  • Não consumir alimentos que contenham ovos crus ou leite não pasteurizado
  • Higienizar as verduras e os legumes corretamente
  • Lavar as mãos após ir ao banheiro ou trocar fraldas
  • Higienizar o local e os utensílios usados para cozinhar
  • Lavar as mãos após ter contato com fezes de animais domésticos, répteis ou aves
  • Armazenar os alimentos na temperatura correta – geralmente indicada na embalagem

É importante redobrar os cuidados com pessoas que estejam no grupo de risco. Além disso, indivíduos infectados pela bactéria não devem preparar alimentos para outras pessoas até que o tratamento seja finalizado.

Referências

Autoridade de Segurança Alimentar e Econômica. Salmonella. Disponível em: www.asae.gov.pt/?cn=541054135462

Centers for Disease Control and Prevention. Salmonella. Disponível em: www.cdc.gov/salmonella/general/index.html