Cárie dentária: o que é, sintomas e como tirar e prevenir o problema

Atualizado em 31 de outubro de 2019

Revisado por: Julia Cardoso

DENTISTA | CRO RJ 43046

Cárie dentária (ou simplesmente cárie) é um dos problemas de saúde bucal mais comuns da humanidade e consiste em uma alteração na mineralização do esmalte dentário causada por alterações no pH bucal, as quais resultam em pequenas lesões na cavidade dos dentes.

Saiba mais sobre as causas, tratamentos e formas de prevenção a seguir:

O que é cárie?

A cárie acontece quando há um desequilíbrio no meio bucal que favorece a desmineralização do esmalte dentário.

Quando restos alimentares são mantidos na boca, o pH salivar fica ácido, o que favorece o acúmulo de streptococcus mutans (um dos principais micro-organismos que geram cárie). Esse germe  produze ainda mais ácido que, com o tempo, pode resultar na perda da superfície dentária e na formação da cavidade.

Quais são as causas?

 

causa da cárie

Kateryna Kon/Shutterstock

“A principal causa do surgimento de cárie no dente é a falta de higiene bucal”, explica a cirurgiã-dentista Leila Donni, da clínica Odonto Itanhangá.

Segundo ela, a limpeza inadequada é ainda pior se somada ao consumo exagerado de alimentos com açúcar, como bolos, doces ou biscoitos, já que cria um ambiente propício à proliferação de bactérias.

Inclusive, há a cárie de mamadeira, condição que afeta crianças pequenas que costumam ingerir líquidos açucarados à noite e não escovar os dentes.

Tipos de cáries dentárias

A cárie pode aparecer em três tipos:

Coronária

São as cáries mais frequentes, as quais podem ocorrer tanto em adultos como em crianças. Afetam a parte visível dos dentes, chamada de coroa.

Apesar disso, é considerado o tipo mais fácil de diagnosticar e tratar.

Radicular

Maior frequência quando há retração gengival

Costuma aparecer com maior frequência quando há retração gengival (que pode acontecer pelo envelhecimento ou por outros fatores,  como má-oclusão ou traumas), de modo a deixar exposta uma parte frágil do dente, que não tem esmalte e, normalmente, fica sob a gengiva e o osso.

Ou seja, esse tipo afeta diretamente a raiz dos dentes, sendo mais grave, uma vez que o tecido desta área é menos duro que o esmalte, permitindo que a progressão da lesão de cárie seja mais rápida.

Recorrente

É caracterizada pela recidiva da cárie em uma região que foi previamente tratada. Ocorre o acúmulo de placa bacteriana em volta dos materiais de tratamentos já feitos, como a resina das restaurações.

Fatores de risco

Segundo a dentista Juliana Kruel, da Crie Odontologia, a doença é multifatorial. Os fatores de risco para que ela ocorra são:

  • Má higiene bucal, que resulta no acúmulo de placa bacteriana;
  • Alimentação cariogênica — baseada em alimentos que estimulam o desenvolvimento da cárie dentária, como os ricos em carboidratos fermentáveis, como pão branco, bolos, bolachas e doces;
  • Alterações imunológicas que podem alterar a composição salivar e fazer com que haja menos proteção por parte da saliva.

Sintomas de cárie

Os sintomas dependem da fase em que a doença se encontra:

Fase inicial

Neste período, muitas vezes o dente com cárie não tem quaisquer sintomas, porque apresentam apenas manchas brancas e porosas, as quais podem ser percebidas em um exame clínico.

Estado intermediário ou avançado

Nesta fase, já há a formação de cavidades que, quanto mais profundas, mais sintomas dolorosos podem apresentar.

Em alguns casos, a cárie se manifesta com:

  • Dor que piora ao comer ou beber algo doce, frio ou quente
  • Presença de furinhos em um ou mais dentes
  • Sensibilidade ao tocar em um dente
  • Gengiva inchada e dolorida, no local, quando há contato da superfície cavitada

“Assim que aparecem os primeiros sintomas é muito importante ir imediatamente ao dentista para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado, a fim de evitar complicações, como uma infecção mais grave ou a perda de um dentes”, alerta a cirurgiã-dentista Leila Donni.

Diagnóstico

O diagnóstico da doença deve ser feito por um odontologista por meio de entrevista e exames que diagnosticam e indicam o estágio do problema. Eles são:

  • Exames radiográficos, como o raio-X dentário
  • Anamnese: série de perguntas sobre histórico do paciente, incluindo a presença e características de dor
  • Exames clínicos visuais (com auxílio de instrumentos)

Cárie tem cura?

Dente cariado tem cura por meio de tratamento adequado, que normalmente salva o dente e a saúde dentária. Porém, o prognóstico do quadro dependerá de qual fase se encontra a doença.

O tratamento precoce e no estágio inicial costuma ser menos doloroso e mais barato do que o realizado em estágio avançado.

Como tirar cárie?

Se estiver na fase inicial, o odontologista consegue reverter o processo de desmineralização do elemento dental com aplicações de flúor, que devem ser complementadas pela correta higienização por parte do paciente.

“Já na etapa intermediária, é necessário uma restauração do dente. Ainda há casos que está tão avançado que é preciso fazer o tratamento de canal e realização de blocos ou coroas”, explica a dentista Juliana Kruel.

Como prevenir

Para evitar cárie dentária é necessário manter uma uma alimentação nutritiva e equilibrada e evitar alimentos com açúcar ou farinha refinada.

Além disso, a maneira mais prática de evitar o acúmulo de placa é manter:

  • Higienização adequada dos dentes com fio dental e escovação
  • Consultas periódicas no cirurgião-dentista para acompanhamento e prevenção