Eletrocardiograma: o que é, riscos e como é feito o exame

21 de março de 2019

|

POR Gabriele Amorim

Eletrocardiograma, também conhecido como ECG, é um procedimento rápido e indolor, o qual é capaz de monitorar impulsos elétricos do coração. Saiba como funciona, resultados e porque é necessário.

O que é?

A cada batida do coração, um impulso elétrico atravessa o órgão e faz com que ele impulsione sangue para o restante do organismo. O eletrocardiograma é um teste que mede justamente esta atividade.

Ele é um exame não invasivo e que fornece informações como quanto tempo a onda elétrica leva para atravessá-lo e qual sua quantidade.

Esse procedimento também monitora a frequência e ritmo cardíacos, aumento do coração, recebimento de oxigênio pelo órgão e bloqueio de vasos sanguíneos.

Quem deve fazer

O eletrocardiograma normalmente é indicado na suspeita de alguma doença cardíaca, exames de rotina ou como avaliação antes de cirurgias e atividades físicas.

Como o exame é feito

Para efetuar o exame, são colocados sensores, chamados de eletrodos, nos braços, pernas e tórax do paciente, os quais não geram nenhuma dor.

Esses conectores medem a magnitude e a direção das correntes elétricas do coração durante cada batimento. Eles são ligados diretamente à máquina central que registra e imprime um relatório.

Cada uma das linhas do relatório apresenta a atividade elétrica do coração em ângulos diferentes.

O procedimento, no total, leva em torno de quinze a vinte minutos para ser feito.

Dói?

O eletrocardiograma não causa dor alguma. O único desconforto que pode acontecer relaciona-se com a retirada dos adesivos que seguram os eletrodos, porém é leve.

Resultados

O eletrocardiograma pode apresentar resultados considerados normais e anormais, sempre sendo avaliados por um cardiologista.

Normais

  • Frequência cardíaca entre 60 e 100 batimentos por minuto
  • Ritmo sinusal
  • Intervalo entre os batimentos de 0,12 e 0,20 segundos
  • Eixo elétrico normal

Anormais

  • Bloqueio no ventrículo esquerdo ou direito do coração
  • Desvio do eixo elétrico
  • Arritmia sinusal
  • Fibrilação atrial
  • Hipertrofia ventricular

Riscos

Por se tratar de um procedimento pouco invasivo, o qual não utiliza radiação para ser feito, o exame de eletrocardiograma não apresenta riscos para quem o faça.

A única contraindicação é para quem possui alergia ao adesivo que gruda os eletrodos ao corpo. Porém, essa ocorrência é bastante rara.

Preço do eletrocardiograma

O exame pode ser encontrado no Sistema Único de Saúde (SUS) e em hospitais e clínicas particulares, mediante solicitação médica.

O valor do procedimento pode variar entre R$ 200,00 e R$ 500,00.

Fontes

Cardiologista Marcelo Goulart Paiva – CRM 76058

Manual MSD. Eletrocardiograma. Disponível em: www.msdmanuals.com/pt-br/casa/distúrbios-do-coração-e-dos-vasos-sanguíneos/diagnóstico-de-distúrbios-do-coração-e-dos-vasos-sanguíneos/eletrocardiograma

American Heart Association. Electrocardiogram (ECG or EKG). Disponível em: www.heart.org/en/health-topics/heart-attack/diagnosing-a-heart-attack/electrocardiogram-ecg-or-ekg