Omeprazol: para que serve? Entenda bula, como tomar e mais

27 de abril de 2018

|

POR Vinicius de Vita Cavalheiro

Omeprazol é um remédio que quem sofre de gastrite, esofagite de refluxo e úlceras gástricas certamente está bastante familiarizado. Recomendação número um de muitos médicos para tratar problemas gástricos, o medicamento, porém, costuma ser notícia devido a seus possíveis efeitos colaterais em longo prazo.

Diversas pesquisas já apontaram que o uso contínuo de Omeprazol pode levar a problemas graves de saúde, como anemia, osteoporose e demência. Uma delas foi um estudo da Universidade de Hong Kong e da University College London, publicado no periódico GUT, que revelou que o remédio pode aumentar em até 2,4 vezes as chances de câncer de estômago.

Mas, afinal, tomar Omeprazol faz mal ou não? Abaixo, entenda como ele funciona e o que dizem especialistas sobre as vantagens e possíveis perigos relacionados ao seu uso.

Princípio ativo

Omeprazol é o princípio ativo de remédios com diversos nomes comerciais, tais como Losec, Victrix e Omeprasec.

Composição

As cápsulas apresentam:

  • 10, 20 ou 40 mg de omeprazol
  • Excipientes farmacêuticos: amido, carbonato de magnésio, polimetacrilicocopoliacrilato de etila, silíca, dióxido de titânio, fosfato dissódico, hidróxido de sódio, hiprolose, hipromelose, polissorbato, macrogol, sacarose e esteatita

Para que serve Omeprazol?

A indicação do Omeprazol é voltada a pacientes com:

O medicamento funciona como um “forro” para o estômago, de modo a proteger o órgão da ação de medicamentos que possam machucá-lo, como anti-inflamatórios.

Como o Omeprazol funciona?

O medicamento é um inibidor da bomba de prótons (IBP) que ajuda a controlar a liberação de ácido clorídrico, usado na digestão, e evita que o excesso da substância, tão comum em quem sofre de problemas gástricos, provoque danos ao revestimento do estômago.

Como tomar?

O remédio Omeprazol está disponível em cápsula ou comprimido revestido para ser tomado de forma oral.

O recomendado é tomar 15 minutos antes das refeições — preferencialmente de manhã. A cápsula não deve ser mastigada ou aberta, apenas engolida por inteiro.

Em alguns casos, o uso antes do café da manhã é recomendado porque evita que os sintomas de gastrite e de outras doenças semelhantes se manifestam ao longo do dia.

Ainda existe a versão em pó para administração injetável — neste caso somente com auxílio profissional.

Posologia

A dose diária para adultos é de 20 mg e deve ser administrada por até quatro semanas em casos de úlceras no duodeno e até 8 semanas nas lesões gástricas e em esofagite de refluxo.

Pacientes com Síndrome de Zollinger-Ellison normalmente tomam 60 mg uma vez ao dia, mas podem haver diferentes orientações médicas a depender do caso.

Crianças maiores de 1 ano devem tomar omeoprazol 10 mg. Já as maiores de 20 quilos podem usar a versão de 20 mg. Por fim, nestes casos o consumo máximo é de 40 mg por dia.

O que fazer se esquecer?

Caso o Omeprazol não seja tomado, tome-o assim que lembrar ou pule para a próxima dose. Nunca tome duas doses juntas sem orientação de um profissional de saúde.

Contraindicações do Omeprazol

As contraindicações se referem oficialmente a pessoas que apresentaram hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula ou a outros inibidores de bomba de prótons.

Grávida pode tomar?

A segurança do consumo de Omeprazol por grávidas e lactantes ainda foi completamente esclarecida, não sendo, portanto, indicado

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais de Omeprazol são geralmente leves e temporários. Os mais comuns incluem dor de cabeça, enjoo, tontura, vômito, dor no estômago, diarreia, constipação, dor nas costas, cãibras e candidíase.

Contudo, há registro de reações raras e mais graves devido ao consumo prolongado, tais como deficiência de magnésio, deficiência de vitamina B12, inflamação no estômago, osteoporose, lúpus e demência.

Interações medicamentosas

Assim como outros fármacos, o Omeprazol pode inibir o efeito de outros remédios, tais como:

  • Anticoagulantes
  • Diazepam, fenitoína e warfarina
  • Derivados da indandiona
  • Benzodiazepínicos
  • Depressores da medula óssea
  • Ésteres de ampicilinas
  • Sais de ferro
  • Itraconazol e cetoconazol

Uso contínuo de Omeprazol faz mal?

A dúvida que fica é: o fato de tomar diariamente Omeprazol pode trazer prejuízos à saúde em longo prazo?

A pergunta ainda divide opiniões na comunidade científica. Não é difícil encontrar profissionais que justificam que o acompanhamento médico e o uso consciente são mais que suficientes para evitar problemas futuros. Porém, há também os que preferem optar por outros remédios e receitas caseiras para aliviar problemas gástricos em longos períodos.

Os que defendem a substituição do Omeprazol tem como base os argumentos abaixo:

Prejudica absorção de nutrientes

O uso excessivo do medicamento pode prejudicar a absorção de minerais e vitaminas pelo corpo, na medida em que inibe a produção de substâncias que fazem este trabalho. Isso, por si só, já é suficiente para provocar uma série de problemas.

A anemia ferropriva, por exemplo, nada mais é do que a consequência direta da deficiência de ferro no organismo. Portanto, se no processo de controlar o ácido clorídrico liberado para digestão o Omeprazol também acaba prejudicando a absorção de ferro, a anemia é uma complicação bastante plausível.

Da mesma forma, outras doenças que dependem do melhor uso possível de determinados nutrientes para manterem-se longe também podem acabar aparecendo, como é o caso da osteoporose, que pode ser prevenida por meio de uma dieta rica em cálcio.

Câncer de estômago

Ainda há quem acredite que Omeprazol causa câncer de estômago se usado por longos períodos, mas anda não há dados científicos suficientes para provar ou descartar tal hipótese

Preço

Uma cartela com sete unidades de Omeprazol com 20 mg custa de R$ 10 a R$ 20 reais. Já a mesma quantidade com a dosagem de 40 mg tem valor entre R$ 16 e R$ 30.