Lente de contato que escurece no sol chega ao Brasil: principais dúvidas respondidas

Atualizado em 29 de outubro de 2019

|

Todos os dias, somos expostos a luzes intensas provenientes de ambientes fechados e, também, do ar livre, o que impacta atividades cotidianas e prejudica a visão. Como resposta, não é incomum encontrar quem adote comportamentos compensatórios, como barrar a luz com as mãos, franzir os olhos e diminuir a luminosidade de aparelhos eletrônicos,  mas uma novidade promete amenizar o desconforto de quem sofre com a sensibilidade à claridade.

A lente de contato fotossensível, que foi criada depois de mais de dez anos de pesquisa, é regulamentada nos Estados Unidos desde 2018, mas só agora, após aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), chegou ao mercado brasileiro.

Como funcionam as lentes fotossensíveis?

Além de oferecer proteção à radiação UVA e UVB (assim como outras lentes de contato), a ACUVUE® Oasys com Transitions bloqueia em até 70% a luz azul emitida pelo sol e, principalmente, por fontes artificiais, como a tela do celular e do notebook, o que reduz o risco de degeneração de córnea e retina, bem como cegueira.

Na prática, a tecnologia diminui a chance de dores de cabeça ligadas ao excesso de luz, dificuldade para enxergar ao dirigir à noite, falta de lubrificação ocular e até mesmo incômodos ao praticar esportes ao ar livre.

Deixa os olhos escuros?

 

Lente de contato fotossensível da ACUVUE.

Divulgação/Johnson & Johnson

Essa é uma das principais dúvidas quanto às lentes fotossensíveis. Assim como as lentes de óculos Transitions, há alteração na aparência dos olhos, que ficam mais escuros conforme a luminosidade aumenta.

Todavia, segundo a assessoria de imprensa da marca, a mudança de tonalidade é discreta na maior parte do tempo, sendo relevante somente no máximo de seu escurecimento, que só ocorre em ambientes extremamente ensolarados e claros.

Quem pode usar?

As lentes fotossensíveis podem ser usadas por pessoas que apresentam miopia e hipermetropia, visto que há a possibilidade de estarem associadas a graus corretivos. Por enquanto, o produto não está disponível nas versões  para astigmatismo e presbiopia.

Quem tem fotossensibilidade mas não apresentam alterações refrativas também pode se beneficiar, já que há lentes planas, ou seja, sem grau.

É recomendado conversar com um oftalmologista sobre a possibilidade de usar lentes de contato, visto que a compra sem orientação e prescrição pode dificultar a adaptação e oferecer riscos à saúde.

Substitui óculos de sol?

Apesar de toda a inovação, a lente de contato fotossensível não substitui os óculos de sol, já que protege somente a córnea e o cristalino, enquanto o acessório ampara também a esclera (parte branca do olho) e as pálpebras.