Noz-da-Índia faz mal? Emagrece? Veja para que serve e como tomar

Atualizado em 26 de março de 2019

|

POR Mariana Amorim

Noz-da-Índia é uma semente de cor branca que é extraída da nogueira-de-Iguape (aleurites moluccana). Ela ganhou fama pelo suposto efeito emagrecedor. Porém, sua comercialização foi proibida no Brasil, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que também vetou a comercialização de sementes que se assemelham a noz-da-Índia, como “chapéu-de-Napoleão” ou “jorro-jorro”.

Segunda o órgão regulador, essas sementes são tóxicas e oferecem diversos riscos à saúde.

Para que serve?

Embora não existam estudos que comprovem os benefícios da noz-da-índia, ela é frequentemente atribuída a efeitos como:

  • Perda de peso
  • Redução de gordura
  • Regulagem do intestino
  • Diminuição do apetite
  • Melhora da celulite
  • Combate ao colesterol alto
  • Melhora de hemorroidas

“Há relatos de que a Noz-da-Índia era usada na medicina asiática para tratar inflamações e problemas gástricos, como enjoo e gonorreia. No entanto, não há estudos científicos sobre o assunto”, ressalta a nutricionista Maria Flávia Sgavioli, da clínica Estima Nutrição.

Porém, a especialista destaca que há pesquisas (não conclusivas e em animais) que mostram que o extrato da folha da Noz-da-Índia poderia inibir a ação da enzima responsável pela absorção de gorduras e, por isso, levaria uma discreta perda de peso.

“Ainda há trabalhos que apontam efeito analgésico pelo extrato e outros que indicam a existência de ômega-3, considerado anti-inflamatório”, complementa.

Emagrece?

pesando na balança

vadimguzhva/Getty Images

A noz também ganhou popularidade com a promessa de emagrecimento, mas não existe nada que comprove tal efeito, já que não há perda de gordura corporal com o uso da semente, mas uma importante desidratação, causada por diarreia.

Leigos podem considerar este fator como um sinal de emagrecimento, mas não é o que acontece”, conta nutricionista.

Efeitos colaterais

A nutricionista destaca alguns efeitos colaterais do uso da semente, como dores de cabeça intensas, desidratação, náuseas, tonturas, flatulência (gases), hipotensão (queda de pressão) e problemas gástricos e digestivos.

A noz-da-Índia é capaz de causar uma diarreia tão forte que gera deficiência de minerais essenciais para o sistema nervoso, como potássio e magnésio. Inclusive, tal carência pode afetar o coração e gerar arritmia cardíaca, uma condição que resulta em alterações da frequência cardíaca.

É tóxica?

Em meados de 2017, a Anvisa declarou a proibição da fabricação e comercialização da noz-da-Índia e do chapéu-de-Napoleão (Thevetia peruviana) – produtos bem semelhantes – em medicamentos, cápsulas ou alimentos.

Isso porque, segundo o órgão regulador, ambas as sementes, quando usadas para fins de emagrecimento, têm propriedades laxativas e tóxicas.

Entre os malefícios apontados pelo órgão, estão:

  • Vômitos
  • Agitação
  • Enjoo
  • Mudanças de comportamento
  • Alucinações
  • Problemas gástricos e digestivos
  • Desidratação
  • Dilatação da pupila

Além disso, a Anvisa indicou outros nomes pelos quais a noz-da-Índia pode ser chamada, tais como nogueira, nogueira da Índia, castanha purgativa, noz candeia e pinhão das moluscas.

Contraindicação

Devido à toxicidade, essas nozes devem ser evitadas por quaisquer grupos de pessoas, mas principalmente por aquelas que têm problemas intestinais, como colite, diverticulite e síndrome do intestino irritável.

Além disso, há quem tenha alergia a esse alimento e, portanto, deve evitá-lo ao máximo.

Pode matar?

Segundo o comunicado da Anvisa, o consumo de noz-da-Índia foi associado a três mortes no Brasil.

Além da proibição, a agência reguladora determinou o recolhimento de todo o estoque existente no mercado brasileiro.

Noz da Índia falsa: como diferenciar da verdadeira?

variedade de nozes

fcafotodigital/Getty Images

Existe outra noz visualmente parecida com a semente da Índia, chamada chapéu-de-Napoleão, que pode ser ainda mais tóxica por causa de seu alto nível de glicosídeo cardiotônico, componente que pode aumentar muito os batimentos do coração e causar parada cardíaca.

As diferenças entre as duas sementes são poucas. No entanto, a própria noz-da-Índia, que é semelhante à macadâmia, tem casca felpuda e cor branca, enquanto a outra semente tem casca frágil e poucos pelos.

Como tomar?

Em geral, ensina-se cortar cada semente em oito partes iguais e consumir uma por dia, pela manhã com um copo de água.

Fontes

Clinical Toxicology 2009. Management of yellow oleander poisoning. https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/15563650902824001

Nutricionista Maria Flávia Sgavioli (CRN/3 39530)