Giardíase: transmissão, tratamento e mais sobre doença que afeta cães e humanos

25 de junho de 2019

|

POR Manuela Sampaio

A doença giardíase é causada por um protozoário que não precisa de um vetor para atingir tanto humanos quanto animais. Enquanto nos cães ela é mais comuns, no homem ela tende a se manifestar somente em casos de saneamento básico ruim ou higiene insuficiente.

O que parece simples de se resolver para quem tem um banheiro em casa pode ser mais complicado para milhares de pessoas que vivem sem tratamento de esgoto. Nesses casos, a doença pode acontecer repetidas vezes e causar complicações graves. Saiba mais sobre a giardíase a seguir.

O que é?

Giardíase é uma infecção causada por um protozoário chamado Giardia lamblia.

Ciclo da giardíase

Após ingeridos, os cistos da giardia ultrapassam a barreira de acidez do estômago sem sofrerem alterações e eclodem no intestino. Na forma ativa, os protozoários invadem a mucosa do intestino delgado causando sintomas.

Para que continue o ciclo de transmissão, o protozoário deve dar origem a novos cistos que, eliminados por meio das fezes, são mais resistentes ao ambiente e dão origem a novas infecções.

Transmissão

A transmissão geralmente ocorre por ingestão dos cistos do protozoário por meio de água, verduras ou frutas frescas contaminadas.

Mais raramente, pode haver contaminação direta fecal-oral entre dois seres humanos, em situações de higiene precária ou associado a práticas sexuais que favoreçam esse tipo de contato, como o beijo grego.

Fatores de risco

Entre os fatores de risco que favorecem a infecção giardíase, estão os problemas de saúde que levam à imunodeficiência, infecção gástrica pela bactéria Helicobacter pylori, uso de medicamentos que diminuem o pH gástrico e algumas características genéticas.

Sinais e sintomas

O quadro clínico varia desde a ausência de sintomas até diarreia líquida, alternada com períodos de normalidade e algumas vezes acompanhada de desconforto abdominal. Em casos mais graves, pode haver diminuição de absorção de nutrientes, acompanhada da perda de peso e eliminação de gordura nas fezes.

Diagnóstico

O diagnóstico é obtido pelo isolamento do protozoário no exame de fezes.

Qual profissional procurar?

Qualquer clínico geral é capacitado a fazer o diagnóstico. Em casos mais complicados, o infectologista pode ser consultado.

Complicações

A complicação mais comum é a síndrome disabsortiva, também chamada de síndrome de má-absorção intestinal, na qual o intestino deixa de absorver adequadamente um ou mais nutrientes. Entre os efeitos, é possível que haja diarreia, desidratação, perda de peso, inchaço e algum tipo de deficiência nutricional.

Prognóstico

Dificilmente a giardíase deixará complicações em longo prazo se for adequadamente tratada. Caso ocorram repetidas infecções pelo parasita, o que é mais comum em áreas sem adequado saneamento básico, pode haver desnutrição grave e até alterações no crescimento.

Tem cura?

A giardíase é uma doença perfeitamente curável desde que seja seguido à risca o tratamento indicado pelo médico e tomados os devidos cuidados de higiene e saneamento básico.

Tratamentos

O tratamento para a giardíase é medicamentoso e indicado pelo médico. De modo geral, são indicados remédios antiparasitários, como Annita, Benzoilmetronidazol, Flagyl, Helmizol e Metronidazol.

Prevenção

Como todas as doenças de transmissão fecal-oral, que tem como veículo a água e alimentos, as condições de saneamento são fundamentais para seu controle. Do ponto de vista individual, o cuidado com a água de consumo e a correta higienização de alimentos é fundamental.

É importante ressaltar que os cistos de Giardia são bastante resistentes, podendo sobreviver por até dois meses em ambiente externo. Além disso, a cloração da água e a desinfecção por luz ultravioleta são insuficientes para eliminar os cistos. Havendo necessidade de utilização de filtros.

Giardíase canina

Nos cães, a giardíase é uma parasitose comum e bastante prevalente, principalmente em locais onde vivem muitos animais e as condições de higiene não são ideais. Assim como os humanos, os animais podem ser assintomáticos, mas, caso haja sintomas, pode haver diarreia e fezes pastosas com sangue, muco e gordura.

O tratamento também é feito com antiparasitários e recomenda-se a higienização dos locais em que os animais defecam.

Passa para humanos?

A Giardia lamblia pode infectar humanos e animais, inclusive cães e gatos. Portanto, a giardíase de cães pode ser passada para humanos.

Fontes

Infectologista Káris Maria de Pinho Rodrigues, professora titular da Universidade Estácio de Sá (RJ) e especialista em doenças infecciosas e parasitárias e microbiologia. CRM RJ 509305

Center for Diasease Control and Prevention. Parasites – Giardia. Disponível em: www.cdc.gov/parasites/giardia/index.html