Câncer de pênis: sinais e sintomas comuns, causas e como tratar

Atualizado em 05 de setembro de 2018

|

POR Vinícius De Vita

O câncer de pênis, como o próprio nome diz, é o tipo de tumor que acomete o órgão genital masculino. É uma doença agressiva e que é mais comum em países subdesenvolvidos e em desenvolvimento, já que tem relação próxima à condição socioeconômica do paciente. No Brasil, por exemplo, ele representa somente 3% de todos os cânceres que acometem homens.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o também chamado câncer peniano está relacionado principalmente à pobreza, má higiene íntima e à fimose (problema que impede a retração do prepúcio do pênis para expor a glande).

Segundo o Ministério da Saúde, anualmente são realizadas cerca de 850 cirurgias para tratamento de câncer de pênis no país. Deste total, 50% são feitas em pacientes do Norte e do Nordeste.

Tipos

Carcinoma de células escamosas

É o tipo de câncer de pênis mais comum e pode afetar qualquer região do órgão, mas sua incidência é maior no prepúcio ou na glande.

Melanoma

É um tumor de pele que raramente pode afetar o pênis e tende a ser mais agressivo do que os demais tipos.

Afeta os melanócitos, células que coordenam a pigmentação e proteção solar.

Carcinoma Basocelular

Surge nas células basais, que se encontram nos níveis profundos da pele. Raramente se desenvolve no pênis, mas quando ocorre tem crescimento e disseminação muito lentos.

Adenocarcinoma

Câncer de pênis raro que surge nas glândulas sudoríparas e pode se disseminar para os nódulos linfáticos, agravando o caso.

Sarcoma

Se desenvolve nas células do tecido do pênis, como vasos sanguíneos e músculos, e costumam ser raros e graves.

Onde o tumor pode estar localizado?

O câncer de pênis nem sempre aparece no mesmo local. Veja:

  • 50% dos casos ocorrem na glande;
  • 20% no prepúcio;
  • 30% tanto na glande quanto no prepúcio.

Causas e fatores de risco mais comuns

A presença do prepúcio é fator de risco fundamental para o surgimento do câncer de pênis. É muito difícil que homens circuncidados desenvolvam o tumor.

No entanto, existem outros fatores físicos que podem influenciar:

  • Higiene íntima precária;
  • Fimose;
  • Infecção viral por HPV e por outros tipos de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs);
  • Exposição excessiva a raios solares;
  • Tabagismo;
  • Traumas genitais;
  • Úlceras genitais.

Ainda há outros fatores ambientais que também têm sua parcela de contribuição:

  • Baixa condição socioeconômica;
  • Idade: geralmente dos 50 aos 70 anos;
  • Hereditariedade: embora o fator genético não tenha sido comprovado, é comum ver membros de uma mesma família com a doença.

Sinais e sintomas de câncer de pênis

 

Homem com dor de câncer no pênis.

icedmocha/Shutterstock

É importante consultar um médico sempre que for notada a presença de sintomas da condição, já que o diagnóstico precoce aumenta as chances de cura.

No entanto, é válido ressaltar que apresentar algum dos sinais não necessariamente indica que o homem está com câncer de pênis, mas também não exclui a necessidade de atendimento especializado com um urologista.

Confira quais são os sintomas do câncer de pênis:

  • Área do pênis com mudança de cor;
  • Pele genital mais espessa do que o normal;
  • Inchaço na extremidade, especialmente quando o prepúcio é retraído;
  • Nódulos ou verrugas;
  • Feridas ou úlceras que não curam;
  • Protuberâncias avermelhadas;
  • Pequenos edemas;
  • Lesões azuladas ou com cor marrom;
  • Presença de secreção com mau cheiro.

Na maior parte das vezes (52%), a principal manifestação do câncer de pênis é a presença de úlceras. Já em 38% dos casos, o sinal mais frequente se refere a verrugas. Por fim, em 10%, há o surgimento de nódulos na região.

Diagnóstico

O exame físico é essencial para diagnosticar o câncer de pênis e determinar a localização do tumor, o tamanho, a extensão e até a profundidade da lesão.

No entanto, exames de imagem tradicionais, como ultrassons e ressonância magnética, também podem ser necessários para entender a gravidade do quadro.

Quase sempre, porém, o diagnóstico definitivo é feito por meio de uma biópsia ou pela remoção cirúrgica da lesão.

Tratamento do câncer de pênis

 

Homem em consulta médica.

BlurryMe/Shutterstock

O tratamento do câncer de pênis geralmente é feito por meio de cirurgia para retirada do tumor. Neste caso, o objetivo sempre é preservar o órgão, manter a função sexual e melhorar a qualidade de vida do paciente, mas nem sempre isso é possível.

Ainda pode ser necessário o uso de medicamentos e quimioterapia para manter o tumor sob controle.

Prevenção

A melhor forma de prevenir câncer de pênis é manter um boa higiene e consultar um urologista anualmente.

Além disso, pênis circuncidados são muito menos propensos a desenvolver o tumor. Por isso, a melhor estratégia de prevenção é submeter meninos à cirurgia de remoção do prepúcio logo nos primeiros meses de vida.

Usar sempre preservativo nas relações sexuais também é importante para evitar infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).