Infecção urinária: sintomas, causas, remédios e prevenção

13 de dezembro de 2018

|

POR Gabriele Amorim

Dor ao urinar e vontade de ir ao banheiro constante podem ser sintomas de infecção do trato urinário (ITU), conhecida popularmente como infecção urinária. Mais frequente entre as mulheres, o problema pode evoluir para complicações graves e até fatais. Saiba mais:

O que é?

Trata-se de qualquer infecção, sendo bacteriana, viral, fúngica ou parasitária, que acomete qualquer órgão do sistema urinário, o qual inclui:

  • Rins: responsáveis por filtrar o sangue para produzir urina
  • Ureteres: tubos que transportam a urina dos rins para a bexiga
  • Bexiga: responsável por armazenar a urina
  • Uretra: tubo que transporta a urina da bexiga para o exterior do corpo

Qualquer ponto do sistema urinário pode ser acometido por uma infecção. Em geral, as bactérias entram pela uretra e progridem até encontrar um local que esteja propício para sua permanência e disseminação.

Se a infecção permanecer apenas na bexiga, o nome utilizado para tal é cistite. Caso progrida e viaje até os rins, ocorre um quadro um pouco diferente e mais grave, a pielonefrite.

Causas

Infecção urinária é, geralmente, causada por contaminação de micro-organismos no sistema urinário ou em suas proximidades.

Essas infecções são mais comuns em mulheres que já iniciaram a vida sexual, mas podem também ocorrer em idosos e em crianças.

Eventualmente, instrumentos utilizados para auxiliar o esvaziamento da bexiga de indivíduos que necessitem deste tipo de suporte, como portadores de sonda vesical ou cadeirantes que necessitam de cateteres para urinar, predispõem à contaminação que leva às infecções urinárias.

Fatores de risco

Os principais fatores que aumentam as chances de uma pessoa apresentar infecção urinária são:

  • Sexo feminino: características anatômicas – a uretra é mais curta e mais próxima do períneo, região entre o ânus e a vagina – aumentam o risco de contaminação;
  • Manipulação do sistema urinário: como colocação de sondas;
  • Idade avançada: por menor intensidade das respostas do sistema imune;
  • Condições que reduzem a imunidade: como diabetes ou imunodeficiências.

Sintomas

Os sintomas de infecção urinária dependem do ponto em que a infecção está instalada.

Cistite

Os sintomas típicos de uma cistite incluem:

  • Dor ao urinar
  • Ardência ao urinar
  • Vontade de urinar frequente, com saída de quantidades pequenas de urina
  • Necessidade de urinar urgentemente
  • Sangue na urina
  • Desconforto no abdômen inferior

No entanto, os sintomas não significam necessariamente cistite. Ardor ao urinar pode, também, ocorrer em mulheres com infecções vaginais, como candidíase, ou em pessoas com uretrite, que é a inflamação da uretra. Assim, vale buscar um médico para realizar exames e diferenciar as condições.

Pielonefrite

A pielonefrite, infecção urinária dos rins, por sua vez, pode causar os mesmos sintomas que uma infecção da bexiga pois começa como uma simples cistite. Conforme progride e acomete o rim, podem surgir manifestações mais alarmantes:

  • Febre, com temperatura superior a 38 graus
  • Dor no flanco, em um ou ambos os lados da parte inferior das costas, em que os rins estão localizados
  • Náuseas ou vômitos

Ou seja, a avaliação médica é sempre muito importante para o diagnóstico correto.

Diagnóstico

Em geral, o histórico clínico e o exame físico são suficientes para definir o diagnóstico e, então, o início imediato do tratamento. No entanto, exames de urina podem ser de extrema utilidade.

Urina tipo 1

O exame de urina tipo 1 é capaz de identificar a presença de células de defesa que surgem em situações em que a resposta imune é necessária.

Esse mesmo teste mostra se há ou não traços de sangue na urina, o que também é um indicativo bastante sugestivo de agressão interna.

Urocultura

Idealmente, é importante também possuir um exame de cultura de urina, mais conhecido como urocultura. Ele revela se há ou não bactérias na amostra, como a escherichia coli. Além disso, determina qual o tipo de bactéria está causando a infecção urinária e quais antibióticos podem ser utilizados no tratamento, por meio do antibiograma.

O grande inconveniente da urocultura e do antibiograma é seu longo tempo de execução. Esses exames levam de dois a sete dias para serem concluídos.

Qual profissional devo procurar?

O diagnóstico de infecção urinária precisa ser determinado necessariamente por um médico, independentemente de sua especialidade.

Algumas ocupações estão mais familiarizadas com a infecção de urina, como ginecologistas, geriatras, pediatras, e, principalmente, nefrologistas e urologistas – que lidam diretamente com aparelho urinário.

Tem cura?

Todas as infecções de urina podem ser tratadas. A base do tratamento são os antibióticos, que devem ser determinados caso a caso. Em quadros mais graves, como quando há cálculos urinários envolvidos, cirurgias podem ser necessárias.

Tratamento para infecção urinária

 

Mulher com dor abdominal.

ANN PATCHANAN/ShutterStock

Remédios

Em jovens e adultos saudáveis que apresentam infecção urinária, o tratamento inclui uso de doses únicas até cursos de cinco a sete dias de antibióticos.

Em geral, os sintomas devem começar a desaparecer logo nas primeiras 24 horas do início do tratamento. É importante tomar o curso completo de antibióticos para eliminar completamente a infecção urinária.

Ingestão de água

Aumentar a ingestão de água também pode auxiliar bastante no tratamento, uma vez que a urina concentrada favorece a persistência do quadro.

Não há uma quantidade específica de líquido a ser tomada, mas deve ser o suficiente para manter a urina clara.

Prognóstico

O prognóstico da infecção urinária é muito bom, desde que o profissional da saúde seja consultado logo no início dos sintomas e que o tratamento seja instituído rápida e adequadamente.

Riscos

O maior risco é a progressão para outros órgãos, que gera infecção generalizada ou sepse, complicações que necessitam de medidas mais intensivas e podem, até mesmo, colocar a vida do paciente em risco.

Como regra geral, as complicações se instalam quando as infecções não são tratadas com agilidade, especialmente em indivíduos imunodeprimidos, como diabéticos, e idosos.

Prevenção

Urinar após a relação sexual

Trata-se de uma medida extremamente simples e que não causa desconforto algum. O hábito de urinar após a relação sexual pode remover bactérias do interior da uretra da mulher, assim, reduzindo a ocorrência de cistites.

Aumentar a ingestão de água

Manter o xixi diluído no interior da bexiga certamente torna o ambiente do sistema urinário menos propício para o surgimento de infecções. Como regra, é importante beber quantidade de água suficiente para manter a cor da urina clara.

Como evitar infecção urinária de repetição?

Outras medidas mais intervencionistas podem ser adotadas com supervisão médica, como a prevenção com uso de antibióticos, que pode ser necessária caso haja falha das demais medidas e infecções urinárias de repetição.

Os antibióticos são altamente eficazes, mas podem trazer efeitos secundários e promover o crescimento de bactérias resistentes, mais difíceis de tratar.

Portanto, profilaxia com antibióticos só deve ser considerada depois de testadas as abordagens indicadas acima.

De qualquer modo, o diagnóstico e acompanhamento médico são essenciais.

Fonte

Urologista Guilherme Leme, especialista em reprodução humana – CRM/SP 112920