Febre amarela: o que é, sintomas, vacina, tratamento e mais

25 de outubro de 2017

|

POR Vinicius de Vita Cavalheiro

Por muitos anos, a febre amarela esteve concentrada somente nas regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil. Desde 2017, porém, um grande número de novos casos foi identificado nos estados da região Sudeste, onde os diagnósticos positivos para a doença – transmitida pelo Aedes aegypti –– disparou.

Mas há motivo para preocupação? Entenda a seguir:

O que é febre amarela?

A febre amarela é uma doença infecciosa grave transmitida por mosquitos em áreas silvestres e urbanas. Seus casos geralmente ocorrem na América Central, América do Sul e na África, e é considerada uma doença aguda e hemorrágica por causa dos sintomas manifestados.

Como é transmitida?

A febre amarela é causada por um vírus, transmitido pela picada de mosquitos. Nas florestas e regiões rurais, o vírus é transmitido pelo mosquito Haemagogus, e nas cidades, a transmissão acontece por meio do Aedes aegypti, que também transmite a dengue, zika e a febre chikungunya.

O ciclo de transmissão da febre amarela começa por mosquitos silvestres, que se infectam quando picam primatas e passam a transmitir o vírus para seres humanos que estão de passagem por áreas rurais e florestais – também por meio da picada.

Em seguida, em centros urbanos, o Aedes aegypti pica uma pessoa já infectada pelo vírus da febre amarela silvestre, desenvolve a doença e passa a transmiti-la para outras pessoas que vivem nas cidades.

Existe, ainda, um terceiro tipo menos comum da doença, chamado de febre amarela intermediária, em que o mosquito transmissor vive tanto em áreas silvestres quanto urbanas e pode infectar tanto animais quanto pessoas. No Brasil, este tipo de febre amarela é mais raro, mas na África é o mais comum.

Atenção: a febre amarela NÃO é transmitida de pessoa para pessoa.

Por quanto tempo a doença pode ser transmitida para o mosquito?

O período em que uma pessoa é capaz de transmitir o vírus para um vetor – no caso, mosquitos – no momento da picada é chamado de “estado de viremia”. Na febre amarela, esse período dura aproximadamente sete dias.

Quanto tempo demora para manifestar sintomas?

Uma vez contraído, o vírus da febre amarela permanece em incubação dentro do organismo por 3 a 6 dias. Depois disso, surgem os primeiros sintomas.

Fatores de risco

  • Pessoas que vivem em áreas consideradas de risco;
  • Idosos acima dos 60 anos de idade;
  • Pessoas com alguma imunodeficiência, principalmente soropositivos que não recebem tratamento para reduzir a presença de HIV na corrente sanguínea.

Áreas de risco

De acordo com a OMS, 47 países são endêmicos ou têm zonas de febre amarela endêmica. Destes, 34 estão na África e 13 na América Central e do Sul – entre eles, o Brasil.

Por essa razão, muitos países, principalmente da América do Norte e Europa, exigem que visitantes destes locais comprovem a vacinação para entrar no país.

Sintomas da febre amarela

A infecção viral da febre amarela pode seguir um ciclo de pelo menos três fases: incubação, surgimento de sintomas típicos de infecções virais e, por último, aparecimento de sintomas mais graves, que podem levar a pessoa à óbito se não for tratado corretamente.

Sintomas típicos

  • Febre
  • Dores musculares (principalmente nas costas)
  • Dor de cabeça
  • Perda de apetite
  • Náuseas
  • Vômitos

A maioria dos casos permanece nesta fase e não evolui para cenários mais graves.

Sintomas graves

  • Amarelamento da pele e dos olhos, que se dá pela icterícia
  • Febre alta
  • Urina escura
  • Dores abdominais
  • Vômitos
  • Hemorragia (principalmente na boca, nariz, olhos e até mesmo no estômago)

Geralmente, estes sinais caracterizam a fase mais grave da febre amarela, em que o tratamento é difícil e nem sempre eficaz. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), metade das pessoas que chegam a esta fase morrem em sete a dez dias.

Sempre é sintomática?

Muitas pessoas que são picadas pelos mosquitos transmissores da febre amarela não manifestam qualquer tipo de sintoma. Além disso, em uma parte dos casos há desaparecimento espontâneo dos sintomas em até 4 dias.

Sintomas da febre amarela silvestre e urbana são diferentes?

As manifestações clínicas da febre amarela silvestre e da febre amarela urbana são as mesmas. A única coisa que difere uma da outra é o transmissor.

Diagnóstico

A febre amarela é difícil de diagnosticar, especialmente durante a fase com sintomas mais brandos, mas exames de sangue específicos podem identificar a presença do vírus no organismo.

Quando os sintomas são mais graves, são feitos testes para identificar anticorpos na corrente sanguínea.

Doenças com sintomas semelhantes

Os sintomas brandos da febre amarela podem ser confundidos com os da dengue – embora estes sejam um pouco mais leves. É importantíssimo consultar um médico em caso de qualquer suspeita.

Além disso, os sintomas graves podem ser confundidos com os de outras doenças, como malária, leptospirose, hepatites virais e dengue hemorrágica.

Qual especialista trata a doença?

Tanto clínicos gerais quanto infectologistas podem tratar o problema.

Tratamento da febre amarela

Como não existem medicamentos para combater especificamente a ação do vírus no organismo, o tratamento geralmente é feito com base nos sintomas apresentados pelo paciente. De modo geral, recomenda-se repouso absoluto e reposição de líquidos para evitar desidratação.

Casos mais graves podem exigir hospitalização e reposição sanguínea em caso de hemorragias.

A automedicação é permitida?

Da mesma forma que a dengue, quaisquer suspeitas de infecção viral por Aedes aegypti devem ser comunicadas ao médico e a automedicação é contraindicada.

Como se tratam de doenças com possibilidade de evoluírem para quadros hemorrágicos, o uso de determinados medicamentes, como a aspirina, podem aumentar as chances de sangramento.

Prevenção

A vacinação para febre amarela é o meio mais eficaz para evitar a doença. Ela está disponível gratuitamente na rede pública de saúde e também pode ser tomada em hospitais da rede privada.

Até 2014, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendava que a dose da vacina de febre amarela fosse reforçada de dez em dez anos. Agora, porém, a Anvisa afirma que quem já tomou a vacina alguma vez na vida não precisa mais tomar outra dose.

Vacina contra febre amarela

Indicação

A imunização é administrada ainda na infância, mas devem ser observadas algumas orientações específicas por faixa etária:

  • Crianças de 6 a 9 meses de vida incompletos: não devem receber a vacina a não ser em situações de emergência epidemiológicas, vigência de surtos ou epidemias e viagens inadiáveis para áreas de risco (número elevado de casos de febre amarela);
  • Crianças de 9 meses a 4 anos, 11 meses e 29 dias: a primeira dose é administrada aos 9 meses e uma dose de reforço aos 4 anos;
  • Crianças com idade a partir de 5 anos: é indicada uma segunda dose mesmo que a criança já tenha sido vacina anteriormente, especialmente em casos de surtos, epidemias ou viagens. Mas se a criança nunca recebeu a imunização, é necessário aplicar uma dose inicial e, aos 10 anos, aplicar o reforço.

Além disso, no Brasil, a recomendação da vacina é ainda maior para a população de 19 Estados, mas ela também pode estendida a outras regiões dependendo do cenário epidemiológico. Recentemente, foi o que aconteceu no Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia e São Paulo, que entraram no mapa da vacinação contra febre amarela.

Contraindicação

Alguns grupos de pessoas não devem receber a imunização. É o caso de crianças com menos de 9 meses (a não ser em uma das situações descritas acima), gestantes, lactantes, pessoas com alergia à proteína do ovo e pessoas com imunodeficiência grave.

Pessoas acima dos 60 anos devem conversar com um médico antes de tomar a vacina para discutir os possíveis efeitos colaterais e riscos da vacinação a partir dessa faixa etária.

Reação à vacina de febre amarela

Em média, 5% das pessoas que tomam a vacina contra febre amarela apresentam sintomas leves, como febre, dor de cabeça e dores musculares de 5 a 10 dias após receber a dose. Efeitos colaterais graves são raros e também não é comum ter alguma reação no local onde a vacina foi aplicada.

É preciso tomar a vacina para viajar?

O Regulamento Sanitário Internacional (RSI) autoriza que países peçam aos viajantes uma certificação de imunização contra febre amarela para entrar no país.

Essa medida é importante para conter o avanço de cenários epidemiológicos pelo mundo, já que a doença está restrita a países da América Central, América do Sul e África.

Os países que exigem o certificado podem ser consultados no site da Anvisa.

Fontes

Fio Cruz. Febre amarela: sintomas, transmissão e prevenção. Disponível em: www.bio.fiocruz.br/index.php/febre-amarela-sintomas-transmissao-e-prevencao

Center for Disease Control and Prevention. Yellow Fever. Disponível em: www.cdc.gov/yellowfever/