Dor na mandíbula pode ser DTM: como identificar e tratar?

26 de junho de 2019

|

POR Bruno Botelho dos Santos

Dor na mandíbula é um incômodo que frequentemente vem acompanhado de cefaleia, dificuldade de mastigação e dor de ouvido, sintomas que muitas vezes são frutos de disfunção temporomandibular (DTM). O problema que afeta a articulação inclusive representa a segunda queixa mais comum em consultórios odontológicos. Entenda mais a seguir.

Principal causa de dor na mandíbula

A articulação temporomandibular (ATM), responsável por ligar a mandíbula ao osso temporal do crânio, fica nas laterais da cabeça e, por ser flexível, permite mover a mandíbula para frente, para trás e para os lados. É também por meio dela que se é possível falar e mastigar.

Caso os discos que separam os ossos dessa articulação estejam desalinhados ou sua cartilagem desgastada, pode haver dor na mandíbula. Geralmente, a causa de tais disfunções são golpes, impactos ou tensões prolongadas – como a proveniente do bruxismo.

Sintomas associados

Além da dor na mandíbula, DTM também pode se manifestar por dor de cabeça, dificuldade de abrir ou fechar a boca, tontura e zumbido no ouvido.

Como tratar?

As chances de cura para a DTM variam de acordo com sua causa. É possível reduzir e até eliminar os sintomas com tratamento adequado, que inclui medicamentos (analgésicos, ansiolíticos, antidepressivos, anti-inflamatórios e relaxantes musculares), fisioterapia, psicoterapia e, em casos mais graves, cirurgias e injeções locais.