Dente quebrado: causas, tipos, o que fazer e tratamentos para a fratura

Atualizado em 21 de outubro de 2020

Revisado por: Marcos Moura

CRO 1210/AL

Os dentes são estruturas extremamente fortes localizadas na boca. Apesar disso, eles podem quebrar, trincar ou se romper na boca, resultando em dores agudas e risco de infecções. Saiba tudo sobre dente quebrado e como resolvê-lo o problema.

O que é o dente quebrado?

Os dentes são formados por quatro estruturas principais: polpa, dentina, cemento e esmalte. Cada uma delas tem uma composição estrutural com alta resistência que absorve e transmite para os tecidos de suporte as cargas mecânicas produzidas pelo encontro da mandíbula superior e inferior.

“Se uma força oclusal (produzida pelo encontro dos dentes) gera uma tensão que não é absorvida e transmitida para os tecidos adjacentes, pode ocorrer uma fratura – ruptura com deslocamento de fragmento”, explica o cirurgião-dentista Frederico Goulart, especialista em implantodontia e prótese dentária.

Possíveis causas

“Dente quebrado por cárie é a maior causa de fratura dentária. Isso geralmente ocorre porque pacientes não conseguem ver a cárie, o que permite que destrua o dente. Em geral, a pessoa só procura ajuda quando percebe a fratura ou sente dor”, explica a cirurgiã-dentista Leila Donni, da Odonto Itanhangá.

As principais causas de fratura são:

  • Dentes mal posicionados na arcada dentária
  • Perda de um ou mais elementos dentários, resultando em maior incidência de carga sobre outros
  • Contatos entre os dentes cuja força gerada não é bem absorvida
  • Hábitos parafuncionais, como o bruxismo
  • Fraturas de coroa e de raiz
  • Cáries, restaurações extensas e tratamentos de canais que já foram feitos

Sinais de dente quebrado

Os sinais mais comuns de quando a pessoa está com o dente quebrado, são:

  • Dor após a mastigação
  • Falha ou rachadura no dente
  • Inchaço ou inflamação em volta do dente

Caso apresente qualquer sinal de fratura ou rachadura no dente, o indivíduo deve procurar um dentista.

Quais são os tipos de fratura?

As fraturas podem acometer a porção coronária (porção visível dos dentes)e/ou radicular (raíz dos dentes).

Fraturas coronárias

As fraturas coronárias, na maioria dos casos, permitem que o dente seja reconstruído por meio de restaurações ou prótese dentárias.

Elas podem ocorrer por inúmeros fatores, mas a grande maioria é por:

  • Cáries: desgastam o dente pela lateral o deixam com aparência de uma casquinha de ovo, facilitando fraturas pela mastigação. Esse é o tipo de fratura mais frequente;
  • Restaurações extensas: a parede do dente fica muito fina com restaurações e, consequentemente, fratura;
  • Pancada: traumas nos dentes, como os causados por quedas ou socos, precisam de acompanhamento e restauração;
  • Tratamentos de canais anteriores: “Pessoas argumentam que trataram o canal para salvar o dente e não adiantou nada. Realmente não adianta, já que para solucionar o problema é preciso tratar o canal e ainda fazer coroa e bota pino”, explica a especialista.

Fraturas radiculares

As fraturas radiculares não permitem a reconstituição do elemento dentário. Nesses casos, é necessária a extração do dente e o planejamento da reposição por implante ou próteses dentárias.

A fratura de raiz pode ser devido a um pino mal colocado em um canal inadequado, por exemplo.

O que fazer quando o dente está quebrado?

A primeira coisa que se deve fazer ao percebe que o dente quebrado é procurar um odontologista. Ele poderá analisar a boca por completo e entender a extensão do problema.

Algumas pessoas ainda conseguem recuperar o pedaço do dente quebrado. A dentista Leila Donni indica guardá-lo em leite, água ou soro fisiológico e procurar imediatamente um dentista.

Tratamentos para dente quebrado

Essas fraturas podem ser resolvidas com alguns dos tratamentos possíveis, mas é preciso agir rapidamente para que o estado do dente e da boca não se agrave.

Polimento do dente

Essa solução é a mais simples e acontece quando o dente quebrado tem dano pequeno. Nela, é realizado desgaste e polimento do dente para criar uma superfície lisa e que não corte ou se friccione contra as outras partes da boca.

Restauração

Quando a fratura é de tamanho pequeno a médio, pode ser feito o procedimento de restauração dos dentes.

Nele, a parte fraturada é preenchida com material apropriado (depende da quantidade de estrutura comprometida/perdida) — geralmente resina ou amálgama de prata — para devolver ao dente a sua forma e função original.

Essa restauração pode ser:

  • Direta: feita pelo próprio dentista no momento da consulta.
  • Indireta: é moldada a prótese que o paciente precisa em um laboratório, ou seja, é mais demorado.

Colocação de coroa

Se a fratura for muito grande, em muitos casos, é indicado a colocação de uma coroa. Ela, geralmente, é produzida em metal ou cerâmica e reproduz sua forma e função original.

Tratamento de canal

Em casos mais severos de fratura, após avaliação o dentista, poderá ser indicado a realização do tratamento de canal.

O trauma pode danificar a polpa do dente a ponto de necrosar, causando o mesmo processo de infecção provocado por cáries. Ele deve ser feito juntamente com a reconstrução da coroa.

Extração do dente

Quando há um dano muito grave, é preciso extrair o dente.

Geralmente, esse procedimento é feito em último caso, quando a fratura ultrapassa a linha da gengiva e não permite que o dentista restabeleça o dente quebrado. É a melhor opção para aliviar a dor e eliminar o risco de infecção.

 

Fontes

Cirurgiã-dentista Leila Donni – CRO 29885/RJ

Cirurgião-dentista Frederico Goulart, especialista em implantodontia e prótese dentária

Cirurgião-dentista Marcos Moura, diretor executivo na Associação Brasileira de Halitose – CRO 1210/AL