Diarreia: causas, remédios, o que é bom e lista de alimentos

31 de julho de 2018

|

POR Vinícius De Vita

Diarreia é um quadro bastante comum e que tem como principal característica a evacuação frequente de fezes líquidas, muitas vezes sem que a pessoa consiga controlar. Também chamada de disenteria, ou popularmente conhecida como “piriri” ou “desarranjo”, pode ser provocada por inúmeros fatores.

Sua forma aguda geralmente dura em torno de 2 a 3 dias. Quando permanece por mais tempo, pode ser sinal de um problema de saúde mais grave.

A seguir, saiba quais são as causas e o que é bom para diarreia:

O que causa diarreia

A lista de possíveis causas da diarreia é extensa, visto que muitos fatores podem levar as fezes a perderem consistência. No entanto, o problema quase sempre é provocado por infecção viral, bacteriana ou por outro tipo de micro-organismo que entra no organismo e compromete o funcionamento do sistema gastrointestinal.

Abaixo, separamos as causas mais frequentes da diarreia:

Como se vê, a lista é extensa e bastante diversa: as causas podem ser resultado de situações cotidianas, como ingerir algum alimento vencido, ou até mesmo doenças graves, como o câncer.

Tipos de diarreia

Geralmente, algumas possibilidades de diagnóstico são eliminadas por meio da observação do tempo de duração da diarreia.

Por exemplo: se ela dura por poucos dias e desaparece em menos de uma semana, possivelmente se trata de uma diarreia aguda. Contudo, se persistir por mais tempo e não for resolvida mesmo com a ingestão de medicamentos vendidos sem necessidade de receita médica, pode ser que estejamos falando de uma diarreia crônica.

Entenda melhor:

Diarreia aguda

Pode ser provocada por infecções virais (um exemplo comum é o rotavírus), bacterianas (E. coli e Salmonella, entre outras) e parasitárias (como os causadores de giardíase, além de outros).

Diarreia crônica

Algumas bactérias invadem o organismo e não desaparecem espontaneamente, perdurando por muitos dias ou, até mesmo, semanas, de modo a necessitarem de atenção médica.

Além disso, intolerâncias alimentares e problemas no aparelho digestivo também são causas comuns que tornam a diarreia um problema corriqueiro e crônico.

Também é possível desenvolver quadros frequentes após passar por uma cirurgia abdominal ou com o uso prolongado de alguns medicamentos, como laxantes e antibióticos — que podem alterar a microbiota intestinal.

Fatores que podem contribuir

Consumir bebidas alcoólicas exageradamente, beber muito café ou produtos que contenham cafeína, cigarro, ingerir água da torneira ou se alimentar com comidas contaminadas com coliformes fecais e até viajar para países com problemas de saneamento básico são alguns dos fatores que contribuem para a diarreia.

Sintomas associados

Dor de barriga.

Emily frost/ShutterstockA diarreia muitas vezes é o sintoma de outro problema de saúde. No entanto, ela eventualmente pode vir acompanhada de outros sinais, tais como:

  • Cólicas
  • Dor na região do abdômen
  • Febre
  • Presença de muco, gordura ou sangue nas fezes
  • Barriga inchada
  • Náuseas e vômitos

No geral, podemos descrever um episódio de diarreia como a sensação frequente e urgente de evacuar. Isso ocorre porque as fezes estão líquidas e com muito pouca consistência.

Diarreia: o que fazer?

O tratamento para diarreia geralmente começa em casa. A regra principal é ingerir muito líquido para repor o que foi perdido nas evacuações e evitar desidratação.

Eventualmente, também pode ser necessário fazer uso de alguns medicamentos. Muitos não precisam de receita médica, mas o melhor a fazer é aguardar alguns dias para dar tempo de o problema desaparecer espontaneamente. Procure não utilizá-los sem necessidade — por isso a orientação médica é sempre importante.

Tratamentos caseiros

Soro caseiro

A melhor forma de se parar a diarreia sem precisar sair de casa é aprendendo a fazer soro caseiro. Basta misturar 1 litro de água, cerca de 3,5 gramas de sal e 20 gramas de açúcar e beber. Ele é ótimo para combater a desidratação provocada por vômitos e também por disenteria.

Alimentação leve

Quando ainda estiver evacuando fezes líquidas, procure manter uma alimentação leve. Dê preferência para sucos e sopas e, aos poucos, vá introduzindo alimentos com outras consistências novamente à dieta.

Remédio para diarreia

Existem alguns medicamentos de venda livre que podem ser usados para ajudar no tratamento. O mais conhecido deles é o xaccharomyces boulardii, cujo nome comercial mais famoso é Floratil, que contribui para a reposição da flora intestinal. Há também o cloridrato de loperamida, conhecido como Imosec, e a Prednisona.

O que comer quando está com diarreia?

tipos de alimentos
Africa Studio/Shutterstock

Muitos se perguntam o que comer e o que evitar quando está com diarreia. Pensando nisso, elaboramos uma lista para você usar como referência sempre que precisar:

Alimentos permitidos

  • Abobrinha
  • Abóbora
  • Água de coco
  • Arroz integral
  • Banana (preferencialmente a banana-maçã ou banana-prata)
  • Batata (purê de batata)
  • Bebidas isotônicas
  • Caju
  • Carnes magras
  • Cenoura
  • Chuchu
  • Chás
  • Frango sem pele
  • Gelatina
  • Goiaba
  • Inhame
  • Limão
  • Macarrão
  • Mandioquinha
  • Maracujá
  • Maçã (sem casca)
  • Mingau
  • Pera (sem casca)
  • Purê de frutas
  • Pêssego
  • Sopas e caldos leves
  • Tomate sem pele

Alimentos a serem evitados

Outras dicas

Procure beber de 8 a 10 copos de água por dia e consuma cerca de 500 ml de líquido logo após a evacuação. Além disso, faça pequenas refeições ao longo do dia — evite comer muito de uma só de vez.

Também é importante repousar e permanecer em casa durante os dias em que estiver precisando ir ao banheiro com muita frequência.

Por fim, fique atento aos sintomas de desidratação: sede excessiva, boca e pele secas, sensação de fraqueza, tonturas e vertigem são os principais. Busque um médico caso eles se tornem muito incômodos.

Como prevenir a diarreia?

Nem sempre é possível cortar diarreia, mas podemos tomar algumas medidas que ajudam a reduzir seus riscos:

  • Lave muito bem as mãos e evite levá-las à boca quando estiver na rua;
  • Use álcool em gel para desinfetar as mãos com frequência;
  • Não consuma alimentos ou ingira líquidos cuja procedência seja duvidosa;
  • Evite comer frutas e vegetais sem lavá-los;
  • Evite o consumo de laticínios se tiver intolerância à lactose.