Gastrite: quais os tipos, o que não comer e como tratar

08 de junho de 2018

|

POR Patrícia Beloni

A gastrite é um problema comum, relacionado a dispepsia (desconforto digestivo após as refeições, que acontece quando o revestimento do estômago está comprometido). Ela leva à uma inflamação nas paredes do estômago, e quando não é tratada corretamente, pode causar erosão do revestimento do órgão.

As gastrites podem ser causadas por diversos fatores e durar por pouco tempo ou até mesmo meses e anos. “Ela acontece quando as paredes do estômago se inflamam e começam a causar sintomas”, explica o gastroenterologista Dr. Henrique Perobelli Schleinstein, da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

Tipos de gastrite e causas

Gastrite aguda

A gastrite aguda pode ser causada por infecções, pelo uso de anti-inflamatórios e também por alguns alimentos. Dura poucos dias a semanas.

Gastrite crônica

Já a gastrite crônica pode estar relacionada a infecção pela bactéria Helicobacter Pylori, que vive justamente no revestimento da parede do estômago, estresse e ansiedade. Pode durar vários meses ou anos.

Gastrite nervosa

A gastrite nervosa é o tipo que está relacionada, principalmente, com questões emocionais, com situações de irritabilidade, estresse, medo (nervosismo), ansiedade e é muito parecida com a gastrite aguda.

Fatores de risco

Os fatores de risco mais comuns são:

  • Ingestão de álcool;
  • Ingestão de gorduras;
  • Sedentarismo;
  • Obesidade;
  • Uso crônico de AAS;
  • Uso crônico de aines (anti-inflamtórios não esteroidais);
  • Tabagismo;
  • Ansiedade;
  • Café;
  • Estresse;
  • Sal de fruta e antiácidos em excesso;
  • Analgésicos;
  • Idade (revestimento do estômago fica flácido com os anos e a imunidade fica mais baixa, aumentando a vulnerabilidade em ser infectado);
  • Doenças autoimunes (anticorpos podem atingir a parede do estômago);
  • Drogas.

Sintomas da gastrite

Tanto a gastrite aguda quanto a crônica podem levar a uma série de desconfortos para o corpo, como:

  • Azia;
  • Queimação;
  • Sensação de fome;
  • Indigestão;
  • Dor epigástrica (no andar superior do abdômen).
  • Arrotos;
  • Enjoo;
  • Emagrecimento;
  • Falta de apetite;
  • Fezes escuras;
  • Vômitos;
  • Gases;
  • Fraqueza;
  • Refluxo.

As principais complicações da gastrite são a formação de úlceras pépticas, seguida da dificuldade em se alimentar e, em último caso, pode levar à predisposição para câncer de estômago e esôfago.

Diagnóstico

O diagnostico é feito através de um exame endoscópico, que é chamado de endoscopia digestiva alta. Por meio dele, o médico consegue visualizar a mucosa do esôfago, do estômago e do duodeno. E também consegue coletar biópsias – partes do tecido, para realizar o exame microscópico.

Para detectar a presença da bactéria Helicobacter Pylori no estômago, é preciso fazer um exame de sangue ou o famoso “exame do hálito”. Que funciona da seguinte forma:

  1. Nele, o paciente ingere uma solução líquida, sem gosto, que contém doses de carbono radioativo;
  2. Então assopra dentro de um saco;
  3. Se o hálito do paciente contiver amostras desse carbono, significa que ele tem gastrite.

O especialista também poderá fazer um raio-X do trato digestório do paciente em busca de anormalidades.

Tratamento

O tratamento da gastrite, de maneira geral, exige – primeiramente – uma reeducação alimentar. É necessário evitar ingestão de refeições cheias de, principalmente, carnes vermelhas e frituras.

É necessário realizar uma dieta fragmentada a cada 3 horas e não comer grandes porções de uma vez só.  E, em casos de infecção bacteriana aguda ou crônica, é preciso tomar medicamentos específicos e antibióticos.

Também é importante evitar o consumo de álcool e de tabaco. Apoio terapêutico pode, em muitos casos, ser necessário.

Remédio caseiro para aliviar gastrite

Segundo o gastroenterologista Dr. Henrique Perobelli Schleinstein, o uso de antiácidos comuns pode ser útil.

O paciente pode tentar ainda a ingestão de limão com água no período matinal. Isso pode ajudar a balancear o ph intragástrico.

Porém, o mais importante é buscar ajuda de  um médico especialista, sempre. Os remédios caseiros aliviam apenas momentaneamente a sensação ruim dos sintomas, mas não resolvem o problema como um todo.

Gastrite tem cura?

De acordo com o especialista, a gastrite tem cura sim. Porém, isso não é tão simples, exige bastante esforço. O diagnóstico precisa ocorrer cedo e a pessoa passar por um tratamento adequado.

Medidas comportamentais e dietéticas devem ser seguidas a risca e de maneira prolongada. Além disso, o auxílio e acompanhamento de um médico é crucial para atingir esse objetivo.

Dieta para quem tem gastrite

Para quem tem gastrite, é importante manter uma dieta balanceada, com frutas e verduras, e evitar as frutas cítricas. Estão liberadas a carne branca e os peixes.

O que não comer

  • Frituras;
  • Gorduras;
  • Carne vermelha;
  • Enlatados;
  • Embutidos;
  • Condimentos;
  • Alimentos industrializados.

Como evitar

  • Respeite os horários das refeições e não pule nenhuma: café da manhã, almoço e jantar precisam ser feitos com tranquilidade;
  • Faça pequenas refeições ao longo do dia em vez de comer muito depois de ficar horas em jejum;
  • Mastigue bem os alimentos.