Fascite plantar: o que é, sintomas e como tratar

Atualizado em 10 de outubro de 2019

|

Fascite plantar é o nome da inflamação que acomete a fáscia, tecido localizado na sola do pé que conecta o calcâneo aos dedos. Trata-se de uma das causas mais comuns de dor no calcanhar.

A fáscia é essencial para a sustentação do arco do pé, que fica entre o calcanhar e os dedos. Sua inflamação pode ser fruto de sobrecarga devido ao excesso de exercícios físicos de impacto, sobrepeso e obesidade, bem como pela acentuada curvatura do pé, chamada de pé cavo, que é apresentada por algumas pessoas.

Confira a seguir mais informações sobre a doença, seus sinais, sintomas e tipos de tratamento.

O que é fascite plantar?

A fáscia plantar é um tecido que permeia toda a extensão do pé e funciona como uma espécie de mola que é ativada a cada toque no solo durante pisadas. Já a fascite plantar é a inflamação da fáscia, ou seja, desse tecido cheio de tendões.

A condição acontece quando há sobrecarga na fáscia, a qual acaba lesionando seus tecidos. Quando não tratada, a doença pode acarretar na calcificação do calcanhar, deixando seu tecido mais rígido e menos elástico e resultando no famoso esporão, que é um pequeno segmento de osso nessa região.

O incômodo costuma se manifestar no início da manhã, quando os músculos do corpo estão desaquecidos, ou depois de atividades muito intensas. Pode demorar meses para melhorar, principalmente quando negligenciado ou se sua causa não é tratada.

Causas

Excesso de exercícios

Na ânsia de alcançar resultados rápidos, muitas pessoas acabam fazendo exercícios físicos de alta intensidade sem o preparo físico adequado. Treino excessivo e progressões abruptas estão na lista de principais causadores da fascite plantar.

Embora o ideal seja buscar um especialista ao menor sinal de desconforto nos pés, muitas pessoas seguem praticando atividades físicas, até mesmo as de impacto, como a corrida, mesmo com dor.

Sedentarismo e sobrepeso

Se, por um lado, fazer exercícios de forma exagerada compromete a saúde da fáscia, por outro, o sedentarismo também pode facilitar o surgimento da doença. Se associado ao sobrepeso e à obesidade, ainda mais.

A ausência de equilíbrio e propriocepção, bem como a falta de fortalecimento de quadris e do abdômen, podem favorecer o aparecimento de lesões como a fascite plantar.

Pé cavo

Pessoas com o pé cavo têm o arco do pé bem acentuado e curvo, o que favorece o aparecimento de lesões por sobrecarga e prejudica a mobilidade do tornozelo e da fáscia plantar.

Calçados inadequados

O uso contínuo de determinados tipos de calçados, como rasteiras, sapatilhas e tênis com sola dura, pode causar lesões na fáscia e favorecer a fascite plantar.

Fatores de risco

Entre os principais fatores de risco, estão uso de sapatos com palmilhas inadequadas – que não respeitam a curvatura para os pés –, exercícios físicos em excesso e sem o devido preparo da musculatura, bem como sedentarismo e obesidade.

Sinais e sintomas

O principal sintoma da fascite plantar é a dor no calcanhar, principalmente nas primeiras pisadas do dia, o que explica o relato comum de dor no pé ao levantar.

Trata-se de um incômodo muito particular e que deve ser investigado o mais rápido possível com um ortopedista.

A dor também pode aparecer após atividades físicas intensas, como corrida, depois de subir escadas ou após ficar em pé por muito tempo.

Diagnóstico

Como a dor da fascite é muito característica, o ortopedista se vale do exame clínico para confirmar o motivo da queixa e elaborar um tratamento adequado.

Em alguns casos, pode ser necessários realizar exames de imagem, como ultrassonografia e ressonância magnética.

Qual profissional procurar?

Para o tratamento de fascite plantar, é possível procurar um médico ortopedista ou um reumatologista.

Fascite plantar tem cura?

A maioria dos casos é curada, todavia é necessário excluir os fatores de risco que resultaram no quadro para evitar a recidiva.

Como tratar fascite plantar

Remédios

Os medicamentos anti-inflamatórios são muito usados para esse tipo de lesão, pois ajudam o organismo a combater a inflamação e amenizar os sintomas.

Fisioterapia

Tão importante quanto os medicamentos, são as sessões de fisioterapia, que englobam equipamentos analgésicos – como laser, ultrassom e TENs – e exercícios para alongar a fáscia.

Existe ainda a terapia feita com ondas de choque (ESWT ou TOC), na qual são aplicadas ondas sonoras no local da lesão que se mostram úteis na redução da dor e na circulação sanguínea da área afetada, estimulando a cicatrização e a regeneração dos tecidos.

Cirurgia

Se nenhuma terapia resolver a dor do paciente, é possível partir para intervenção cirúrgica que visa retirar a tensão excessiva da fáscia.

Cuidados caseiros

É possível complementar a terapia com cuidados caseiros para acelerar a recuperação, como aplicação de gelo no local, repouso, alongamento e uso de palmilhas para fascite plantar – que melhora a distribuição do peso sobre os pés.

Complicações

Dor crônica

A dor crônica no calcanhar pode ser uma realidade para quem não trata a fascite, chegando ao ponto de impedir atividades simples do dia a dia.

Problemas nas articulações

Desequilíbrio na pisada, resultado da fascite plantar, pode levar também a problemas nas articulações, como joelhos, quadril e coluna.

Prognóstico

A maior parte dos casos cursa com resultados positivos e melhora significativa da condição. No entanto, a duração do tratamento varia de algumas semanas a dois anos, de acordo com a gravidade do quadro.

Prevenção

No geral, o modo de prevenção consiste no equilíbrio entre alimentação equilibrada, alternância de atividades físicas, alongamento e calçados adequados para cada tipo de situação.

Outro ponto importante para evitar o desencadeamento da fascite plantar é evitar as situações que sobrecarregam os pés. Por isso, fique de olho:

  • Na pisada nos pés;
  • Nos tipos de calçados usados;
  • No fortalecimento e alongamento dos músculos;
  • Nas orientações dos especialistas que acompanham a rotina de exercícios.

 

Fonte

Ortopedista Alexandre Stivanin, do Hospital Samaritano – CRM 112236