O que é necrose e quais são seus tipos?

Atualizado em 17 de setembro de 2019

|

Pode ser que só de ouvir a palavra necrose você já tenha certa repulsa e cole na cadeira, porém o problema é muito mais comum e abrangente do que as ideias sugeridas em filmes. A morte do tecido pode ter diversas causas, as quais envolvem erros médicos, agentes químicos, biológicos e físicos. A seguir, saiba o que é e quais são os tipos de necrose.

O que é necrose?

Necrose é o resultado da morte de um tecido do corpo, sendo algo que pode acontecer internamente, como em um órgão, ou externamente, como na pele.

Para entender o que é necrose, você precisa pensar no corpo como um organismo vivo composto por grupos de células. Cada uma das células compõe todo o corpo, desde o sangue até os fios de cabelo, e têm papéis específicos, como mandar oxigênio, construir fibras e assim por diante.

Todas as células e tecidos do corpo precisam ser irrigados com sangue, caso contrário acabam morrendo. Ou seja, ocorre quando algum tecido do corpo não recebe o fluxo de sangue que precisa, fazendo com que se deteriore e morra, processo que é irreversível.

Tipos de necrose

De coagulação

Conhecida como isquêmica, acontece pela falta de sangue no tecido.

De liquefação

Comum em infecções e infartos cerebrais, é definido como um processo inflamatório. Nesse caso, o sistema imunológico tenta eliminar os micro-organismos invasores e acabam afetando o tecido.

Caseosa

Comum em casos de tuberculose, esse tipo de necrose começa com os tecidos do corpo ficando com tons esbranquiçados e amarelados.

Fibrinoide

Ocorre em casos de pacientes com doenças autoimunes, como o lúpus.

Gangrenosa

Uma das mais comuns e conhecidas pela população, é quando um membro do corpo para de receber sangue, resultando em sua morte.

Principais causas

Depois de conhecer um pouco mais sobre o que é necrose, é chegada a hora de entender suas causas. De forma geral, é possível dividi-las em quatros grandes grupos:

Agentes químicos

Nesse caso, acontece devido à ingestão ou ao contato direto da pele com substâncias químicas, sejam elas tóxicas ou não. Por exemplo, é comum em usuários de drogas, principalmente as injetáveis, resultando na morte do tecido próximo aos locais de aplicação.

Detergentes, álcool e outras substâncias também podem gerar necrose química.

Agentes físicos

Nos casos de agentes físicos, ocorre devido a extremos de temperatura, efeitos magnéticos, processos de radiação ou a chamada ação mecânica.

Por exemplo, é comum que pessoas que morem em regiões muito frias e com neve precisem ter cuidado redobrado em proteger o nariz e os dedos das mãos e dos pés, visto que essas regiões podem sofrer com a temperatura baixa, resultando na falta de sangue e oxigenação.

Agentes biológicos

Os agentes biológicos são mais comuns em pacientes que passaram por cirurgias e tiveram abertura dos pontos, assim como casos de feridas abertas. Ambos os casos favorecem infecções, que podem ser virais, bacterianas, fúngicas e decorrentes de parasitas.

Necrose de causa de insuficiência circulatória

Nesse último caso de possível causa de necrose, a morte do tecido ocorre por questões isquêmicas, como o resultado de úlceras e infartos, muito comuns em pacientes com diabetes tipo 1 ou tipo 2.

O que fazer?

Aos primeiros sinais de morte do tecido, procure por atendimento de qualidade. Lembre-se que seu corpo e vida que estão em risco, portanto questione sobre credencial, experiência e local onde serão realizados os cuidados.