Como a pandemia do coronavírus afeta a saúde mental? Sinais de alerta

Atualizado em 26 de março de 2020

|

POR Bruno Botelho dos Santos

Há muitas maneiras e razões pelas quais a pandemia de coronavírus (COVID-19) pode afetar a saúde mental, já que todo esse cenário pode ser excessivamente estressante para as pessoas, contribuindo para ansiedade e, até mesmo, depressão.

Por isso, saber quais são os fatores que podem afetar seu bem-estar pode ajudá-lo a tomar medidas para combater esses problemas. Entenda como o coronavírus afeta a saúde mental.

Maneiras que o coronavírus afeta a saúde mental

“Nessas épocas de ‘incertezas’ e ‘intranquilidades atemporais’, as reverberações ansiosas e depressivas atingem proporções muito maiores”, alerta o psicólogo Alexandre Bez.

A ansiedade, assim como as manifestações depressivas, é uma doença extremamente preocupante para a saúde e o bem-estar. O estresse, nunca é aliado mental, nem físico, já que muitas vezes é responsável pelo aparecimento dessas duas patologias mentais.

Estando, como todos nós estamos, em um momento de turbulência sem data para acabar, o cérebro processa essas informações sendo extremamente negativas e vai aumentando com o passar dos dias.

“A mente humana quando submetida a intensa preocupação e intensa tensão, medo, angústia, acaba por desenvolver um esgotamento emocional muito grande”, explica a psicóloga Veruska Ghendov.

Pessoas com depressão, nessa época de turbulências e incertezas, aumentam consideravelmente o pessimismo, sendo que este juntamente com a persistência de uma tristeza contínua, são a base dos sentimentos da depressão.

Então, temos um tripé: na base encontra-se estresse e, nas pontas, depressão e ansiedade.

Sinais de alerta para a saúde mental

Se você tem depressão, ansiedade ou qualquer outro transtorno mental, seus sintomas podem se intensificar durante períodos estressantes. E mesmo que sua saúde mental fosse boa antes da pandemia, podem emergir novos sintomas.

Veja quais são os sinais de alerta que podem indicar problemas na sua saúde mental:

Mudanças no humor

Esse cenário proporciona uma montanha-russa emocional. Se você está mais irritado, triste ou ansioso do que o normal, essas emoções devem ser esperadas.

No entanto, mudanças maiores no seu humor podem ser o sinal de algo mais sério. Se você está lutando para gerenciar suas emoções, ou se suas emoções dificultam estão atrapalhando sua rotina, pode ser um sinal preocupante para a saúde mental.

Mudanças nos hábitos do sono

O estresse também pode interferir no sono. Dormir demais ou pouco são sinais de problemas na saúde mental.

Eles podem ser a causa de um impacto negativo no seu bem-estar psicológico. Portanto, os dois problemas podem precisar ser tratados simultaneamente.

Alterações no apetite ou no peso

Angústia pode causar em algumas pessoas o hábito de comer demais – podendo até mesmo gerar uma compulsão alimentar –, outros perdem completamente o apetite.

Se você estiver experimentando uma grande mudança no apetite ou no peso, pode ser um sinal de que sua angústia é muito alta e precisa de cuidados com a saúde mental.

Dificuldade de funcionamento

Pode achar que tem mais dificuldade em se concentrar, permanecer focado nas tarefas e ser produtivo. Embora a mudança na rotina possa dificultar essas coisas, a saúde mental comprometida também pode ser um fator.

Se você está tendo problemas para cuidar de suas necessidades diárias – como tomar banho e fazer tarefas domésticas por exemplo – pode ser um sinal de que você pode precisar tomar medidas sérias para melhorar seu bem-estar psicológico.

Como lidar com estresse e ansiedade?

Existem algumas maneiras de lidar com estresse e ansiedade durante a pandemia do coronavírus (COVID-19), algumas delas são:

  • Tranquilidade e manter a calma: entrando em pânico a situação só vai piorar. Além do que, as manifestações ansiosas, assim bem como as suas derivadas (ansiedade generalizada + síndrome do pânico) podem se desenvolver, entre tantos outros sintomas, as impressões físicas (especialmente de falta de ar), podendo ser confundido com os sintomas do coronavírus
  • Planejamento: o planejamento é extremamente indicado nessa época de turbulência sem data exata para acabar. Tenha em mente que a incerteza é infelizmente o grande mote dessa patologia no momento. Em função dessa negativa mais importante, é se planejar semanalmente, para não acumular mais ansiedade
  • Abstenção ocasional de informações: para não se sobrecarregar de informações extras, e outras falsas, tente de vez em quando se abster de ler, ouvir e assistir as notícias. Essa conduta comportamental ajuda a diminuir a ansiedade. Esteja informados com informações relevantes, se projeta, mas preserve sua saúde mental
  • Atividades físicas: não deixe de fazer as suas atividades físicas, porém, é claro, dentro do seu espaço geográfico. Não saia de casa, tente se exercitar com seus familiares, cônjuges e amigos que estejam realizando a quarentena junto com você
  • Alimentação, relaxamento, meditação: a alimentação é importante, assim como se restringir à ingestão de bebidas alcoólicas, e a do tabaco e nicotina. Relaxamento e práticas de meditação ajudam muito também. “Inspire positividade e expire negatividade”, orienta o psicólogo Alexandre Bez.

 

Fontes

Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Manage Anxiety & Stress. Disponível em: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/prepare/managing-stress-anxiety.html

Psicólogo Alexandre Bez, da Clínica de Psicologia Alexandre Bez

Psicóloga Veruska Ghendov, do Consultório de Psicologia Veruska Ghendov – CRP 06/59039