Estresse pós-traumático (TEPT): o que é, sintomas e tratamentos

10 de julho de 2019

|

POR Bruno Botelho dos Santos

Transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) é uma condição desencadeada por um evento aterrorizante – seja vivenciando ou testemunhando.

Os sintomas podem incluir flashbacks, pesadelos e ansiedade severa, além de pensamentos incontroláveis ​​sobre o evento, o que atrapalha a vida da pessoa. Saiba mais sobre o problema.

O que é estresse pós-traumático?

Transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) é uma condição de saúde mental desenvolvida em indivíduos que viram, ouviram ou foram envolvidos em alguma situação emocional desagradável e intensa, como assaltos, acidentes e violência física ou sexual.

A síndrome leva o paciente a desenvolver medo e impotiência perante lembranças do acontecimento, que por sua vez se refletem em sintomas físicos e emocionais que afetam de forma considerável áreas importantes da vida, como profissão e relacionamentos.

Causas

O evento estressor é o principal desencadeante de TEPT, porém também é necessário considerar fatores individuais preexistentes biológicos e psicossociais, além de acontecimentos ocorridos antes e após o trauma.

Portanto, assim como na maioria das síndromes psicológicas, essa é causada por uma mistura de:

  • Situações traumáticas
  • Histórico familiar ou pessoal de ansiedade e/ou depressão
  • Temperamento ansioso e preocupado
  • Desequilíbrios químicos de hormônios ligados ao estresse e a situações ameaçadoras

Quais situações traumáticas podem gerar TEPT?

Diversas experiências podem desencadear o problema, sendo as mais comuns abuso físico na infância, violência sexual, agressão física, ameaça com armas, acidente automobilístico, desastre natural, assalto e sequestro.

Fatores de risco

Os fatores de risco para estresse pós-traumático incluem problemas emocionais na infância, histórico de transtorno mental pessoal ou familiar, status socioeconômico baixo, grau de escolaridade baixo e exposição anterior à trauma.

Sinais e sintomas de TEPT

Os sintomas geralmente começam até um mês depois do evento traumático, mas há exceções nas quais surgem após anos. Eles incluem:

  • Lembranças intrusivas, recorrentes e involuntárias do evento
  • Sonhos recorrentes nos quais conteúdo e/ou sentimento estão relacionados ao trauma
  • Indivíduo sente ou age como se o evento traumático estivesse ocorrendo novamente
  • Sofrimento psicológico intenso e prolongado ante à exposição a sinais que simbolizam ou se assemelham a aspectos do evento traumático
  • Evitação de lembranças do evento traumático

Os sintomas são divididos em quatro categorias, que podem variar em gravidade:

Pensamentos intrusivos: flashbacks podem ser tão vívidos que o indivíduo sente que está revivendo a experiência traumática ou vendo-a diante de seus olhos.

Evitação de lembranças: pessoas com TEPT evitam lembrar, falar ou pensar sobre o evento traumático.

Pensamentos e sentimentos negativos: crenças contínuas e distorcidas sobre si mesmo ou sobre os outros; medo, horror, raiva, culpa ou vergonha contínuos; menos interesse em atividades anteriormente desfrutadas; sensação de estar separado ou alienado de outras pessoas.

Sintomas reativos: irritabilidade; explosões de raiva; comportamento imprudente e autodestrutivo; dificuldade de concentração; insônia.

Diagnóstico

O diagnóstico é obtido clinicamente por meio de conversa com psiquiatra e/ou psicólogo que visa identificar histórico de evento estressante e sintomas cuja duração é superior a um mês.

Geralmente, médicos psiquiatras adotam critérios para o diagnóstico de estresse pós-traumático descritos no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), publicado pela Associação Americana de Psiquiatria, que incluem os sintomas informados acima.

Estresse pós-traumático tem cura?

A cura pode ser obtida por meio do tratamento adequado, que inclui abordagens medicamentosas e terapêuticas.

Tratamentos de TEPT

Medicamentos

O medicamento mais utilizado para o tratamento de estresse pós-traumático é o antidepressivo, que ajuda a controlar e prevenir os sintomas.

Outros medicamentos, como anticonvulsivantes e benzodiazepínicos, podem ser úteis para o tratamento de sintomas específicos, como dificuldade para dormir e pesadelos.

Terapias

A psicoterapia tem como objetivo reduzir sintomas ansiosos, de humor e dissociativos. Ela envolve conversar com um psicólogo individualmente ou em grupo e procura enfatizar a identificação dos sintomas e dos desencadeadores, bem como incentivar a prevenção e controle das crises.

Dentre os diversos tipos de psicoterapia, a cognitiva-comportamental (TCC) se destaca pela técnica de dessensibilização de eventos traumáticos.

Prognóstico

O prognóstico depende de diversos fatores, como gravidade e suporte social e familiar. De qualquer forma, a maior parte dos pacientes tratados se recupera e consegue viver normalmente.

Complicações

As complicações geralmente estão ligadas a impactos funcionais em diversos campos da vida, como família, trabalho e vida social.

O estresse pós-traumático também aumenta o risco de outros transtornos de cunho psicológico, como depressão, ansiedade, vícios, compulsões e distúrbios alimentares, bem como pensamentos e ações suicidas.

Prevenção

Não há uma maneira certeira de prevenir o estresse pós-traumático além de de evitar a exposição a situações que o causam, como violência sexual, abuso, conflitos armados ou desastres naturais.

 

Fontes

Psiquiatra Roney Vargas Barata, da Aliança Instituto de Oncologia – CRM DF 21720

National Institute of Mental Health. Post-Traumatic Stress Disorder. Disponível em: www.nimh.nih.gov/health/topics/post-traumatic-stress-disorder-ptsd/index.shtml

American Psychiatric Association. What Is Posttraumatic Stress Disorder? Disponível em: www.psychiatry.org/patients-families/ptsd/what-is-ptsd

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5). Disponível em: www.tdahmente.com/wp-content/uploads/2018/08/Manual-Diagn%C3%B3stico-e-Estat%C3%ADstico-de-Transtornos-Mentais-DSM-5.pdf