Água no ouvido: como tirar em casa e quando buscar um médico

21 de dezembro de 2018

|

POR Gabriele Amorim

Água no ouvido é bastante comum e pode acontecer durante a prática de esportes aquáticos ou até mesmo no banho. Contudo, com a chegada do verão, a incidência aumenta bastante, quando a ida a piscinas e praias se torna mais comum. Saiba quais são as causas e o que fazer diante desta condição:

Causas

Os canais dos ouvidos são tubos fechados pela membrana do tímpano, que separa completamente o lado externo do corpo do interno.

Na porção externa, localizam-se as glândulas de produção de cera, que têm a função de proteger o restante da estrutura.

Quando a cera não consegue ser suficiente para impedir a invasão de resíduos no ouvido médio e interno, a água pode entrar.

Inúmeras outras causas de água no ouvido podem estar relacionadas, como inflamações crônicas, descamações de pele e tumores benignos ósseos.

Como tirar água do ouvido em casa?

A única maneira de tirar a água do ouvido por conta própria é pela saída da água pela gravidade, ou seja, virar ou deitar a cabeça de lado – com o lado afetado para baixo – , mobilizar levemente a orelha para frente e para trás ou até mesmo dar os famosos pulinhos para o líquido sair.

Todas as outras formas são extremamente contraindicadas, como bastões de algodão, álcool, vinagre, secador, palitos, pentes, grampos, entre outros. Tudo isso leva a um altíssimo risco de lesões, traumas e infecções.

Quando procurar um médico?

Se nenhum dos métodos não agressivos aos ouvidos funcionar, deve-se procurar um otorrinolaringologista. Esse profissional poderá fornecer o tratamento adequado para o problema.

Tratamento para água no ouvido

Existem vários tipos de tratamentos médicos, escolhidos a partir de cada causa específica:

  • Remoção de cera;
  • Lavagem dos ouvidos;
  • Curativos;
  • Anti-inflamatórios;
  • Antibióticos locais ou orais.

Complicações

As complicações mais comuns causadas pela água no ouvido são:

  • Infecções;
  • Dores intensas;
  • Vazamento de pus;
  • Perdas auditivas;
  • Perfuração da membrana do tímpano;
  • Fratura dos micro ossículos do ouvido;
  • Surdez definitiva e totalmente irreversível, nos casos mais extremos.

Portanto, caso a água no ouvido não saia facilmente, é preciso procurar um profissional o mais breve possível.

Prevenção

O ideal é consultar um otorrinolaringologista principalmente antes do período do verão afim de evitar problemas como água no ouvido. O especialista verificará se existe ou não alguma falha para a eventual entrada de água e, se detectada, a resolverá.

 

Fonte

Otorrinolaringologista Jamal Azzam – CRM/SP 57245

Holmer, N. Swimmer’s ear (Otitis externa). Disponível em: www.asha.org/public/hearing/Swimmers-Ear/

CDC. Ear infections. Disponível em: www.cdc.gov/healthywater/swimming/swimmers/rwi/ear-infections.html