O que é bronquite? Entenda os principais tipos e seus sintomas

Atualizado em 24 de outubro de 2018

|

Bronquite é uma doença que afeta as principais vias aéreas dos pulmões, de modo a causar irritação e inflamação. Geralmente, é causada por vírus e bactérias.

Os pulmões fazem parte de um aparato complexo que se expande e relaxa milhares de vezes ao dia para captar oxigênio e eliminar dióxido de carbono. São justamente os tubos que transportam ar, chamados de brônquios, que são afetados na bronquite.

Normalmente, essas estruturas produzem muco para reter poeira e outras partículas que possam irritar o organismo, mas na bronquite elas ficam inflamadas e passam a produzir mais muco do que o habitual. Em consequência, o organismo tenta expelir o excesso por meio da tosse.

 

bronquite

decade3d/iStock

Sintomas de bronquite

O principal sintoma de bronquite é a tosse com a presença de muco que permanece por vários dias. Outros sintomas que podem ocorrer são:

  • Fadiga
  • Ronco ou chiado no peito
  • Falta de ar
  • Dificuldade para respirar
  • Febre

Tipos de bronquite

Há dois tipos de bronquite – a aguda e a crônica – que se diferenciam pelo tempo de duração dos sintomas e pela gravidade da doença. Entenda:

O que é bronquite aguda?

Esse tipo de bronquite consiste numa inflamação temporária das vias aéreas que tem duração de até três semanas.

Ela pode afetar pessoas de todas as idades, mas principalmente crianças menores de cinco anos. É mais comum no inverno e geralmente se desenvolve a partir de um resfriado comum, dor de garganta ou gripe.

Ela passa por três locais ao atingir o organismo: o nariz, a garganta e os pulmões, o que pode ser perceptível com a ordem dos sintomas no corpo.

O que é bronquite crônica?

A bronquite crônica é uma das várias condições conhecidas como Doenças Pulmonares Obstrutivas Crônicas (DPOC). Ela produz tosse diária que dura pelo menos três meses do ano e dois anos seguidos.

Afeta principalmente adultos com mais de 40 anos. Caso você fume, é importante parar se tiver bronquite, já que a fumaça do cigarro e os produtos químicos presentes nele propiciam alterações da mucosa e, assim, a sua inflamação.

Em alguns casos, ela também pode aumentar o risco de outras infecções bacterianas das vias aéreas e pulmões, como a pneumonia.