Tudo sobre ácido úrico: o que é, para que serve e o que pode causar

Atualizado em 29 de outubro de 2019

|

Substância produzida pelo fígado, o ácido úrico surge no corpo depois da ingestão de proteínas. A coisa toda funciona assim: em muitos alimentos, há moléculas de purina, uma proteína que, ao ser utilizada pelo corpo, se transforma no tal ácido. Parte da substância vai para o sangue e outra parte é descartada pelos rins.

No geral, o ácido úrico não apresenta nenhum risco à saúde, mas caso entre em desequilíbrio, como no caso de excesso ou falta da substância, algumas complicações podem se manifestar, como a hiperuricemia ou a hipouricemia, além da doença gota. Nesses quadros, as articulações são afetadas e o rim pode ser prejudicado.

Para compreender o assunto, consultamos o reumatologista Thiago Bitar, do Núcleo Avançado de Reumatologia do Hospital Sírio-Libanês, confira abaixo.

O que é ácido úrico?

O ácido úrico é uma substância produzida pelo organismo pela ingestão de purina, que é uma proteína existente em alimentos comuns. Alguns exemplos deles são: miúdos (coração e fígado), embutidos (como bacon, salsicha ou salame), frutos do mar, caldos de carne, peru, bebidas alcoólicas (especialmente cerveja), tomate, cogumelos, aspargos, ervilha, couve-flor e espinafre.

Depois de transformar a purina em ácido, o organismo elimina uma porcentagem pelos rins, já que o excesso pode gerar problemas de saúde.

Função do ácido úrico no corpo

O elemento é apenas um produto que surge a partir da degradação de proteínas do metabolismo celular. Isso significa que ele não tem uma função propriamente dita.

Exame de ácido úrico

O exame de ácido úrico é solicitado pelos médicos para entender se o corpo está estável e em harmonia com a substância. Por meio dele, é possível detectar seu excesso ou ausência.

Além disso, é com esse procedimento que diagnostica doenças relacionadas ao ácido úrico, como a gota.

Como é feito?

O exame é realizado por meio de coleta de sangue e urina. Num período de 24 horas, ambos os fluidos são colhidos e, depois, analisados. Tudo acontece rapidamente e basta uma amostra para o estudo acontecer.

Preparo e cuidados a serem tomados

No geral, preparos não são necessários. Alguns laboratórios podem pedir que o paciente faça jejum, mas não é obrigatório.

Também é importante evitar a ingestão de bebidas alcoólicas no dia que precede a coleta e suspender alguns tipos de medicamentos, como analgésicos, vitamina C, diuréticos e cafeína, já que podem interferir no resultado.

Resultados

Os resultados consistem em valores medidos por miligramas (mg) por decilitro de sangue (dL) ou gramas por dia (g/dia).

Para homens, os valores de referência são 3,4 a 7,0 mg/dL para sangue e 0,75 g/dia para urina. Já para as mulheres, 2,4 a 6,0 mg/dL para sangue e 0,24 g/dia para urina.

Os números podem sofrer certa variação de acordo com o laboratório, então é recomendado aguardar que o médico responsável analise os resultados.

 

Sangue e outros fluídos em ampolas laboratoriais.

angellodeco/Shutterstock

Ácido úrico alto (hiperuricemia)

O ácido úrico em excesso no organismo caracteriza a hiperuricemia e faz com que cristais de sódio se espalhem por diferentes locais do corpo, em especial articulações, tendões, ligamentos e rins. Com isso, há reação inflamatória intensa.

Sintomas

É comum que os pacientes com hiperuricemia apresentem dor, calor e vermelhidão no local acometido. Muitas vezes, pode ocorrer impossibilidade de mexer a articulação, a qual dificulta hábitos simples, como usar calçados e caminhar.

Além disso, há relação do ácido úrico alto com doenças cardiovasculares e problemas renais.

Quais são suas causas?

Em muitos casos, a superprodução ou a diminuição da liberação renal do ácido úrico é a responsável pela hiperuricemia. Isso acontece quando as enzimas humanas responsáveis pelo metabolismo das purinas não são eficientes.

Riscos

Se a hiperuricemia não for tratada e controlada, o paciente corre o risco de desenvolver gota, cálculo renal e nefropatia por urato (insuficiência renal aguda ou crônica).

Tratamentos

O tratamento não é complicado, já que é feito apenas com medicamentos específicos e dieta. Alimentos como carne vermelha, mariscos, peixes, determinados grãos e bebidas alcoólicas devem ser eliminados do cardápio. Já leites e derivados lácteos são introduzidos em maior quantidade no dia a dia. Além disso, a ingestão de água deve aumentar.

Acido úrico baixo (hipouricemia)

Enquanto a hiperuricemia significa que há excesso de ácido úrico no corpo, a hipouricemia mostra que a substância está baixa.

Tipos e riscos

A hipouricemia primária tem cunho genético e faz com que o corpo elimine grandes quantidades de ácido pela urina.

Já a adquirida é gerada pelo uso de medicamentos que estimulam a eliminação dos uratos, como aspirina em altas doses, benziodarona, citrato, probenecida, ácido ascórbico, estrógenos e outros.

Como tratar?

O tratamento consiste em evitar os remédios que geram diminuição do ácido úrico e, em alguns casos, inserir medicamentos que garantam balanceamento da substância no organismo.

 

Fonte

Reumatologista Thiago Bitar, do Núcleo Avançado de Reumatologia do Hospital Sírio-Libanês.