Quando fazer cirurgia de hérnia: métodos e riscos

Hérnia consiste em um escape parcial ou total de um ou mais órgãos por um orifício nos tecidos protetores que podem ser causados por malformação ou enfraquecimento. A hérnia abdominal é uma das mais comuns e exige a realização da cirurgia de hérnia.

Existem diferentes tipos da doença que podem fazer com que o procedimento seja necessário, como inguinal, epigástrica, umbilical, de hiato, incisional e diafragmática.

A cirurgia para remoção da hérnia é fundamental, mesmo que a condição não ofereça desconforto ao paciente.

Quais são as complicações da hérnia?

Em geral, hérnias são reduzíveis, ou seja, podem ser manipuladas novamente para a cavidade abdominal sem grandes desafios ao cirurgião responsável ou riscos ao paciente.

No entanto, existem casos nos quais ocorrem complicações e a hérnia torna-se irredutível, sendo também chamada de hérnia encarcerada. Nesse caso, não é possível devolvê-la ao local de origem e existem duas complicações relacionadas:

  • Estrangulamento: ocorre quando a pressão na hérnia pode comprometer o fluxo sanguíneo em uma parte do órgão ou tecido ou em todo ele, de modo a ocasionar quadro de isquemia, morte celular ou gangrena. Nesses casos, a cirurgia de hérnia deve ser realizada em caráter emergencial;
  • Obstrução: ocorre quando o extravasamento de parte da hérnia no intestino prejudica o funcionamento dos órgãos provocando problemas para defecar e vômitos.

Tanto a hérnia estrangulada quanto a obstruída são condições graves que justificam a realização de cirurgia urgente.

Qual é o tratamento?

O tratamento sempre é a cirurgia para hérnia, que deve ser urgente nos casos que apresentam complicações e agendada quando não há riscos iminentes ao paciente. O procedimento inclui duas técnicas:

Cirurgia tradicional

A correção definitiva da hérnia envolve procedimento cirúrgico. Na técnica tradicional é realizada cirurgia aberta que envolve uma incisão no abdômen para recolocar a hérnia dentro da cavidade abdominal e fechar o orifício, com pontos diretos ou com uma tela em caso de necessidade de reforçar o tecido.

Cirurgia laparoscópica

Outra opção de cirurgia de hérnia é a via laparoscópica, na qual são realizadas pequenas incisões de 1 cm para inserção da câmera e instrumentos cirúrgicos. Além disso, é injetado gás carbônico para melhorar o espaço e a visualização das estruturas.

O resultado inclui cicatrizes discretas e um pós-operatório mais tranquilo.

Quando fazer cirurgia de hérnia?

O procedimento cirúrgico deve ser realizado emergencialmente em caso de diagnóstico de hérnia encarcerada, visando garantir a saúde e mantimento da vida do paciente. Já em casos de hérnia sem complicações, a cirurgia também deve ser realizada, mas agendada.

A cirurgia é o único tratamento definitivo para a condição, sendo essencial a avaliação do médico especialista em hérnia para determinar gravidade e caráter do procedimento.