Pele masculina exige cuidados diferenciados

25 de fevereiro de 2011

|

POR Redação

A preocupação e os cuidados dos homens com a pele têm crescido nos últimos anos. Durante a atividade física intensa a pele masculina pode sofrer alterações necessitando de produtos especiais e adequados para evitar problemas futuros.

A pele masculina apresenta fisiologia e resposta ao processo de envelhecimento diferente das mulheres. As diferenças iniciam-se já na espessura cutânea. A pele masculina é mais espessa e apresenta uma densidade de colágeno maior que a do sexo feminino. Além disso, pelo efeito androgênico, as fibrilas de colágeno são mais compactadas nos homens gerando uma maior resistência ao desenvolvimento de rugas finas.

Por que isso acontece?

A secreção sebácea, responsável por  determinar a oleosidade da pele, ocorre de forma mais intensa nos homens pois são mais numerosas e volumosas caracterizando uma pele mais oleosa, com maior tendência à acne e cicatrizes e com poros mais dilatados.

A atividade intensa das glândulas sebáceas é mantida até a 8°década de vida sendo que nas mulheres decrescem a partir da menopausa e nos homens demoram um pouco mais para tornarem-se menos funcional.

O envelhecimento cutâneo intrínseco (fisiológico, aquele que não depende de fatores externos) é mais tardio e está relacionado à menor atividade da enzima 5alfa redutase, maior densidade de colágeno e maior espessura da pele. Uma vez iniciado, o envelhecimento da pele masculina é caracterizado por rugas mais profundas do que na mulher, localizadas principalmente ao redor dos olhos, testa e sulco entre o nariz e a boca.

Cuidados com a pele masculina

Para respeitar a fisiologia cutânea e a praticidade masculina, os produtos masculinos em geral são de fácil aplicação com fragrâncias leves que proporcionem sensação de frescor e sejam de alta eficácia para as principais queixas. Em geral os produtos em gel ou loções fluidas são mais adequados para uma pele mais oleosa.

Os filtros solares devem conter texturas finas e fluidas, loções ou sprays resistentes à água e a prática de esportiva. Devo salientar que não existe protetor à prova de água e sim protetores um pouco mais resistentes à imersão em água. Em geral esta resistência depende do grau de transpiração e do tempo de imersão. Os protetores direcionados para atividades esportivas apresentam uma duração de contato com a pele um pouco maior e menor chance de irritabilidade ocular.

Outro fator importante é o ato de barbear-se constantemente e a chance de desenvolver foliculite de barba ou até mesmo pelos encravados na região do pescoço. A grande maioria dos homens barbeia-se de 3x a 5x por semana tornando este ato uma preocupação de higiene diária. Ao utilizar as lâminas para shaving associado a sabões ou géis pós barba a pele perde a barreira hidrolipídica gerando assim uma área inflamada e susceptível à infecções bacterianas conhecidas como foliculite.

Para evitar estas intercorrências os homens devem hidratar bem a área da barba, utilizar sabões neutros e loções pós barba específicas com ação antibacteriana e calmante. Evitar barbear-se antes da corrida, pois pode facilitar a infecção do folículo do pelo.

Outra sugestão para aqueles com pelos encravados e manchas na pele resultantes deste processo é o laser de pelo na região inferior do pescoço, que é uma solução mais definitiva.

Nos últimos dois anos vários estudos estão sendo realizados no sentido de aprimorar os produtos dermatológicos masculinos, com associação de ativos antioxidantes e hidratantes leves para aplicação diária.