Morte súbita: causas, sintomas prévios e como evitar

31 de maio de 2019

|

POR Gabriele Amorim

Morte súbita é um mal, segundo o próprio nome, totalmente inesperado e que geralmente é fruto de condições desconhecidas ou negligenciadas. Se não tratado imediatamente, pode levar à morte, porém com rápidos e apropriados cuidados é possível sobreviver.

Continue lendo e entenda as causas de morte súbita, fatores de risco, como evitar e o que fazer perante ela:

O que é?

Morte súbita acontece quando o coração para de bater ou o cérebro para de funcionar de maneira totalmente inesperada.

Segundo o cardiologista Sérgio Timerman, do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP (Incor), este mal pode acometer pessoas de qualquer idade ou sexo. “Existe maior prevalência em indivíduos com mais de 40 anos com doenças preexistentes ou histórico familiar. Contudo, a morte súbita pode sim atingir pessoas com histórico médico, mas até então saudáveis e jovens”, explica.

Diferença para ataque cardíaco

Ataque cardíaco, ou infarto do miocárdio, ocorre quando uma ou mais artérias que nutrem o coração sofrem um bloqueio, desfavorecendo o bombeamento de sangue pelo órgão

A condição não é a mesma coisa que morte súbita, embora possa causá-la.

Causas

A maioria dos casos de morte súbita está ligada a infarto do miocárdio, arritmias, acidente vascular cerebral (AVC) e, em menor frequência, defeitos congênitos do coração e de vascularização.

Em casos de morte súbita em bebês, as causas mais comuns são malformação do coração, problemas respiratórios e engasgos.

Já em jovens, os casos estão se tornando cada vez mais comuns principalmente por causa de sedentarismo, consumo de álcool e drogas, bem como estresse.

Fatores de risco

Alguns fatores associados podem elevar o risco e contribuir para que o quadro de morte súbita aconteça.

Sintomas

Na maior parte dos casos, a morte súbita ocorre sem apresentar sintomas prévios. Porém, há relatos de pessoas que sentiram sintomas específicos entre 24 e 48 horas antes do quadro, como:

É possível evitar?

Mesmo que inesperado, o mal pode ser prevenido por meio de ações contra os fatores de risco, como manter alimentação saudável e se exercitar, e acompanhamento médico regular.

Além disso, qualquer sintoma percebido, mesmo sem histórico de doença, deve ser investigado o mais rápido possível e não negligenciado.

O que fazer em uma situação de emergência?

Com agilidade e consciência é possível agir em situação de emergência e evitar que uma pessoa chegue ao óbito, visto que cada minuto que passa após a parada cardíaca representa 10% de aumento das chances de morte.

Por isso, o passo a passo para prestar primeiros socorros em caso de morte súbita é:

1. Checar se a pessoa está respirando;

2. Se sim, solicitar socorro imediatamente ao Corpo de Bombeiros e SAMU ligando, respectivamente, para os números 193 e 192;

3. Caso a pessoa não esteja respirando, deve-se chamar o socorro e iniciar a massagem cardíaca fazendo, pelo menos, cem compressões por minuto até a ajuda especializada chegar.

Fonte

Cardiologista Sérgio Timerman, diretor do Laboratório de Treinamento e Simulação em Emergências Cardiovasculares do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP (Incor) – CRM 44351

Cardiologista Hélio Castello, diretor do grupo Angiocardio – CRM 55768 SP