Colonoscopia: o que é, para que serve, preparo, riscos, preço e mais

Atualizado em 26 de março de 2019

|

POR Amanda Grecco

Embora seja motivo de preocupação e vergonha para muitos pacientes, a colonoscopia é um exame importante para diagnosticar diversas doenças, como o câncer de cólon — que é a porção média do intestino grosso. O procedimento é realizado sob sedação e, portanto, não oferece incômodo ao paciente, porém exige uma dieta específica nos dias anteriores. Entenda:

O que é colonoscopia?

médico com equipamento para colonoscopia
Doro Guzenda/Shutterstock

É um exame endoscópico que obtém detalhes que outros testes laboratoriais não conseguem. O procedimento permite que o médico – gastroenterologista, colonoscopista ou endoscopista – olhe para dentro do cólon por meio do colonoscópio (uma sonda flexível com uma pequena câmera que é introduzida a partir do ânus até o intestino delgado) e analise possíveis alterações na região.

Colonoscopia com biópsia

Em casos de suspeita de câncer ou lesões não identificadas, o médico poderá solicitar uma biópsia da mucosa durante a colonoscopia para análise laboratorial. Entretanto, não há dor para fazer a extração da amostra, já que o paciente se encontra sob sedação e anestesia local.

Para que serve?

Diagnóstico

O exame de colonoscopia é o único capaz de identificar com precisão a presença de pólipos, lesões, inflamações, úlceras, tumores e outras alterações presentes na região.

Indicação terapêutica

O exame também pode ter indicação terapêutica e ser usado para inserções de próteses intestinais e retirada de pólipos e outros corpos estranhos que ficaram presos no intestino.

Preparo para colonoscopia

Para que o colonoscopista consiga examinar corretamente o intestino, sem que sua visão seja obstruída por resíduos de fezes, é muito importante seguir corretamente as instruções médicas que envolvem dieta específica e uso de laxantes.

Confira as indicações mais comuns para a realização do exame:

Dieta

As seguintes orientações são indicadas para um a três dias antes do exame:

Alimentos proibidos

  • Alimentos sólidos
  • Bebidas alcoólicas
  • Líquidos vermelhos ou roxos
  • Leite e derivados
  • Carne vermelha e branca
  • Fibras, sementes, alimentos integrais e cereais
  • Refrigerante ou qualquer outra bebida com gás
  • Leguminosas
  • Pipoca
  • Alimentos gordurosos

Alimentos permitidos

  • Muita água
  • Sopas, purês e cremes
  • Macarrão amassado
  • Batatas cozidas
  • Chás claros
  • Água de coco
  • Sucos coados
  • Bolacha de água de sal

Medicamentos

No dia anterior ao exame, o paciente será orientado pelo médico ou laboratório responsável a ingerir laxantes que provocarão diarreia e flatulência. Em alguns casos, ainda pode haver enjoo e cólicas.

No dia da colonoscopia — a depender do horário em que será realizada — deve-se manter jejum por oito horas, exceto pela ingestão de um líquido que finaliza a limpeza do cólon, como a solução de manitol.

Como o exame é feito?

colonoscopia
Naeblys/Shutterstock

Após seguir a dieta recomendada, que visa a limpeza do intestino, o paciente vestirá uma camisola do hospital e deverá permanecer sem as roupas íntimas. Em seguida, terá seus sinais vitais medidos e receberá um acesso venoso. Depois, será deitado de lado e com os joelhos flexionados e receberá a sedação por meio do acesso.

O médico fará o exame de toque para relaxar a região anal e, logo em seguida, introduzirá o colonoscópio (tubo flexível com câmera) no reto. Essa sonda é fina e possui cerca de um metro de comprimento. Para que a visualização da câmera seja melhorada, pequenas quantidades de ar podem ser injetadas no intestino, as quais possivelmente podem causar um pouco de desconforto após o exame.

Quanto tempo demora?

O exame requer preparação de meia hora para a sedação e dura aproximadamente 45 minutos, mas pode demorar mais se a biópsia for necessária.

Recuperação

Após a finalização, o paciente sedado deverá ficar sob observação por uma a duas horas. Neste período, ele poderá receber soro por via venosa que visa a reposição de água, açúcares e sais minerais, perdidos devido à diarreia induzida pelos laxantes durante o preparo.

É necessário que esteja junto a um acompanhante, que será responsável por conduzir o indivíduo de volta para casa, visto que ele pode estar com os sentidos comprometidos devido à sedação.

É comum que o intestino demore alguns dias para voltar a funcionar regularmente, o que explica alguns desconfortos que podem ser sentidos, como gases e inchaço na região abdominal.

Para reduzir os problemas, é recomendada a suspensão de alimentos que causam gases, tais como leguminosas, bebidas com gás, doces, ovos, brócolis, batata doce e repolho. Em caso de biópsia, o paciente poderá sentir um leve desconforto que passará em poucos dias.

Colonoscopia dói?

A colonoscopia é totalmente indolor, já que o paciente recebe sedação, o que também o livra de incômodos e possíveis retrações que podem atrapalhar o sucesso do procedimento.

Outras recomendações importantes

  • O especialista deverá ser informado em caso de suplementações, medicações, implantes, próteses ou uso de drogas pelo paciente;
  • Medicamentos para diabetes, anticoagulantes e cápsulas de óleo de alho deverão ser suspensos antes do exame, sob orientação médica;
  • O médico deverá ser avisado sobre possíveis alergias medicamentosas, cirurgias anteriores e problemas de saúde;
  • O paciente ficará impedido de dirigir e andar de moto após o exame – mesmo que na garupa;
  • É importante usar roupas confortáveis, sapatos sem salto e levar uma troca de roupa.

Riscos

A colonoscopia costuma ser segura, mas, como qualquer outro exame, pode apresentar complicações em casos raros  (aproximadamente um a cada mil). São elas:

Durante o procedimento

Perfuração

É a complicação mais comum, apesar de sua ocorrência ser de menos de 1%. É mais frequente em portadores de diverticulite, pois as paredes do intestino se tornam mais espessas e irregulares.

A perfuração também pode ocorrer quando a indicação do procedimento é direcionada para a remoção de pólipos ou lesões.

Sangramento

Os sangramentos podem ser decorrentes de perfurações e remoções de pólipos ou de pequenas fissuras causadas pela passagem do colonoscópio em pessoas com alterações na coagulação sanguínea. O tratamento inclui a cauterização da lesão.

Após o procedimento

Sangue nas fezes

É decorrente de algum machucado causado pela passagem do tubo e pode aumentar com o ato de fazer força para eliminar as fezes. Neste caso, é necessário procurar auxílio especializado imediatamente.

Febre, vômitos ou diarreia

Pode ser sinal de alguma bactéria ou ferida aberta dentro no trato digestivo. É importante consultar um médico o quanto antes.

Quando o médico solicita o exame?

câncer colorretal
crystal light/Shutterstock

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), todo indivíduo saudável deve realizar o exame a partir dos 50 anos, idade em que o risco de câncer colorretal é maior. Já a repetição varia de acordo com a visão médica, podendo ser de 2 a 10 anos de intervalo.

Entretanto, existem grupos de risco que precisam ter mais atenção com as doenças de cólon e devem iniciar os exames antes. São eles:

  • Pessoas com doenças inflamatórias intestinais
  • Histórico pessoal ou familiar de pólipos intestinais
  • Histórico pessoal ou familiar de câncer de cólon

Tem alguma contraindicação?

Pessoas que tenham suspeita de abdômen agudo perfurativo, diverticulite em estado avançado ou megacólon tóxico não podem se submeter ao exame. Neste caso, uma opção é a colonoscopia virtual, um exame de imagem que visa visualizar o cólon e reto por meio da tomografia computadorizada.

Além disso, pacientes gestantes a partir do segundo semestre, com infarto recente do miocárdio, embolia pulmonar, aneurisma ou neutropenia também devem conversar com um médico sobre os riscos do exame.

Possíveis resultados

Como o médico visualiza o trato digestivo durante o exame, consegue diagnosticar doenças prontamente. Em caso de biópsia, é necessário esperar a análise laboratorial.

No resultado saudável, é esperado que a mucosa esteja rosada, sem lesões, inflamações ou bolsas.

Já para resultados que requerem atenção, podem ser identificados tumores, lesões, feridas, diverticulite, colite e, em casos extremos, câncer inicial ou avançado de reto ou cólon.

Média de preço da colonoscopia

O valor para a realização do exame varia de acordo com a clínica ou o hospital elegido pelo médico e paciente. A média de preço é de aproximadamente R$ 600*.

*Preços checados em junho de 2018.