Insolação: o que é, sintomas e o que fazer diante uma crise

18 de dezembro de 2018

|

POR Bruno Botelho dos Santos

A exposição a altas temperaturas pode ser muito perigosa ao organismo, de modo a predispor doenças, em especial a insolação.

O problema acontece quando o corpo não consegue controlar sua temperatura, que aumenta rapidamente e gera mal-estar e uma série de outros sintomas.

Se não tratada rapidamente, a insolação pode gerar danos definitivos ao cérebro, o coração, os rins e os músculos. Saiba mais:

O que é insolação?

Insolação, também chamada de heliose, é o termo usado para designar o mal-estar decorrente do superaquecimento do corpo, geralmente como resultado da exposição solar intensa e prolongada.

A condição ocorre quando a temperatura corporal passa dos 40°C, então o mecanismo de transpiração falha e o corpo não consegue se resfriar. É mais comum no verão.

Quais são suas causas?

Exposição ao calor

Ficar em ambientes quentes por longos períodos gera a insolação não-exaustiva ou clássica, comum em adultos mais velhos e pessoas com doenças crônicas.

Atividade intensa

A insolação ainda pode ser causada por aumento na temperatura corporal interna devido à intensa atividade física em clima quente.

Fatores de risco

Alguns fatores podem aumentar o risco de insolação, eles são:

  • Não ingerir líquidos adequadamente;
  • Vestir roupas em excesso;
  • Portar doenças crônicas, como diabetes ou obesidade;
  • Tomar medicamentos que alteram a resposta corporal ao calor, como vasoconstritores, betabloqueadores, diuréticos e antidepressivos;
  • Consumir álcool ou cafeína em excesso, que afetam a capacidade do corpo de regular a temperatura.

As populações mais vulneráveis ao problema são crianças e idosos, além das pessoas que esquecem de se hidratar durante a exposição ao sol.

Sinais e sintomas de insolação

 

tontura

Kleber Cordeiro/Shutterstock

Os sintomas de insolação incluem:

  • Temperatura corporal acima de 40°C
  • Dor de cabeça
  • Náusea
  • Vômito
  • Pele quente
  • Pulso rápido
  • Distúrbios visuais
  • Confusão mental
  • Fala arrastada
  • Irritabilidade
  • Respiração rápida e difícil
  • Pele avermelhada
  • Palidez
  • Convulsão
  • Desmaio

Diagnóstico

História clínica bem avaliada e exame físico adequado são suficientes para o diagnóstico de insolação.

Ainda assim alguns exames podem ser solicitados para confirmar o quadro:

  • Avaliação de temperatura corporal: temperaturas de 40ºC ou mais costumam ser sinal de insolação
  • Exame de sangue: serve para checar as taxas de sódio e potássio e avaliar se há danos ao sistema nervoso
  • Exames de imagem (como o raio-X e tomografia): avalia se houve danos em outros órgãos
  • Exame de urina: checa o funcionamento dos rins e se houve complicações por causa da insolação
  • Testes de função muscular: avalia se houve dano ao tecido muscular

Qual profissional procurar?

O ideal é buscar um clínico no atendimento de emergência.

Complicações

A insolação pode causar algumas complicações que variam conforme a duração da elevação da  temperatura do corpo.

Desidratação

Como a insolação é causada pelo excesso de exposição ao sol por longos períodos, sem ingestão de água ou reposição de fluidos, pode gerar também desidratação.

Danos permanentes aos órgãos

Caso não ocorra uma resposta rápida à temperatura corporal elevada, a insolação pode fazer com que o cérebro ou outros órgãos vitais sofram danos permanentes.

O cérebro, por exemplo, pode não se recuperar totalmente e ficar com sequelas, como alteração da personalidade, letargia (profunda e prolongada inconsciência) ou falta de coordenação.

Morte

O problema pode ser fatal caso não haja tratamento emergencial imediato.

Tem cura?

Insolação tem cura, desde que o tratamento seja feito rapidamente e adequadamente.

Tratamento e como ajudar alguém com insolação

O tratamento para insolação tem como medida imediata a redução da temperatura corporal, lenta e gradativamente. Para isso, segundo a Biblioteca Virtual da Saúde do Ministério da Saúde, deve-se primeiro realizar algumas ações simples, como:

  • Remover a pessoa para um local fresco, à sombra e ventilado;
  • Remover o máximo de peças de roupa possível;
  • Caso o indivíduo esteja consciente, deve ser mantido em repouso e com a cabeça elevada e encostada;
  • Oferecer bastante água fria ou gelada ou qualquer líquido não alcoólico disponível;
  • Se possível, borrifar água fria em todo o corpo da pessoa, delicadamente;
  • Aplicar compressas de água fria na testa, pescoço, axilas e virilhas;
  • Se possível, dar um banho de água fria no indivíduo.

É importante que a pessoa com desidratação seja tratada rapidamente para evitar complicações. Em casos mais graves, é necessário procurar atendimento médico de emergência.

Como prevenir?

As melhores formas de prevenção é tomar cuidado com a exposição ao sol e sempre lembrar de ingerir líquidos para repor o que está sendo perdido.

Além disso, deve-se seguir as seguintes recomendações:

  • Evitar tomar sol nos horários mais quentes do dia (das 11 horas da manhã às 3 horas da tarde);
  • Beber muito líquidos e evitar bebidas alcoólicas (que causam perda de líquidos). De preferência tomar água, água de coco e sucos de frutas naturais;
  • Usar roupas leves e claras, que não fiquem apertadas (desconfortáveis no corpo), de preferência as de algodão;
  • Usar protetor solar com fator 30 ou mais;
  • Ao fazer exercícios, se hidratar bastante antes, durante e depois;
  • Consumir alimentos leves, como frutas e verduras.

Fontes

Dermatologista Domimberg Ferreira, da Clínica Sementes e membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia – CRM 130971

Biblioteca Virtual em Saúde (Ministério da Saúde). Insolação. Disponível em: bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2081-insolacao

Mayo Clinic. Heatstroke. www.mayoclinic.org/diseases-conditions/heat-stroke/diagnosis-treatment/drc-20353587