Hérnia umbilical: causas, sintomas e tratamento cirúrgico

Atualizado em 26 de agosto de 2019

|

A hérnia umbilical acontece quando os músculos abdominais extravasam pelo umbigo, formando, em alguns casos, um abaulamento na região. Além do incômodo estético, o quadro pode gerar dor e complicações que colocam a vida do paciente em risco. Para tratá-lo, geralmente é preciso que uma cirurgia seja feita. Saiba mais:

O que é?

A parede abdominal é formada por músculos e por uma capa que os recobre, camada de aponeurose. No caso das hérnias umbilicais, há uma falha ocasionada por fraqueza na região que se inseriu o cordão umbilical na fase intra útero.

Segundo o cirurgião gastroenterologista Iuri Tamasauskas, do Centro Médico Consulta Aqui, com o aumento da hérnia, o conteúdo intra-abdominal (gordura ou partes do intestino) pode passar pelo defeito e se projetar pelo músculo, sendo contido pela pele.

Causas

As causas de hérnias estão relacionadas ao aumento de pressão na região, o que gera fraqueza e motiva o extravasamento do tecido.

Fatores de risco

As hérnias umbilicais acometem 10% a 25% da população e são mais frequentes nos seguintes grupos:

  • Mulheres
  • Bebês com baixo peso ao nascer
  • Crianças com ascendência africana
  • Portadores de síndromes específicas, como a mucopolissacaridose e a síndrome de Down
  • Pessoas obesas
  • Indivíduos que fazem intenso esforço abdominal, como trabalhadores da construção civil e halterofilistas
  • Tossidores crônicos
  • Pacientes hepáticos
  • Pessoas com desnutrição

Diagnóstico

O diagnóstico geralmente é obtido por meio de anamnese – entrevista que o profissional de saúde submete o paciente – e exame físico. No segundo, o médico pode pressionar o abdômen a fim de procurar pontos de dor ou protuberâncias.

Em caso de dúvidas, pode ser solicitado ultrassom de parede abdominal para confirmação do quadro.

Qual profissional procurar?

O especialista que diagnostica e cuida de hérnias é o cirurgião geral ou, mais especificamente, o cirurgião do aparelho digestivo.

Sinais e sintomas de hérnia umbilical

Muitas vezes, as hérnias umbilicais são assintomáticas e a única queixa é um nódulo ou abaulamento no centro do abdômen. Contudo, há casos nos quais pode ocorrer dor local.

Como saber se o bebê tem?

Nos bebês, a hérnia umbilical geralmente é assintomática e tem remissão espontânea, não necessitando de intervenções médicas. Todavia, caso haja um grande abaulamento, a cirurgia pode ser uma opção.

Adultos também podem ter?

Adultos também podem ter hérnia de umbigo e a incidência é maior entre mulheres.

Complicações

Existem duas complicações principais das hérnias no umbigo:

Encarceramento

O encarceramento ocorre quando um segmento do intestino fica preso na hérnia, de modo que o trânsito fecal é interrompido e o paciente cursa com constipação ou obstrução intestinal.

Estrangulamento

O estrangulamento é uma complicação grave que acontece quando o suprimento sanguíneo para segmento intestinal que ficou encarcerado é interrompido ou significativamente diminuído. Em consequência, há necrose intestinal dentro do saco herniado.

Tem cura?

Em alguns casos, a hérnia umbilical pode se curar sozinha, o que é mais comum no caso dos bebês. Em outros, é necessário que o paciente seja submetido à cirurgia, que visa reforçar os pontos fracos do abdômen e corrigir a hérnia.

Mesmo após o tratamento pode haver recidiva da hérnia no umbigo, a depender do rigor técnico e do controle dos fatores de risco, sendo necessário uma nova cirurgia.

Tratamentos

Médico fechando pontos em cirurgia de hérnia umbilical.
That_One_Creative_Studio/Shutterstock

O tratamento das hérnias de umbigo são predominantemente cirúrgicos. Medicamentos são usados apenas para controlar os sintomas, como é o caso dos analgésicos.

Cirurgia de hérnia umbilical

A cirurgia se baseia na correção do defeito na parede abdominal, por meio de pontos e, em alguns casos, reforço por uso de tela de polipropileno.

Indicação

No caso dos adultos, o tratamento para as hérnias é eminentemente cirúrgico, visto que ajuda a prevenir complicações.

Já no caso de bebês e crianças, a operação fica reservada para quando houver sintomas ou abaulamento no umbigo.

Tem algum risco?

Os riscos relacionados à cirurgia de hérnia umbilical são os mesmos de qualquer procedimento cirúrgico, como sangramento, infecções, trombose e reações à anestesia.

Como é o pré-operatório?

No pré-operatório é necessário fazer os exames solicitados pelo médico, como hemograma e coagulograma, para identificar o estado de saúde do paciente para a operação.

Como é feita?

Por meio de uma incisão feita na região umbilical, o cirurgião recoloca o tecido extravasado na cavidade abdominal e reforça os pontos de fraqueza para impedir novas hérnias.

Em adultos, costuma ser colocada uma tela de material cirúrgico na região. O item permanece no corpo do paciente para dar mais suporte e impedir novas passagens de conteúdo intra-abdominal pelos locais frouxos.

Pós-operatório

No pós-operatório da cirurgia de hérnia, deve-se cuidar da ferida e evitar esforços físicos, principalmente os que aumentam a pressão intra-abdominal, além de usar cinta abdominal e tomar os medicamentos prescritos pelo médico, como anti-inflamatórios e analgésicos.

A depender do tamanho da hérnia, pode ser necessário o uso de drenos por alguns dias.

Após a cirurgia, é indicado realizar acompanhamento com o médico.

Dói?

Como em qualquer cirurgia, é esperado que haja dor nos cortes logo nos primeiros dias de pós-operatório. Todavia, o sintoma pode ser controlado com uso de medicamentos analgésicos recomendados pelo médico.

Tempo de recuperação da cirurgia de hérnia umbilical

O tempo de recuperação varia de pessoa para pessoa. Em geral, um dia após a cirurgia o paciente já está em casa.

Pede-se que o indivíduo operado fique três dias sem dirigir ou subir escadas e 45 dias sem atividades físicas intensas, como treino de musculação ou corrida.

Preço

Os valores da cirurgia para hérnia umbilical variam de acordo com honorários da equipe médica e multiprofissional, além dos custos de internação. O procedimento está incluso no rol de procedimentos dos planos de saúde e no Sistema Único de Saúde (SUS).

Prognóstico

Uma vez realizada a cirurgia, a hérnia é contida e o paciente passa a ter vida normal, sem risco de complicações. No entanto, em alguns casos, a hérnia pode voltar e tornar necessária uma nova abordagem cirúrgica.

Prevenção

Manter hábitos saudáveis é a melhor forma de prevenir hérnia umbilical, portanto vale apostar nas seguintes medidas:

  • Perder peso caso esteja acima do recomendado
  • Abandonar o tabagismo
  • Manter uma alimentação saudável

Fontes

Cirurgião Gastroenterologista Iuri Tamasauskas, do Centro Médico Consulta Aqui – CRM 119741

National Center for Biotechnology Information. Umbilical Hernia. Disponível em: www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK459312

Manual da Merck. Hérnias da parede abdominal. Disponível em: www.merckmanuals.com/professional/gastrointestinal-disorders/acute-abdomen-and-surgical-gastroenterology/hernias-of-the-abdominal-wall