Como o isolamento social afeta o sono na pandemia? Sinais de alerta

Atualizado em 27 de maio de 2020

|

POR Bruno Botelho dos Santos

A pandemia por causa do novo coronavírus (COVID-19) exige o isolamento ou quarentena para evitar a propagação do vírus. Esse quadro causa uma grande mudança nas rotinas, que pode afetar a qualidade do sono, entre outras coisas.

A má qualidade das noites de sono pode gerar impacto tanto na saúde física e emocional das pessoas, como aumento de estresse e ansiedade, redução da concentração e diminuição da produtividade. Saiba mais sobre como o isolamento social afeta o sono e o que fazer.

Como a pandemia e o isolamento social afetam a qualidade do sono das pessoas?

Com rotina fechada dentro de casa, as pessoas podem exagerar e ter hábitos nada saudáveis, como: ficarem muito tempo conectadas, se perder nos horários, se perder nas suas rotinas, que eram diferentes.

Assim, se alimentam de uma forma ineficaz, em horários desorganizados, se perdem nos horários de acordar e de dormir, muitas vezes apresentando uma rotina de sono completamente em irregular, instável e negativa somada a toda preocupação natural que envolve o momento, com medos, receios e ansiedades.

O isolamento provocado pela pandemia acaba gerando mais ansiedade, depressão e medo, afetando, dessa forma, a qualidade do sono de muitas pessoas.

Qualidade do sono afetada

“A incerteza e insegurança de como será a sua vida, e quando tudo isso vai acabar. Com essa rotina irregular de sono o corpo sente esse impacto, tanto fisicamente, organicamente, quanto emocionalmente”, explica a psicóloga Veruska Ghendov.

O isolamento provocado pela pandemia acaba gerando mais ansiedade, depressão e medo, afetando, dessa forma, a qualidade do sono de muitas pessoas.

Segundo a neurologista Célia Roesler, ao dormir mal sentimos muita fadiga, não temos estímulo para nos exercitar, a memória fica prejudicada e o rendimento piora muito, além de irritabilidade e até mesmo compulsão alimentar surgirem.

Com a rotina irregular de sono, o corpo sente o impacto, tanto fisicamente, organicamente, quanto emocionalmente. Para ter qualidade de vida emocional e orgânica saudáveis o sono é imprescindível.

Através dele que as restaurações orgânicas ocorrem e é justamente no período de sono REM – fase do sono na qual ocorrem os sonhos mais vívidos – que essas restaurações acontecem.

Sem esse sono profundo, o corpo fica fragilizado, a imunidade cai, o processo emocional fica completamente alterado, apresentando irritabilidade e sensibilidade excessiva e passa ser facilmente afetado por toda essa situação.

Além disso, também há uma desregulação do ciclo sono-vigília por causa do estresse.

Quais comportamentos podem ser apresentados ou agravados?

As alterações causadas pela irregularidade de sono tiram a estabilidade emocional e orgânica humana, muitas vezes com o esgotamento, levando a sintomas como:

  • Ansiedade elevada
  • Angústia
  • Depressão
  • Problemas psicossomáticos, que envolvem mente e corpo
  • Estresse
  • Estafa física e mental
  • Irritabilidade elevada
  • Agressividade
  • Comportamentos negativos

Sinais de impacto no sono

Alguns dos principais sinais de impacto no sono, são:

  • Dificuldade de pegar no sono
  • Dificuldade de manter o sono
  • Sono não tem sido reparador, então as pessoas acordam cansadas, sem ter o reparo normal de uma boa noite de sono
  • Sonolência durante o dia
  • Alterações no humor (como irritabilidade)
  • Desatenção
  • Falta de energia

Uma coisa que está acontecendo muito é que as pessoas estão indo dormir mais tarde, mas tendo dificuldade de acordar cedo.

“Estão aumentando muito o número de sonecas durante o dia, elas são prejudiciais por quebrar o ciclo normal de sono, então as pessoas apresentam muita insônia ao dormir durante o dia”, explica o neurologista Fábio Porto.

A insônia está acontecendo pela quebra da rotina e pelo estresse. A redução das atividades físicas, com o menor gasto de energia, reflete no sono, tanto de pegar no sono quanto de manter o sono.

“Outros distúrbios do sono que os pacientes vêm apresentando são pesadelos ou sonhos vívidos. Muitas vezes acordam assustados no meio da noite e não conseguem dormir mais”, completa a neurologista Célia Roesler.

O que fazer? Veja algumas dicas essenciais

É fundamental tentar manter ao máximo a rotina, mesmo na quarentena e adversidades, para que tenha uma rotina estruturada bem planejada pensando as necessidades para a qualidade de vida.

Veja algumas dicas essenciais:

  • Procure manter a regularidade e padrão de sono, como tentar acordar sempre no mesmo horário, não dormir durante o dia (se for dormir, não mais que 30 a 40 minutos de soneca) e tentar manter o mesmo horário de ir para a cama
  • Evitar ficar com tela eletrônica (como celular, tablet e TV) antes de dormir. A luz nos olhos logo antes de dormir desregula o ciclo do sono
  • Evitar ou limite as informações sobre a pandemia, que podem causar mais ansiedade e estresse
  • Tome pelo menos 15 minutos de sol diariamente. O sol ajuda a sincronizar o sono
  • Tentar manter algum grau de atividade física para gastar energia, ainda que em casa
  • Mantenha uma alimentação saudável. Faça uma alimentação leve no jantar e não exagere no álcool, pois este prejudica a qualidade do sono
  • Tente racionalizar as coisas e afastar os pensamentos ruins como a possibilidade de perder algum familiar, o emprego, não conseguir pagar as contas, entre outras

 

Fontes

Neurologista Célia Roesler, da Clínica de Cefaleia e Neurologia – Dra. Célia Roesler/Membro Titular da Academia Brasileira de Neurologia (ABN) – CRM 37.949 – RQE 62.693

Neurologista Fábio Porto, do CINP – Centro Integrado de Neuropsiquiatria e Psicologia Comportamental – CRM 121.717 RQE 60.735

Psicóloga Veruska Ghendov, do Consultório de Psicologia Veruska Ghendov – CRP 06/59039