Neuralgia do trigêmeo: causas, sintomas e tratamentos da pior dor do mundo

Atualizado em 28 de junho de 2018

|

Já ouviu falar na neuralgia do trigêmeo? Também chamada por alguns de nevralgia do trigêmeo ou tique doloroso, ela é considerada uma das dores mais fortes do mundo.

Trata-se de um distúrbio neuropático crônico que afeta o nervo trigêmeo, responsável por levar as informações de sensibilidade do rosto ao cérebro. Essa neuralgia é caracterizada por uma dor fortíssima e intensa nas áreas da face em que o nervo passa. Pode afetar pessoas de todas as idades, mas ela costuma aparecer mais em idosos.

O nervo recebe o nome “trigêmeo” por possuir três ramificações, que são:

  • Ramo Oftálmico – região dos olhos e testa;
  • Ramo Maxilar – maxilar superior;
  • Ramo Mandibular – mandíbula ou o maxilar inferior.

Cerca de 13 pessoas em cada 100 mil são diagnosticadas com neuralgia do trigêmeo por ano em todo o mundo.

Possíveis causas

A neuralgia do trigêmeo acontece quando a função do nervo acaba sendo interrompida. Geralmente, isso ocorre quando ele entra em contato com alguma veia ou artéria do rosto. Esse contato pressiona o nervo e provoca dores intensas.

Entretanto, não existe uma causa específica para que isso aconteça. Então, especialistas identificaram ao longo dos anos uma série de gatilhos que podem provocar a nevralgia ou desencadear um episódio de dor. Podem ser fatores muito simples do cotidiano e, também, alguns mais graves. Confira:

Fatores do dia a dia

  • Fazer a barba;
  • Lavar o rosto;
  • Acariciar o rosto;
  • Maquiar-se;
  • Mastigar ou beber;
  • Escovar os dentes;
  • Falar e sorrir;
  • Exposição a ventos fortes.

Fatores mais graves

  • Aumento da pressão arterial (hipertensão);
  • Infecções virais e intoxicações;
  • Esclerose múltipla;
  • Aneurisma, área de uma artéria que está inchada e enfraquecida;
  • Tumores;
  • Traumatismo facial;
  • Meningiomas, que são tumores benignos que surgem nas membranas do cérebro e medula espinhal;Neurinomas, tumores benignos no nervo principal, indo do ouvido interno até o cérebro;.

Sintomas da neuralgia do trigêmeo

A dor é a característica mais forte da nevralgia do trigêmeo. Ela costuma aparecer de forma espontânea, mas muitas vezes pode ser desencadeada quando ocorre o toque em um ponto específico do rosto (chamado de ponto-gatilho), que fica próximo aos lábios e à língua.

Por isso, comer, falar, beber ou sorrir podem acabar desencadeando o problema. Normalmente, apenas um lado do rosto é afetado. A dor é sentida durante alguns segundos e pode durar até alguns minutos.

A pior dor do mundo

A neuralgia é considerada por muitos especialistas da medicina, como a pior dor do mundo, superando até as dores do parto normal, da apendicite, de pedras nos rins e dor de dente. Da escala de dor, que vai de 0 (mínimo) a 10 (dor máxima), a única que alcança o nível máximo é a da neuralgia do trigêmeo.

Como é a dor?

Como mencionamos, a dor pode durar por apenas alguns segundos ou durar até alguns minutos. Isso, porém, não é uma regra. A frequência, intensidade e os gatilhos geralmente dependem da pessoa.

De todo modo, a dor pode ser descrita da seguinte forma:

  • Como uma pontada, a dor é mais leve e ocasional. Dura alguns segundos;
  • Repentina e muito forte, se assemelhando a um choque elétrico. Pode durar alguns segundos, mas a frequência tende a ser maior;
  • Sensibilidade extrema, com formigamento e queimação;

Bom lembrar que esses sintomas podem estar relacionados com outras doenças ou problemas, como é o caso de dores no rosto e no dente, entre outros. Então, caso apresente algum sintoma, é fundamental ir ao médico para identificar o que está acontecendo de fato.

Nem toda dor na face é neuralgia do trigêmeo.

Como se trata?

Como a neuralgia é um distúrbio crônico, não é resolvida rapidamente. Por isso é importante realizar os tratamentos possíveis para reduzir os sintomas, que prejudicam muito a qualidade de via.

A maioria dos tratamentos é realizada pelo uso de anticonvulsivos e de medicamentos específicos para aliviar as dores nos nervos.

Procedimentos médicos

  • Bloqueio de nervos: alivia a dor, graças a medicamentos anestésicos injetados perto do nervo do trigêmeo;
  • Microcirurgia: o procedimento é realizado nos vasos sanguíneos e nervos que estão em contato. O objetivo é separá-los para cessar os episódios de dor.

Medicamentos

  • Anticonvulsivos: forma mais comum no tratamento da neuralgia. Controla e previne as convulsões, além de aliviar as dores;
  • Tratamento para dor neuropática: impede a ocorrência da dor;
  • Sedativo: provoca sonolência, calma e deixam os sentidos (e os nervos) entorpecidos;
  • Relaxante muscular (baclofeno): reduz a tensão muscular e ajuda a aliviar a dor e desconforto muscular.

Tratamentos alternativos

  • Acupuntura: feita com o uso de agulhas, a técnica alivia as dores provocadas pela neuralgia;
  • Quiropraxia: tem o objetivo de tratar as lesões na região da face;
  • Biofeedback: funciona para relaxar os músculos;
  • Terapia vitamínica;
  • Terapia nutricional.

Tratamento radioativo

Os tratamento feitos com radiação agem na raiz do nervo, impedindo que os sinais de dor cheguem ao cérebro. Por isso é um tratamento bem eficaz. Um exemplo desse tratamento é a radio-cirurgia, na qual a radiação é usada para destruir partes do nervo trigêmeo. A lesão causada vai melhorando até passar de vez.

Grupos de risco

A neuralgia do trigêmeo é mais comum em pacientes mais velhos — grande parte das pessoas que apresentam a doença estão acima dos 50 anos de idade.

Uma das hipóteses para isso acontecer é que, com o tempo, as artérias localizadas próximas aos nervos vão endurecendo. Isso aumenta as chances de elas entrarem em contato com os nervos eventualmente.

Os especialistas também observaram a possibilidade da doença ser hereditária e de afetar mulheres com mais frequência do que homens. Eles destacam, porém, que qualquer pessoa, de qualquer gênero ou idade pode desenvolver a neuralgia.