Fezes com muco: veja o que causa o problema gastrointestinal

29 de março de 2019

|

POR Bruno Botelho dos Santos

A aparência das fezes, assim como a da urina, pode dizer muito sobre a saúde. Uma das anormalidades mais alarmantes e fáceis de notar refere-se às fezes com muco – substância gelatinosa e de coloração branca ou amarelada.

Seu aparecimento pode ser sinal de diversos acometimentos. Entenda quais e o que fazer.

Da onde vem o muco?

Muco é uma substância gelatinosa que os intestinos produzem para manter o revestimento do cólon (porção média do intestino grosso) úmido e lubrificado, facilitando assim a defecação.

As fezes normalmente contêm uma pequena quantidade de muco, imperceptível a olho nu, o que é perfeitamente normal. A preocupação começa com os surgimento de quantidades visíveis de secreção.

Como identificar?

O muco deixa as fezes com aspecto oleoso e brilhante, além de tornar sua cor mais clara, branca ou esverdeada.

O que pode ser fezes com muco?

ilustração com intestino saudável e intestino com bactérias
EstherQueen999/Shutterstock

Alguns fatores estão relacionados ao aparecimento de fezes com muco, eles são:

Intolerância alimentar

Intolerâncias alimentares – como as associadas com lactose ou glúten – podem causar muco nas fezes, além de outros sintomas como:

  • Inchaço
  • Diarreia
  • Erupções cutâneas
  • Prisão de ventre

Problemas emocionais

Problemas emocionais, como estresse e ansiedade, podem prejudicar bastante o funcionamento intestinal, resultando no aparecimento de muco na evacuação.

Uso de laxantes

Laxantes são substâncias que provocam contrações intestinais que auxiliam o indivíduo a defecar. Por causa do aumento dos movimentos intestinais, pode haver aparecimento de fezes com muco.

Doenças intestinais

A síndrome do intestino irritável pode aumentar a produção de muco, tanto nos casos em que cursa com diarreia quanto nos que apresenta mais constipação.

A colite ulcerativa pode resultar na inflamação da membrana mucosa do intestino grosso e no desenvolvimento de úlceras. Essas feridas podem sangrar e produzir pus e muco.

Infecções bacterianas

Mais comum do que outros problemas, infecções bacterianas são geralmente causadas por bactérias como Campylobacter, Salmonella, Shigella e Yersinia. Além do muco nas fezes, seus sintomas incluem:

  • Diarreia
  • Cólicas
  • Vômito
  • Náusea
  • Febre

Fissura anal e úlcera

A fissura anal é uma ferida ou um corte doloroso no revestimento do ânus. Ela pode resultar em alta pressão da musculatura anal e, assim, gerar alteração no muco presente nas fezes, já que serve para manter o revestimento do cólon úmido e lubrificado.

As úlceras têm qualidades semelhantes às fissuras anais. Com quimioterapia ou radioterapia, o corpo pode sofrer uma perda mais severa do muco, chamada mucosite gastrointestinal, que pode exigir tratamento hospitalar.

Sintomas associados

principalmente se vier acompanhada por alterações de ritmo intestinal (diarreia e/ou constipação), aumento de gases, sensação de empachamento e sangramentos.

O que fazer em caso de suspeita?

Depois que a pessoa identificar mudanças nas fezes, deve realizar uma consulta com um médico, de preferência um gastroenterologista ou coloproctologista.

Pode ser solicitada amostra de sangue e/ou fezes para análise. Se forem necessárias mais investigações, pode ser necessário realizar ressonância magnética do abdômen, colonoscopia, endoscopia ou até mesmo uma tomografia computadorizada.

Tratamento para fezes com muco

ilustração de remédios no estômago
Rhenzy/Shutterstock

Segundo o especialista, primeiramente é necessário identificar as causas das fezes com muco. Após isso, podem ser adotadas diversas abordagens.

Mudança de hábitos alimentares

Os hábitos alimentares podem precisar ser mudados para diminuir as chances de recidiva do problema.

Isso acontece principalmente em quadros de intolerância alimentar. Caso tenha alguma, mudanças no estilo de vida precisam ocorrer rapidamente.

Medicamentos

Se forem encontradas bactérias nas fezes, o uso de antibióticos será orientado, juntamente com repouso e hidratação.

Cirurgia pode ser necessária para aqueles com fissuras anais e úlceras retais.

Alguns probióticos e suplementos vendidos sem receita podem ajudar pacientes com evacuações diárias irregulares, constipação ou diarreia, mas é indicado debater previamente seus prós e contras com um médico ou farmacêutico.

Manter um diário intestinal pode ajudar pessoas com muco frequente e persistente nas fezes a observar padrões. Esta ferramenta é muito útil para os médicos também.

Possíveis complicações

Inflamações intestinais crônicas podem favorecer o aparecimentos de hemorragias intestinais e até câncer, então é fundamental procurar um especialista caso algum problema surja neste sistema.

Como prevenir?

É possível reduzir o risco de desenvolvimento e problemas intestinais com as seguintes medidas:

  • Boa alimentação, com ingestão adequada de água e fibras
  • Prática de atividade física regular
  • Controle do estresse

Fontes

Proctologista Sérgio Cunha, da Aliança Instituto de Oncologia. CRM DF 16904