Diverticulite: o que é, sintomas, cura, dieta e tratamento da inflamação

26 de março de 2019

|

POR Manuela Sampaio

Diverticulite é uma doença marcada por inflamação no intestino e sintomas como sangramento e dor intensa. Muito relacionado à alimentação, o acometimento pode ser aliviado com adoção de dieta saudável e administração de medicamentos, porém, em casos mais graves, podem ser necessárias cirurgias.

A seguir, entenda tudo sobre a inflamação dos divertículos.

O que é diverticulite?

Doença diverticular do cólon é uma patologia crônica representada por inflamação ou infecção de pequenas bolsas e cistos da parede intestinal, chamadas de divertículos.

A presença dos divertículos é comum, caracterizando o quadro de diverticulose, e não causa nenhum problema ou sintoma. Já sua inflamação, caracterizada como diverticulite, resulta em diversos sintomas.

Aguda x Crônica

A diverticulite pode se manifestar de maneira aguda – com um ou mais ataques inflamatórios – ou crônica – caracterizada por estado inflamatório que não cessa.

As apresentações aguda e crônica têm também tratamentos e diagnóstico distintos.

Causas

A doença diverticular se forma por conta da presença de pontos mais “fracos” nos cólons intestinais. Com aumentos na pressão abdominal, os divertículos surgem. Caso haja uma infecção, estará instalada a diverticulite.

Fatores de risco

Os fatores de risco para desenvolvimento da doença diverticular dos cólons estão relacionados à má alimentação, principalmente pobre em fibras, e obesidade. Além disso, tabagismo e sedentarismo também elevam risco da doença.

Sinais e sintomas de diverticulite

Pode ser assintomática, mas nos demais casos os sintomas de diverticulite são: dor do lado esquerdo do abdômen, alteração do hábito intestinal, sangramentos intestinais, febre, náuseas e queda do estado geral.

Diagnóstico

Na fase aguda da doença, tomografia computadorizada e exames laboratoriais são suficientes para diagnóstico e definição de tratamento. Já na fase crônica, provavelmente será necessária colonoscopia.

Qual profissional procurar?

Caso desconfie de diverticulite inflamada, procure um gastroenterologista, coloproctologista ou cirurgião do aparelho digestivo.

Diverticulite tem cura?

A cura se dá pela cirurgia de ressecção do intestino comprometido, porém esta só é indicada no caso de diverticulite grave ou com quadros repetidos.

Tratamento

As opções de tratamento para diverticulite incluem:

Medicamentos

Na fase aguda da doença, antibióticos são recomendados para tratar a infecção que causou a inflamação dos divertículos.

Também pode ser indicado o uso de analgésicos, caso haja dor.

Cirurgia

Caso haja complicações, como formação de abcessos, perfurações intestinais ou obstruções, é indicada cirurgia.

Já a operação para ressecção de parte do intestino pode ser recomendada em quadros recorrentes de diverticulite.

Dependendo da porção ressecada do sistema digestivo, pode ser necessário colocar uma bolsa de colostomia.

Dieta para diverticulite

Em casos de diverticulite aguda, o médico poderá recomendar jejum ou dieta líquida para que o órgão se recupere.

Na fase crônica, a alimentação para diverticulite adequada é fundamental para evitar crises e garantir qualidade de vida.

Ainda não se sabe exatamente o motivo, mas o consumo adequado de fibras – presentes em frutas, vegetais, legumes e grãos, principalmente – não só ajuda a prevenir o surgimento da doença, como é importante para evitar crises. O consumo de água adequado é fundamental para que as fibras não causem um efeito rebote, a constipação.

Prognóstico

A doença precisa de acompanhamento frequente, com consultas médicas e exames como colonoscopia, para que se mantenha sob controle.

Também é necessário manter uma alimentação saudável e combater outros fatores que agravam o quadro, como a obesidade.

Em muitos casos, é possível conviver bem com a doença. Em outros, no entanto, podem haver complicações e mudanças na rotina, como, por exemplo, com o uso de uma bolsa de colostomia para eliminar fezes.

Complicações

Bolsa de colostomia.
matuska/Shutterstock

Abscesso

Abscesso é o acúmulo de pús em algum ponto do intestino. Acontece como consequência de um processo infeccioso e, geralmente, uma cirurgia é necessária para drená-lo.

Bloqueio intestinal

Os processos de cicatrização das lesões intestinais podem causar bloqueios do órgão, impedindo a saída de fezes.

Fístula

Fístula é uma perfuração que acaba conectando inadequadamente duas partes diferentes do intestino ou até mesmo o intestino e a bexiga.

Peritonite

O peritônio é uma camada que reveste internamente a cavidade abdominal. Caso haja vazamento de conteúdo intestinal para esta região, o peritônio pode inflamar, levando à peritonite.

Pode matar?

O médico explica a diverticulite só mata em caso de complicações. Perfurações intestinais são especialmente graves e podem causar risco de vida.

Pode virar câncer?

Câncer intestinal e diverticulite são doenças com causas e sintomas parecidos, por isso, a relação entre elas já foi investigada. Há relatos científicos, inclusive, que apontam a descoberta de câncer pelo exame de colonoscopia poucas semanas após crise de diverticulite aguda.

Porém, até o momento a relação entre as duas doenças é controversa. Alguns estudos apontam que pode haver ligação, mas nada está provado ainda.

Prevenção

Para prevenir a diverticulite, é necessário manter hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e rica em fibras, combater o sedentarismo, assim como a obesidade. Fumar também pode predispor esta doença, assim como uma série de outros problemas de saúde. Portanto, evite.

Fonte

Cirurgião Rafael Cauê Katayama, do Centro Médico Consulta Aqui. CRM 133873/SP