H. pylori positivo: sintomas, tratamentos e chance de virar câncer

Atualizado em 26 de junho de 2019

|

A bactéria H. pylori está presente em grande parte da população mundial, mas muitas pessoas não apresentam qualquer sintoma da infecção ou sequer sabem que possuem o micro-organismo, capaz de gerar queimação, refluxo, azia e dor.

Além dos desconfortáveis sintomas gástricos, a infecção pode gerar complicações graves, como úlcera e, em casos mais raros, câncer.

O que é?

Helicobacter pylori é uma bactéria comensal (ou seja, que em muitos casos fica no corpo humano sem causar danos) que vive no estômago e tem a peculiaridade de suportar um ambiente rico em ácido, como é o espaço gástrico. Raras bactérias possuem essa capacidade.

A bactéria é responsável por 90% dos casos de úlcera de duodeno e 80% dos casos de úlcera de estômago, de acordo com o Centers for Disease Control and Prevention, órgão de saúde norte-americano.

Causas: como se pega?

A bactéria é adquirida pelo consumo de alimentos ou água contaminada, porém sua disseminação ainda não está totalmente esclarecida.

Fatores de risco

O risco está relacionado principalmente às supostas vias de transmissão, que ainda não são totalmente conhecidas.

A recomendação atual é sempre lavar bem os alimentos e ter cuidado com a origem da água consumida. Se você viver com alguém que tem H. pylori, suas chances de contrair a bactéria também serão maiores.

Sinais e sintomas

A contaminação pela bactéria H. pylori pode ser assintomática, o que leva muitas pessoas a não suspeitarem de sua existência.

Geralmente, a infecção é descoberta em exames de rotina, como no caso da endoscopia digestiva alta. Em geral, a motivação para realização desses exames são sintomas de gastrite ou refluxo: dor abdominal do tipo queimação, azia e regurgitação de material gástrico.

Diagnóstico

Apesar de poder ser assintomática, a suspeita da infecção requer a realização de exames, como a endoscopia – feita pela introdução de uma pequena câmera conectada a um tubo na boca até o estômago e o duodeno, tudo com o paciente sedado. Caso sejam constatadas lesões, podem ser realizadas biópsias para investigar a presença da bactéria e até tratamentos durante o exame.

Há ainda outros testes que podem ser feitos para auxiliar no diagnóstico, como exame de fezes e de sangue.

Qual profissional devo procurar?

Os especialistas mais indicados para tratar a infecção por H. Pylori são gastroenterologista e cirurgião gástrico.

Tem cura?

A bactéria pode ser erradicada pelo uso de antibióticos.

Tratamentos

Remédios

Embora antibióticos, como a amoxicilina, sejam os medicamentos mais indicados para combater H.pylori, é crescente a quantidade de casos de resistência, a qual representa a principal causa de falha no tratamento.

Conjuntamente, podem ser indicados remédios que diminuem ou estimulem a produção de ácido estomacal, além dos que aliviam os sintomas, como omeprazol e ciprofloxacino.

Também podem ser prescritos protetores gástricos e reparadores de úlceras.

Medidas caseiras

Em relação à alimentação, é importante evitar alimentos que aumentem a acidez do estômago, como café, chocolate, frutas cítricas, refrigerantes, frituras, comidas gordurosas, entre outros.

Também é fundamental manter uma alimentação balanceada e fazer lanches intermediários entre as grandes refeições.

Além disso, é indicado higienizar bem os alimentos antes de consumi-los, evitando essa possível via de infecção.

Prognóstico

A infecção por H. pylori muitas vezes pode ser difícil de tratar dada a crescente resistência aos antibióticos. Após um ciclo de tratamento, devem ser feitos exames para verificar se a bactéria foi erradicada. Em caso negativo, um novo tratamento pode ser iniciado.

De modo geral, o problema não é grave e há casos em que a bactéria não precisa ser erradicada, decisão que deve ser tomada pelo paciente em conjunto com seu médico.

Complicações

A principal complicação relacionada à H. pylori é a inflamação da mucosa gástrica e consequente formação de úlceras, que podem gerar dor no estômago e queimação.

Pode virar câncer?

H. pylori está relacionada com câncer do estômago. Essa complicação pode acontecer apenas nos casos em que há úlceras gástricas ou histórico familiar do tumor.

Prevenção

Como não se conhece integralmente a forma de transmissão da bactéria, o modo de prevenção ainda é incerto. De maneira geral, é indicado manter boa higiene das mãos e dos alimentos, evitar aglomerações e ficar atento caso conviva com alguém que possui H.pylori.

Fontes

Cirurgião do aparelho digestivo Rafael Caue Katayama, do Centro Médico Consulta Aqui – CRM 133873

Centers for Disease Control and Prevention. HP Facts. Disponível em: www.cdc.gov/ulcer/files/hpfacts.pdf