Endoscopia: para que serve, como se preparar e riscos do exame

Atualizado em 25 de abril de 2019

|

POR Lucas Coelho

Apesar de provocar preocupação em muitas pessoas, a endoscopia tem uma fama injusta, já que é um exame indolor e extremamente útil para identificar diversos problemas de saúde.

A ideia de inserir um tubo na garganta que desce pelos órgãos pode parecer assustadora, mas é o jeito mais natural e menos traumático de se analisar o interior de corpo. Basta pensar que é o mesmo caminho do sistema digestivo que é realizado por tudo o que engolimos.

A seguir, veja a resposta para todas as suas dúvidas sobre endoscopia:

O que é endoscopia?

Explicando mais detalhadamente, a endoscopia – também chamada de endoscopia digestiva alta e esofagogastroduodenoscopia – é um exame que consiste na introdução de um fino duto através da boca do paciente, capaz de filmar e realizar outras funções, tais como realizar biópsia, colocar balão gástrico e sondas, retirar pólipos e corpos estranhos.

Este tubo, chamado de endoscópio, segue pelo esôfago até o estômago, permitindo a visualização destes órgãos e do duodeno, que corresponde ao princípio do intestino delgado.

“Basicamente, a endoscopia digestiva é a introdução de um tubo com uma câmera na ponta para que se possa fazer a avaliação visual do interior do tubo digestivo”, diz a médica Liete Camara, coordenadora do Serviço de Endoscopia e Colonoscopia do Hospital São Lucas Copacabana, do Rio de Janeiro.

Para que serve a endoscopia?

Exame de endoscopia.
flywish/Shutterstock

A função da endoscopia digestiva é permitir uma investigação visual bem aprofundada e um diagnóstico detalhado de doenças e problemas no aparelho digestivo, podendo assim garantir o tratamento mais adequado.

Pacientes que tenham incômodos, dores ou qualquer outra preocupação relacionada ao estômago e/ou intestino delgado geralmente recebem a indicação de realizar este exame.

“A endoscopia digestiva alta pode identificar uma série de doenças, como intolerância à glúten, gastrite, câncer no estômago e úlceras”, lista Liete.

Além disso, o exame também é indicado para a pesquisa de Helicobacter pylori, mais conhecida simplesmente como H. pylori, bactéria responsável pela maioria das úlceras gástricas e que também pode causar tumores de estômago.

Endoscopia terapêutica

Além da função de diagnóstico e avaliação, a endoscopia pode ser utilizada para fins terapêuticos em casos muito específicos. Dependendo da necessidade, o procedimento pode servir para, por exemplo, retirar algum cálculo biliar que esteja dificultando a ação da bile, retirar pólipos, inserção de próteses, alargamento do tubo digestivo ou mesmo o tratamento de varizes no esôfago e estômago.

Todos estes casos devem ser extremamente bem analisados e planejados pelo médico responsável. Não são procedimentos rotineiros do exame de endoscopia.

Como o exame é feito?

Preparo da endoscopia

É essencial que os pacientes mantenham um jejum absoluto de 8h a 12h antes do exame. Além desta recomendação, é importante não ingerir nenhum medicamento antiácido ou anticoagulante, como o omeprazol ou AAS, pois ele altera o nível de acidez do estômago, o que influencia os resultados do exame.

O procedimento

O paciente pode estar completamente sedado ou não, desacordado ou não, mas a anestesia local será aplicada com toda a certeza, pois ela relaxa a garganta e evita a vontade de vomitar.

O paciente deverá ficar deitado de lado e permanecerá com um objeto plástico na boca, que serve para mantê-la aberta durante o exame, permitindo a passagem da sonda.

Além da análise visual, o médico pode retirar algum tecido para que seja realizada uma biópsia da amostra.

O procedimento em si dura em torno de 15 minutos, mas o paciente é mantido em observação por cerca de uma hora, para esperar passar o efeito da sedação.

Cuidados após o exame

Por conta da sedação, o paciente não estará hábil a realizar qualquer atividade que exija muita concentração. Os efeitos dos medicamentos podem durar por até dez horas após exame. Logo, o indivíduo não pode dirigir e é recomendado não trabalhar. O ideal é ir para casa e repousar.

Depois do exame, é possível sentir algum incômodo na garganta, mas nada muito forte ou duradouro. Como também entra ar no estômago, é possível sentir desconfortos na região abdominal ou sensação de estufamento, mas isso também passa naturalmente.

A endoscopia dói?

A questão principal que assusta os pacientes tem uma resposta bastante simples: não! A endoscopia é um exame completamente indolor, especialmente porque o paciente está normalmente sedado e com anestesia.

Existe algum risco para o paciente?

“As chances de erros ou riscos são mínimas, no entanto, pode ocorrer o sangramento no local onde é realizada a biópsia”, afirma a Dra. Camara. Isso, claro, presumindo que o procedimento tenha sido feito da maneira correta, em um laboratório sério e de confiança.

Caso o médico cometa algum erro de manuseio, há uma chance muito pequena de machucar o estômago, duodeno ou esôfago. Riscos de erro humano existem em qualquer tipo de procedimento, em qualquer área, por mais simples que seja. Por fim, é possível que haja uma reação alérgica aos sedativos utilizados.

Se, nos dias seguintes ao exame, o paciente experimentar dores, vômitos, sangramentos na garganta ou nas fezes, é necessário procurar um médico urgentemente.

Há contraindicações?

“Não existem contraindicações oficiais para a endoscopia, mas é preciso ter cuidado redobrado com pacientes com problemas cardíacos, respiratórios, neurológicos, ou com alergia aos componentes da anestesia”, alerta Liete Camara.

Por isso, é tão importante sempre esclarecer ao máximo todo o histórico de saúde com seu médico. Um especialista bem informado pode evitar grandes problemas.

“Mulheres gestantes também não podem fazer uso da medicação venosa usada para sedação, pois é um fator de risco para o feto”, lembra a médica.

Possíveis resultados

Úlcera no estômago.
BlueRingMedia/Shutterstock

Os resultados da endoscopia podem ser revelados na hora do exame ou alguns dias após pela gravação e impressão de algumas imagens encaminhadas ao médico responsável.

Alguns possíveis resultados anormais são:

Média de preço da endoscopia

A endoscopia pode ser feita pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ou em laboratórios especializados com cobertura de determinados planos de saúde.

O valor varia bastante, mas, de maneira geral, o exame custa em torno de R$ 650.