Câncer de boca: sintomas, fotos, tipos, tratamento e mais

01 de agosto de 2018

|

POR Ligia Lotério

Câncer de boca é o tipo de tumor que se desenvolve nos lábios ou em qualquer área da cavidade oral, como gengiva, língua, palato, assoalho ou bochechas. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o problema é mais frequente em pessoas brancas e fumantes.

A seguir, saiba tudo sobre o câncer na boca:

Causas

De acordo com a Mayo Clinic, o câncer de boca é resultado de alterações no DNA dos lábios ou da boca, as quais fazem com que células malignas cresçam e se proliferem, de modo a formar um tumor.

Conforme o quadro avança, o câncer pode se espalhar para garganta, cabeça, pescoço e outras áreas do corpo.

Ainda não se sabe o que propicia as mudações que geram o tumor, mas já foram identificados fatores que aumentam sua incidência.

Fatores de risco

  • Tabagismo
  • Alcoolismo
  • Exposição solar desprotegida dos lábios
  • Infecção por HPV
  • Sistema imunológico deficiente
  • Higiene oral inadequada
  • Dieta pobre em minerais e vitaminas

Tipos

 

Câncer de boca na mucosa.

pongwit sanongboon/Shutterstock

Os principais tipos de câncer de boca são:

Carcinoma das células escamosas

Corresponde a 90% dos casos e é caracterizado pelo surgimento de alterações nas células que estão presentes no revestimento da boca e da garganta.

Se a lesão estiver somente na superfície, é denominada carcinoma in situ. Contudo, se estiver nas camadas mais internas, é um carcinoma de células invasivas.

Carcinoma verrucoso

Diagnosticado em 5% de todos os casos de tumor na boca, ocorre nas células escamosas e se dissemina lentamente.

Carcinoma de glândulas salivares

Surge na mucosa da boca ou da garganta e costuma se manifestar com dor, nódulos, dormência, fraqueza ou dificuldade de engolir.

Linfomas

Ataca as amígdalas ou a língua e pode se espalhar pelo sistema linfático, agravando o quadro.

Sintomas de câncer de boca

 

Câncer na língua.

joshya/Shutterstock

Segundo a oncologista Andrey Soares, do Centro Paulista de Oncologia, o câncer de boca pode ser indolor, por isso é importante realizar o autoexame para detectar sintomas sutis nos lábios ou na cavidade oral, tais como:

  • Feridas ou aftas que não cicatrizam por mais de 15 dias
  • Manchas ou placas vermelhas ou esbranquiçadas

Ainda pode haver:

  • Nódulos no pescoço
  • Rouquidão
  • Dificuldade de mastigação e de engolir
  • Dificuldade de falar
  • Sensação de que há algum objeto preso na garganta

Diagnóstico

Caso perceba um ou mais dos sintomas relatados acima, é indicado procurar um profissional de saúde para realizar uma avaliação.

Além disso, pode ser necessário realizar uma biópsia — geralmente por meio de um pequeno corte com bisturi ou tesoura — da área suspeita para testes laboratoriais que visam determinar se há alterações benignas, cancerígenas ou pré-cancerosas.

Qual profissional devo procurar?

O ideal é se consultar com um clínico geral ou odontologista.

Tem cura?

Assim como outros tipos de câncer, quanto antes a lesão for identificada, maior é a chance de cura.

O INCA informa que 80% dos casos diagnosticados precocemente têm cura.

Leia mais

Tratamento

 

Cirurgia sendo feita.

Anna Jurkovska/Shutterstock

O tratamento para câncer de boca dependerá do tipo, da localização e do estágio da lesão e pode incluir cirurgia, radiação, quimioterapia e medicamentos. Saiba mais sobre cada um a seguir:

Cirurgia

Ocorre quando é necessário retirar o tumor cancerígeno e uma margem do tecido que o rodeia.

Dependendo da gravidade do câncer de boca, ainda é possível que sejam removidas áreas mais importantes, como uma parte do maxilar ou da língua.

Caso exista metástase para os gânglios linfáticos do pescoço, pode ser preciso removê-los.

Em casos graves, também é necessário fazer cirurgias para reconstruir a boca após a remoção do câncer, melhorando o aspecto visual e recuperando a capacidade de mastigar, engolir e falar.

Radioterapia

Ainda pode ser preciso que o paciente se submeta a sessões de radioterapia para matar as células malignas. O procedimento é feito com uma máquina que emite radiação e pode ser realizado antes ou depois da cirurgia e em conjunto ou não com a quimioterapia.

Quimioterapia

Já a quimioterapia consiste em substâncias químicas que eliminam as células do câncer de boca.

O procedimento pode causar efeitos colaterais intensos, já que prejudica as células saudáveis, tais como enjoo e perda de cabelo.

Medicamentos

Ainda podem ser prescritos remédios que alteram os fatores que levam ao crescimento e proliferação das células cancerosas.

Em muitos casos, isso é realizado em combinação com a quimioterapia e/ou a radioterapia.

Complicações

Além do trauma da lesão, o câncer de boca pode se espalhar para outras áreas do corpo e comprometer gravemente a vida do paciente.

Prevenção

Existem algumas medidas reduzem o risco de câncer oral:

  • Não use tabaco: essa substância, seja fumada ou mastigada, expõe as células da cavidade bucal a químicos que causam câncer;
  • Beba álcool com moderação: o consumo excessivo de álcool irrita as células orais e as torna vulneráveis ​​ao câncer de boca;
  • Cuidado com o que come: manter uma alimentação saudável é essencial para reduzir o risco de câncer de boca. Portanto, aposte em frutas e legumes ricos em antioxidantes, que combatem os radicais livres que oxidam as células;
  • Cuidado com o sol: assim como o restante da pele, os lábios devem ser protegidos do sol para evitar câncer. Portanto, fique na sombra quando possível ou use chapéus de abas largas e protetores solares labiais diariamente.
  • Consulte o dentista regularmente: exames odontológicos de rotina são imprescindíveis para evitar e detectar uma série de doenças que afetam a saúde bucal.

Autoexame de boca

De acordo com o INCA, não há evidências confiáveis de que o autoexame seja uma boa maneira de prevenir câncer de boca, visto que pessoas leigas têm dificuldade em reconhecer lesões malignas.

Contudo, fazê-lo não causa nenhum mal, desde que as outras medidas preventivas — especialmente a consulta regular com o dentista — sejam seguidas.

Como fazer?

Fazer este autoexame é simples:

Lave a boca e remova próteses. Com a luz adequada, visualize e palpe os lábios e todos os cantos da cavidade oral, tais como palato, assoalho, gengiva, bochechas e língua.

Examine também, com ajuda de um espelho, a pele do pescoço, rosto e maxilar e procure quaisquer alterações, como nódulos e manchas.

Caso encontre quaisquer sintomas de câncer de boca, busque um médico o quanto antes.

Leia mais