Dengue: sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção

19 de dezembro de 2017

|

POR Vinicius de Vita Cavalheiro

Anualmente, o Ministério da Saúde divulga um balanço do status das doenças provocadas pelo mosquito Aedes aegypti no Brasil, entre elas a dengue, o zika vírus, a febre chikungunya e a febre amarela.

Os números de 2017 já saíram e os resultados são bastante positivas. Confira abaixo os principais destaques e entenda como está a epidemia da doença no país.

Saiba mais sobre a dengue

Os números atualizados da dengue no Brasil

  • O número de casos caiu 83,7% entre janeiro e novembro de 2017 em comparação com o mesmo período do ano passado;
  • Já o número de óbitos relacionados à doença também caiu — desta vez 82,4% em relação a 2016;
  • Ao todo, foram encontrados 65 mil focos de mosquito;
  • De todos, o principal meio de reprodução do Aedes aegypti foram os chamados focos de água parada ao nível do solo, como pneus, barris, toneis etc.;
  • As principais regiões afetadas pela doença em 2017 foram o Centro-Oeste e o Nordeste;
  • De acordo com o novo Mapa da Dengue, 357 cidades foram classificadas em situação de risco para a doença;
  • Outros 1.139 municípios estão em situação de alerta.

Abaixo, confira uma lista com tudo o que você precisa saber sobre dengue e tire suas dúvidas.

O que é dengue?

A dengue é uma doença provocada por vírus e transmitida via picada do mosquito Aedes aegypti. Ela é mais comum em regiões tropicais e subtropicais.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a dengue não é uma doença exclusiva do Brasil. Cerca de 50 a 100 milhões de pessoas em mais de 100 países de todos os continentes, com exceção da Europa, se infectam com o vírus que provoca essa doença todos os anos.

Dengue mata?

Em geral, ela é uma doença potencialmente grave, que em alguns casos pode provocar a chamada dengue hemorrágica e levar à morte.

Há maior risco de agravamento da doença quando a mesma pessoa contraiu a enfermidade mais de uma vez. Isso é possível porque existem ao todo quatro tipos de vírus que provocam a dengue — e uma vez contraído um vírus, a pessoa se torna automaticamente imune a ele.

Por isso, diz-se que uma mesma pessoa só pode ter a doença quatro vezes na vida.