Leite e espinhas: afinal, a bebida causa acne? Especialista responde

Atualizado em 05 de julho de 2018

|

POR Ligia Lotério

Embora a acne seja uma condição que afeta muitas pessoas, ainda há diversas dúvidas e mistérios sobre o assunto. Um dos mais famosos e controversos é se leite dá espinha.

É sabido que uma boa alimentação é mais do que essencial para evitar as lesões avermelhadas na pele, mas será que o consumo de laticínios realmente pode aumentar sua incidência? Confira:

Leite e espinhas: qual é a relação?

 

Diagrama que mostra como a acne é formada na pele.

Designua/Shutterstock

De acordo com a dermatologista funcional Cris Mendes, da Clínica Patricia Davidson Haiat, a relação entre leite e acne é verdadeira e frequentemente identificada em consultório.

Apesar de os laticínios serem parte da alimentação de uma massiva parte da população brasileira e terem diversos benefícios para a saúde, eles nem sempre passam impunes no desenvolvimento de acne devido aos seguintes componentes:

IGF-1

O chamado Fator de Crescimento Semelhante à Insulina do leite é uma substância essencial para o crescimento do bezerro, mas que em humanos estimula a oleosidade da pele, o que facilita o entupimento dos poros e, consequentemente, o desenvolvimento da acne.

Diidrotestosterona e Testosterona

Outra relação entre leite e espinhas se refere a estes hormônios masculinos, os quais também têm ação positiva no crescimento do bezerro. A ingestão por humanos estabelece excesso das substâncias se somadas à produção natural do organismo.

Como resultado, a diidrotestosterona e a testosterona se ligam aos receptores das glândulas sebáceas e as hiperativam, ou seja, as fazem produzir ainda mais oleosidade.

Inflamação

De acordo com a dermatologista, algumas pessoas desenvolvem hipersensibilidade ao leite, o que gera uma resposta inflamatória que também reflete negativamente nas espinhas.

O que fazer?

 

Três garrafas de leite, uma ao lado da outra

Valerii__Dex/Shutterstock

O leite causa acne somente em pessoas com histórico ou predisposição para tal, então o ideal é observar os efeitos do consumo sob a pele e, caso sejam confirmados, evitar o alimento.

Buscar auxílio de um dermatologista e de um nutricionista também é essencial para investigar outras possíveis causas de espinhas e cravos, tratar as lesões e adequar a ingestão de cálcio e proteínas após a exclusão dos laticínios.

Alimentação contra acne

Além de tomar cuidado com derivados do leite, quem tem muita acne deve evitar alimentos de alto índice glicêmico, cujo pico de glicose no sangue influencia os níveis hormonais e estimula a produção excessiva de sebo, a qual favorece as lesões cutâneas. Neste grupo estão os preparados com farinha refinada e os doces.

Também é indicado manter-se longe dos alimentos  que facilitam inflamações, como carne de boi, embutidos, bebidas alcoólicas e frituras.