Desvio de septo: o que causa e como é feita a cirurgia para corrigi-lo?

29 de janeiro de 2019

|

POR Manuela Sampaio

O desvio de septo nasal é uma condição relativamente comum que pode ser congênita ou adquirida ao longo da vida. Em muitos casos sequer causa sintomas, mas em outros pode dificultar a respiração e gerar incômodos como dor de cabeça e sinusites de repetição.

Felizmente, a cirurgia é um método bastante eficaz para sanar de vez as complicações. Entenda tudo sobre o problema e sua resolução a seguir.

O que é?

A otorrinolaringologista Jeanne Oiticica, otoneurologista e chefe do Grupo de Pesquisa em Zumbido do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, explica que o septo é uma parede formada por osso, mucosa e cartilagem que divide o nariz ao meio, resultado em dois grandes túneis chamados de fossas.

A estrutura se estende por 8 cm ao longo da face, desde a ponta até o fundo do nariz (na altura dos ouvidos), e normalmente é centrada e reta, sendo qualquer tortuosidade considerada desvio de septo.

Causas

A especialista explica que o desvio de septo pode ser hereditário, decorrente de traumas no parto normal ou em qualquer outro momento da vida.

Como saber se tenho?

 

Nariz com desvio de septo.

corbac40/Shutterstock

Obstrução nasal

A obstrução nasal (dificuldade de respirar pelas narinas) costuma ser um dos principais sintomas do desvio de septo. Em geral, uma das narinas é mais acometida que a outra e a queixa costuma ser persistente daquele lado.

Cefaleia rinogênica

Outra possível queixa é a cefaleia rinogênica, ou seja, dores de cabeça recorrentes que podem ser confundidas com enxaqueca ou sinusite. Trata-se de um incômodo decorrente de ponto de contato do septo com a concha nasal.

Sinusites

O desvio de septo também pode contribuir para sinusites recorrentes a depender de sua localização e severidade.

Diagnóstico

O diagnóstico envolve a coleta de história clínica e exames físicos minuciosos.

Exames complementares também podem ser solicitados e incluem:

Nasofibrolaringoscopia: endoscopia das narinas e recessos nasais que permite avaliar crescimento e aspecto da mucosa, pontos de contato, características do desvio de septo, presença de secreção, massas, pontos de sangramento ou tumores.

Tomografia computadorizada dos seios da face: fundamental diante de queixa de dor na face ou nariz.

Rinomanometria: eventualmente pode ser solicitada a rinomanometria, que avalia a função respiratória nasal, mede a pressão e o fluxo de ar durante a inspiração e expiração espontânea.

Qual profissional devo procurar?

Busque um otorrinolaringologista caso sinta algum sintoma ou desconfie ter desvio do septo.

Complicações

Sinusites de repetição

A sinusite é a inflamação das mucosas dos seios da face, cavidades ósseas presentes no rosto. Ela pode ser causada por fatores que impedem a adequada drenagem de suas secreções, como a obstrução gerada pelo desvio de septo.

Ronco

Caso o desvio de septo cause obstrução parcial da cavidade nasal, a respiração durante a noite pode ser ruidosa devido à passagem de ar pela via não estar totalmente livre.

Dificuldade respiratória

Por reduzir o espaço de uma das narinas, o desvio de septo pode causar dificuldade respiratória com esta característica de ser unilateral.

Sangramento e ressecamento nasal

A obstrução nasal pode ainda causar ressecamento e consequente sangramento do nariz.

Tem cura?

O septo torto pode ser “arrumado” com uma cirurgia, mas nem todo caso necessitará do procedimento.

Caso não haja sintomas – como dificuldade de respirar, sinusites repetitivas que não respondem bem ao tratamento com medicamentos ou dores de cabeça –, o paciente pode conviver perfeitamente bem com a tortuosidade.

Cirurgia de desvio de septo

Indicação

A cirurgia pode ser indicada em casos de obstrução nasal persistente que não responde ao tratamento conservador, sinusites de repetição cuja causa seja o desvio de septo nasal, cefaleia rinogênica cuja dor de cabeça tenha origem no ponto de contato das mucosas do septo com as conchas nasais.

Como é feita?

A septoplastia é feita com o paciente com anestesia geral, entubação e em ambiente hospitalar.

O procedimento é realizado com equipamentos especialmente desenvolvidos para acesso a tal estrutura e pode ser necessário o uso de vídeo endoscopia nasal durante a operação.

É feito um corte dentro do nariz, na mucosa que recobre o septo nasal. Então, é realizado o descolamento da mucosa aderida ao osso/cartilagem dos dois lados e a remoção da área específica do septo nasal que se encontra tortuosa.

Recuperação

Em geral, o paciente recebe alta no dia seguinte ao procedimento. O repouso pós-operatório domiciliar é de geralmente de uma semana. A recuperação completa ocorre de 15 a 30 dias, a depender do caso.

Há quem realize a cirurgia de desvio de septo juntamente com a rinoplastia para fins estéticos, o que pode mudar a técnica usada e o tempo de recuperação.

Prognóstico

É possível viver perfeitamente bem tendo desvio de septo, visto que muitas pessoas sequer sentem os efeitos da tortuosidade na estrutura nasal.

No entanto, caso sintomas surjam de maneira persistente e o indivíduo sinta piora em sua qualidade de vida, a cirurgia se mostra eficaz para reduzir dificuldades respiratórias e aliviar complicações.

 

Fontes

Otorrinolaringologista Jeanne Oiticica, otoneurologista e Chefe do Grupo de Pesquisa em Zumbido do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. CRM 96354/SP

American Academy of Otolaryngology — Head and Neck Surgery. Fact sheet: Deviated septum. Disponível em: www.entnet.org/?q=node/1406

American Rhinologic Society. Rhinoplasty. care.american-rhinologic.org/rhinoplasty_overview