Novo coronavírus (COVID-19): entenda o surto na saúde mundial

Atualizado em 11 de março de 2020

|

POR Bruno Botelho dos Santos

Coronavírus (COVID-19), um novo vírus da grande família viral coronavírus, está causando um surto de doenças respiratórias graves na China.  Até o momento, sabe-se que mais de 4000 pessoas morreram pelo vírus, que apareceu na cidade chinesa de Wuhan em dezembro. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica o novo coronavírus como emergência de saúde pública de interesse internacional. Saiba mais.

Coronavírus de 2019 (COVID-19)

O novo coronavírus (COVID-19) é um vírus identificado como a causa de um surto de doença respiratória detectado pela primeira vez em Wuhan, na China. 

Os coronavírus (CoV) são uma grande família viral, conhecidos desde os anos 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Mas apenas seis tipos (sete com o novo) são conhecidos por infectar pessoas.

Os casos mais emblemáticos de coronavírus foram SARS e MERS:

  • Síndrome Respiratória Aguda Severa (SARS): matou 774 das mais de 8 mil pessoas infectadas em um surto iniciado na China em 2002
  • Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS): matou 858 dos 2.494 casos registrados desde que surgiu em 2012 no Oriente Médio.

Emergência de saúde pública internacional

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que o novo surto de coronavírus é uma emergência de saúde pública de interesse internacional. A designação é reservada para “eventos extraordinários” que representam um risco à saúde pública, ameaçando se espalhar internacionalmente.

É apenas a sexta vez que a OMS declara uma emergência de saúde global. Ocorreu apenas em casos raros de epidemias que exigem uma vigorosa resposta internacional, como a gripe suína H1N1 (2009), o ebola (2014) e o zika vírus (2016).

A declaração saiu após a confirmação do primeiro caso de transmissão do novo coronavírus de humano a humano nos Estados Unidos.

Transmissão

Coronavírus diferentes podem sofrer mutações e se recombinar, gerando agentes inéditos. Eles, raramente, podem pular entre espécies animais (os hospedeiros) e eventualmente infectar os seres humanos, como aconteceu com MERS e SARS .

São vírus comuns em muitas espécies diferentes de animais, como camelos, gado, gatos e morcegos. A origem do surto atual ainda não está clara, mas acredita-se que a fonte primária do vírus seja em um mercado de frutos do mar e animais vivos em Wuhan.

As investigações sobre transmissão do novo coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação por contato, está ocorrendo.

Sua transmissão acontece de forma semelhante à influenza (gripe), pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

  • Gotículas de saliva
  • Espirro
  • Tosse
  • Catarro
  • Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão
  • Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos

A Organização Mundial da Saúde anunciou que o nome oficial da doença causada pelo novo coronavírus passará a ser chamada de Covid-19.

Sintomas 

Nas infecções confirmadas por Covid-19, os pacientes variaram de pessoas que estão levemente doentes a pessoas que estão gravemente doentes e morrendo. Os sintomas podem incluir:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar

Os sintomas podem aparecer em apenas 2 ou 14 dias após a exposição ao vírus.

Situação atual

No último relatório global divulgado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) em 19 de março, foram 113.702 casos confirmados em 110 países. A situação mais emergencial, claro, é na China, que já apresenta 80.924 casos confirmados e 3.140 mortes.

Fora da China, já foram confirmadas 872 mortes:

  • Coréia do Sul: 7.513 casos confirmados e 54 mortes
  • Japão: 514 casos confirmados e 9 mortes
  • Austrália: 92 casos confirmados e 3 mortes
  • Filipinas: 33 casos confirmados e 1 morte
  • Itália: 9.172 casos confirmados e 463 mortes
  • França: 1.402 casos confirmados e 30 mortes
  • Alemanha: 1.139 casos confirmados e 2 mortes
  • Espanha: 1.024 casos confirmados e 28 mortes
  • Suíça: 332 casos confirmados e 2 mortes
  • Reino Unido: 323 casos confirmados e 3 mortes
  • Holanda: 321 casos confirmados e 3 mortes
  • San Marino: 49 casos confirmados e 2 mortes
  • Tailândia: 53 casos confirmados e 1 mortes
  • Irã: 7.161 casos confirmados e 237 mortes
  • Iraque: 61 casos confirmados e 6 mortes
  • Egito: 59 casos confirmados e 1 mortes
  • Estados Unidos: 472 casos confirmados e 19 mortes
  • Argentina: 12 casos confirmados e 1 mortes
  • Casos identificados em um navio de cruzeiro: 696 casos confirmados e 7 mortes

Mapa dinâmico que monitora casos do coronavírus

 

Mapa Dinâmico que monitora casos de Coronavírus

Esri/Reprodução

O Centro de Ciência e Engenharia de Sistemas da Universidade Johns Hopkins, de Baltimore, nos Estados Unidos criou um mapa dinâmico que possibilita o acompanhamento dos casos de contágio e mortes ocasionadas pelo coronavírus, com localizações exatas dos registros da doença.

Atualizado diariamente e com acesso público e gratuito, o Wuhan Coronavirus Global Cases oferece o número de ocorrências por estados e países, a quantidade de casos confirmados, de óbitos e de pacientes recuperados, além da evolução do surgimento de novos casos. Clique aqui para ter acesso ao mapa!

Coronavírus no Brasil

O Ministério da Saúde confirmou no último boletim do dia 10 de março que o Brasil apresenta 34 casos confirmados, além de 893 casos suspeitos e outros 780 descartados.

Os casos confirmados são em: São Paulo (19), Rio de Janeiro (8), Bahia (2), Alagoas (1), Minas Gerais (1), Espírito Santo (1), Rio Grande do Sul (1) e Distrito Federal (1).

Os pacientes se enquadraram na atual definição de caso suspeito para o novo coronavírus: todas as pessoas que chegarem ao Brasil de países da América do Norte, Europa e Ásia, e tiverem sintomas como febre, coriza, tosse, falta de ar poderão ser considerados casos suspeitos de COVID-19. 

O Ministério da Saúde atualiza diariamente os dados na Plataforma IVIS, com números sobre o novo coronavírus, definições de casos e eventuais mudanças que ocorrerem em relação a situação epidemiológica.

Prevenção: orientações

Para evitar a proliferação do vírus, são recomendadas algumas medidas básicas de proteção para agentes infecciosos, como:

  • Lavar as mãos com frequência usando produtos à base de álcool ou sabão e água
  • Ao tossir e espirrar, cubra a boca e o nariz com cotovelo ou algum tipo de tecido – jogue o tecido fora em seguida e lave as mãos
  • Evitar contato próximo com quem tem febre e tosse ou sofre de infecção respiratória aguda 
  • Se tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico com antecedência e compartilhe o histórico de viagens anteriores
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca sem lavar as mãos
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas
  • Usar máscaras que cobrem boca e nariz SOMENTE se apresentar o vírus COVID-19 ou tiver contato com alguém que apresenta

 

Fontes

Centers for Disease Control and Prevention. 2019 Novel Coronavirus, Wuhan, China. Disponível em: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/index.html

Ministério da Saúde. Novo Coronavírus. Disponível em: http://saude.gov.br/saude-de-a-z/novocoronavirus

World Health Organization. Novel Coronavirus (2019-nCoV). Disponível em: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019