Profenid: para que serve, como tomar, riscos e mais

14 de abril de 2019

|

POR Dr Entrega

Profenid é a versão mais famosa do remédio cetoprofeno, que pertence à classe dos anti-inflamatórios não-esteroides (AINE), com efeitos analgésico, anti-inflamatório e anti-reumático. Atua por inibição da produção de prostaglandinas e agregação plaquetária.

Está indicado para o tratamento de sinais e sintomas da inflamação, agindo também para o alívio de cólica menstrual.

Para que serve profenid?

Profenid pode ser utilizado no tratamento de dor de dente, dor de cabeça, enxaqueca, dor abdominal e pélvica, dor reumática, nevralgia, febre, sintomas de gripe e resfriado, inflamação da garganta, lombalgia, dor muscular, torcicolo, dor articular, dor na perna, contusão, entorses, tendinites, cotovelo de tenista, lumbago, artralgia, dor pós traumática, dor ciática, bursite, distensões, flebite superficial, quadros dolorosos da coluna vertebral, lesões leves oriundas da prática esportiva, dor varicosa, inflamação varicosa e hematomas.

Outros nomes Comerciais

Profenid é produzido pelo laboratório Sanofi. Existem outros medicamentos que partilham de seus compostos, como:

  • Artrinid Cápsula
  • Artrinid Injetável
  • Artrosil
  • Ceprofen
  • Cetofenid
  • Flamador
  • Artoprofen
  • Ceftfenpro Lp
  • Bicerto
  • Algie
  • Fenbip

Interações medicamentosas

Não recomendadas

  • Outros AINE’s (incluindo inibidores seletivos da ciclo-oxig enase 2 (enzima relacionada à inflamação) e altas dosagens de salicilatos (substância relacionada ao ácido acetilsalicílico): aumento do risco de ulceração e sangramento gastrintestinais.
  • Álcool: risco de efeitos adversos gastrintestinais, incluindo ulceração ou hemorragia; pode aumentar o risco de toxicidade no fígado.
  • Anticoagulantes (heparina e varfarina) e inibidores da agregação plaquetária (ex. ticlopidina e clopidogrel): aumento do risco de sangramento. Se o tratamento concomitante não puder ser evitado, o médico deverá realizar um cuidadoso monitoramento.
  • Lítio: risco de aumento dos níveis de lítio no plasma devido a diminuição da sua excreção pelos rins , podendo atingir níveis tóxicos. Se necessário, os níveis de lítio no plasma devem ser cuidadosamente monitorados pelo seu médico e a dosagem de lítio deve ser ajustada durante e após o tratamento com AINES.
  • Outros medicamentos fotossensibilizantes (medicamentos que causam sensibilidade à luz): pode causar efeitos fotossensibilizantes adicionais.
  • Metotrexato em doses maiores do que 15 mg/semana: aumento do risco de toxicidade hematológica (no sangue) do metotrexato, especialmente quando administrado em altas doses.
  • Colchicina: aumenta o risco de ulceração ou hemorragia gastrointestinal e pode elevar a chance de sangramento em outros locais que não seja o trato gastrintestinal.

Que requerem precauções

  • Corticosteroides (ex. prednisona, prednisolona, dexametasona): aumento do risco de ulceração ou sangramento gastrintestinal.
  • Diuréticos (ex. furosemida, hidroclorotiazida, clortalidona): pacientes utilizando diuréticos, particularmente os desidratados, apresentam maior risco de desenvolvimento de insuficiência renal devido a diminuição do fluxo sanguíneo nos rins. Portanto, estes pacientes devem ser reidratados antes do início do tratamento concomitante e a função dos rins deve ser monitorada quando o tratamento for iniciado.
  • Inibidores da ECA (enzima conversora da angiotensina (ex. captopril, enalapril, lisinopril) e antagonistas da angiotensina II (ex. irbesartana, losartana, valsartana): em pacientes com comprometimento da função dos rins (ex. pacientes desidratados ou pacientes idosos), a coadministração de um inibidor da ECA ou de um antagonista da angiotensina II e de um agente que inibe a ciclo-oxigenase (tipo de enzima) pode promover a deterioração da função dos rins, incluindo a possibilidade de insuficiência renal aguda.
  • Metotrexato em doses menores do que 15 mg/semana: converse com seu médico caso esteja tomando metotrexato devido a possibilidade de ocorrer alteração da função dos rins. Durante as primeiras semanas do tratamento concomitante ao cetoprofeno, a contagem sanguínea completa deve ser monitorada uma vez por semana pelo seu médico. Se houver qualquer alteração na função dos rins ou se for um paciente idoso, o monitoramento deve ser realizado com maior frequência.
  • Pentoxifilina: converse com seu médico caso esteja tomando pentoxifilina, devido ao aumento do risco de sangramento. É necessário realizar monitoramento clínico e do tempo de sangramento com maior frequência.

A serem consideradas

  • Agentes anti-hipertensivos (ex. betabloqueadores, inibidores da ECA, diuréticos): risco de redução do efeito anti-hipertensivo;
  • Trombolíticos: aumento do risco de sangramento;
  • Probenecida: a administração concomitante com probenecida pode reduzir acentuadamente a eliminação do cetoprofeno do plasma (clearance);
  • Inibidores seletivos da recaptação de serotonina: aumento do risco de sangramento gastrintestinal.

Interações com alimentos

O uso concomitante com alimentos pode retardar a absorção do cetoprofeno, entretanto não foram observadas interações clinicamente significativas.

O uso de cetoprofeno pode interferir na determinação de albumina urinária, sais biliares, 17-cetosteroides e 17-hidroxicorticosteroides que se baseiam na precipitação ácida ou em reação colorimétrica dos grupos carbonil.

Como tomar?

O modo de uso de profenid varia de acordo com a forma prescrita pelo médico:

Comprimidos: 150 a 200 mg por dia divididos em doses de 3 a 4 vezes, 30 minutos antes ou 2 horas após a refeição;

Injeção: de 50 a 100 mg IM, de 4 em 4 horas. Não utilizar mais de 200 mg por dia;

Gotas: 50 mg dissolvido num pouco de água a cada 6 ou 8 horas. Crianças de 7 a 11 anos: 25 mg a cada 6 ou 8 horas e crianças de 1 a 6 anos: 1mg por kg corporal a cada 6 ou 8 horas;

Creme ou gel: aplicar sob o local inflamado com suave massagem por 2 ou 3 vezes ao dia;

Supositório: 200 mg por dia. (100mg de manhã e 100 mg a noite, antes de deitar).

Efeitos colaterais

Pode ocorrer raramente: dor de estômago, náusea, vômitos, diarreia ou constipação; dores de cabeça; vertigem; tontura; reações alérgicas da pele – e mais raramente reações alérgicas respiratórias como asma, angioedema de glote, choque anafilático.

Grávida pode usar? E lactante?

O uso de AINES pode prejudicar a fertilidade feminina e não é recomendado em mulheres que estão tentando engravidar. Em mulheres com dificuldade de engravidar ou que estejam sob investigação de infertilidade; deve ser considerada a descontinuação do tratamento com AINES.

Primeiro e segundo trimestres da gestação: como a segurança do cetoprofeno em mulheres grávidas não foi avaliada, seu uso deve ser evitado durante o primeiro e segundo trimestres da gravidez.

Terceiro trimestre da gestação: todos os inibidores da síntese de prostaglandinas, inclusive o próprio medicamento, podem induzir toxicidade cardiopulmonar e renal no feto.

No final da gravidez, pode ocorrer aumento do tempo de sangramento da mãe e do feto. Portanto, cetoprofeno é contraindicado durante o último trimestre da gravidez.

Lactantes: não existem dados disponíveis sobre a excreção de cetoprofeno no leite humano. O uso de cetoprofeno não é recomendado durante a amamentação.

Contraindicação

O Profenid Gel não deve ser usado em pessoas com história de conhecidas reações de alergia tais como asma, rinite alérgica ou urticária ao cetoprofeno, fenobibrato, ácido tiaprofêncio, ácido acetilsalicílico ou outros agentes anti-inflamatórios não esteroides, histórico de reações de sensibilidade à luz ou histórico de reações cutâneas ao cetoprofeno, ácido tiaprofênico, fenofibrato, bloqueadores solares e perfumes. Além disso, não deve ser utilizado sobre alterações na pele patológicas, como eczema ou acne ou em pele infeccionada ou feridas expostas.

As outras formulações do medicamento não devem ser usadas em pessoas com história de reações alérgicas, insuficiência cardíaca severa, histórico de úlcera péptica ou úlcera péptica ativa/hemorrágica, histórico de sangramento ou perfuração gastrintestinal, relacionada ao uso de AINES, insuficiência severa do fígado ou dos rins e sangramento retal para a forma farmacêutica supositórios.

Além disso, este remédio também não deve ser usado na gravidez, a não ser que seja recomendado pelo médico.