Imunidade baixa: sintomas e como aumentar com alimentos e hábitos

15 de julho de 2019

|

POR Bruno Botelho dos Santos

A imunidade desempenha função notável na prevenção de micro-organismos causadores de doenças, porém ela às vezes falha, permitindo que um germe invada o corpo e deixe-o doente. Felizmente, na maior parte dos casos é possível intervir no processo.

Apesar de a imunidade baixa ter origem em diversos fatores, pode ser prevenida e revertida com pequenas mudanças no dia a dia, como suplementação, melhora da alimentação e estilo de vida saudável. Continue lendo e saiba mais.

O que é imunidade?

Sistema imunológico é o mecanismo que o organismo usa para se defender de doenças, como infecções e alergias. Quando ele está enfraquecido, há maior propensão a gripes, resfriados e outros acometimentos que podem ser de grande ou pequena gravidade.

Causas de imunidade baixa

Alguns fatores podem contribuir com a queda da imunidade, como:

  • Sono insuficiente
  • Estresse prolongado
  • Má alimentação
  • Excesso de exercícios físicos
  • Variações hormonais
  • Medicamentos que afetam a imunidade, como corticoides e antibióticos
  • Algumas doenças, como câncer, AIDS e lúpus
  • Quimioterapia
  • Predisposição genética
  • Obesidade
  • Alcoolismo
  • Gestação

Sinais e sintomas de baixa imunidade

As manifestações variam muito de pessoa para pessoa, mas costumam incluir:

Aftas

Quando as defesas do corpo estão debilitadas, a afta surge com mais frequência.

Cansaço

Sentir-se extremamente cansado pode significar que algo está errado com as defesas do corpo. Geralmente, nem o sono ajuda nessas situações e articulações e músculos também podem doer.

Problemas intestinais

Diarreia que dura mais de duas semanas pode ser sinal de alerta de que o sistema imunológico prejudica o revestimento do trato digestivo.

Constipação também é uma preocupação: se a defecação é difícil, o sistema imunológico pode estar forçando o intestino a desacelerar.

Mãos frias

Vasos sanguíneos inflamados estão diretamente ligados à imunidade baixa e resultam em redução do fluxo para extremidades, como dedos, orelhas e nariz. A pele nessas áreas pode ficar fria e branca ou azulada.

Queda de cabelo

A imunidade baixa pode levar o organismo a atacar os próprios folículos pilosos, gerando expressiva perda de cabelo, chamada clinicamente de alopecia.

Erupção cutânea

A pele é a primeira barreira do corpo contra germes, portanto o aparecimento de erupções e feridas nela pode indicar estado ruim do sistema imunológico.

Doença autoimune

Às vezes, o sistema imunológico combate células do próprio organismo – quadro caracterizado como doença autoimune – , o que pode se reverter em imunidade baixa. Geralmente, condições desse tipo geram queda de cabelo, icterícia, manchas brancas e dores locais.

Ficar doente constantemente

É provável que uma pessoa com imunidade baixa contraia infecções com mais frequência do que a maioria das pessoas. Além disso, essas doenças podem ser mais graves ou difíceis de tratar. As condições mais comuns são estomatite, artrose, meningite, sepse, otite, gripe, candidíase, herpes e amigdalite.

Essas doenças podem se repetir com certa frequência e, por isso, é fundamental procurar um médico caso apresente alguma.

Como melhorar a imunidade?

Melhorar a imunidade não é tão difícil quanto parece, visto que pequenas mudanças são capazes de fazer uma grande diferença nas defesas do corpo. Veja as principais:

Durma bem

O corpo precisa de energia suficiente para combater micro-organismos nocivos à saúde, o que só é possível com adequada quantidade e qualidade de sono. Isso explica o porquê de gripe e outras infecções gerarem vontade de dormir o dia todo.

A falta de sono apresenta efeito similar no sistema imunológico ao estresse, de modo a interromper a produção normal de glóbulos brancos, componentes fundamentais do sistema imunológico.

O recomendado é que adultos durmam ao menos sete horas por dia, enquanto bebês e crianças tenham de nove a 11 horas de sono diariamente.

Se exercite

Atividade física regular é um pilar importante da vida saudável, visto que melhora a saúde cardiovascular, reduz a pressão arterial, ajuda a controlar o peso e evita uma variedade de doenças.

Assim como uma dieta saudável, o exercício pode contribuir para o mantimento do sistema imunológico saudável, gerando respostas rápidas e eficazes contra infecções.

Evite o estresse

Estresse é uma resposta física do organismo que libera substâncias que propiciam quadros de imunidade baixa, de modo a aumentar a chance de problemas de saúde.

Assim, o ideal é adotar medidas para reduzir e controlar o estresse, como yoga, meditação e acupuntura.

Aposte na suplementação

A carência de algumas vitaminas e minerais pode enfraquecer o sistema imunológico, como é o caso de vitaminas A, C, D e E, bem como ferro, ácido fólico e zinco.

Embora seja recomendável dar preferência a nutrientes obtidos por fontes alimentares, a suplementação pode ser um caminho rápido para melhorar a imunidade, desde que seja prescrita por um especialista.

Alimentação equilibrada

Manter uma dieta saudável e equilibrada é de longe uma das alternativas mais eficazes para fortalecer as defesas imunes. Para isso, vale apostar em vegetais e frutas funcionais.

O que comer para melhorar a imunidade?

Alimentos com vitamina C

Frutas cítricas – como laranja, abacaxi e mexerica – são ricas em vitamina C, nutriente antioxidante que aumenta a resistência do sistema imunológico.

Alimentos com ácido fólico

Couve, cogumelo, espinafre, fígado e feijões são alimentos ricos em ácido fólico, vitamina do complexo B que auxilia na formação de glóbulos brancos – responsáveis pela defesa do organismo.

Alimentos com zinco

Castanhas, carnes e sementes são fontes de zinco, mineral que equilibra o sistema imunológico.

Alho

Alho é um potente bactericida e antifúngico natural que, por apresentar vitaminas A, C, e E, é aliado da imunidade.

Cebola

A cebola possui quercetina, um flavonoide antioxidante que reduz chances de infecções.

Própolis

O própolis ativa a produção de citocinas, que nada mais são que moléculas que modulam a imunidade.

Iogurte e leite fermentado

Reconhecidos por serem probióticos, possuem micro-organismos vivos que recuperam a flora intestinal e fortalecem o sistema imunológico. Uma alternativa natural às versões industrializadas é a cultura caseira kefir.

Gengibre

O gengibre possui propriedades anti-inflamatórias, como vitaminas B6 e C, essenciais para evitar imunidade baixa.

Castanha-do-pará

Castanha-do-pará é fonte de selênio, um mineral repleto de antioxidantes que combatem os radicais livres que prejudicam células saudáveis e favorecem o aparecimento de doenças.

Fontes

Nutricionista Débora Copelli de Lima, especialista em nutrição esportiva e clínica. CRN 53692

Institute for Quality and Efficiency in Health Care. How does the immune system work? Disponível em: www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK279364/