Conjuntivite: tipos, sintomas, transmissão e como tratar a infecção nos olhos

Atualizado em 15 de julho de 2019

|

POR Bruno Botelho dos Santos

Conjuntivite é uma inflamação nos olhos que afeta milhares de pessoas durante o ano todo, contudo sua incidência aumenta no verão, em razão da umidade e do calor excessivo.

Como os sintomas de conjuntivite são muito incômodos, vale ficar de olho e saber o que fazer para contornar o problema.

O que é?

Como o próprio nome diz, a conjuntivite é uma infecção ou inflamação da conjuntiva, que é o nome da membrana externa transparente que cobre o globo ocular (esclera, a parte branca do olho) e a parte interna da pálpebra.

O problema é comum principalmente em crianças e pode afetar um ou ambos os olhos.

Alguns tipos da doença são altamente contagiosos, o que justifica a necessidade de afastamento de ambientes sociais.

Embora seja uma infecção ocular pequena, às vezes pode evoluir para quadros graves.

Conjuntivite em bebês

Os recém-nascidos são mais propícios a desenvolver uma forma grave conhecida como oftalmia neonatal. Para evitá-la, é aplicada uma pomada antibiótica nos olhos de todos os bebês assim que nascem.

Causas de conjuntivite

Essa infecção nos olhos geralmente é causada por uma bactéria ou um vírus, porém há casos que se desenvolvem devido a uma reação alérgica a irritantes, como pólen, fumaça, cloro, cosméticos, lentes de contato etc.

A doença ainda pode estar relacionada a infecções sexualmente transmissíveis, como clamídia e gonorreia, embora tais casos sejam menos comuns.

E é justamente o agente causador que determina o tipo de conjuntivite.

Tipos

Ao todo, existem seis tipos da doença conjuntivite, embora os mais comuns sejam viral e bacteriano, pois são os que mais são transmitidos de pessoa para pessoa. O terceiro tipo mais comum é a alérgica.

Conheça mais sobre cada um dos tipos:

  • Viral: causada por vírus – em geral um adenovírus que é contraído por meio do contato com secreções –, este tipo é bastante transmitido de pessoa para pessoa, sendo que os dedos são uma das suas principais portas de entrada;
  • Bacteriana: provocada por uma bactéria, sua forma de transmissão é a mesma da viral, embora seja um pouco menos frequente;
  • Alérgica: aqui, a conjuntivite é provocada por uma reação alérgica a alguma substância, como pólen, mofo, ácaros (muito presentes na poeira de casa), maquiagem, colírios, lentes de contato sujas e até mesmo pelos de cães e gatos;
  • Fúngica: esse tipo de inflamação na conjuntiva, causada por fungos, é bem raro. Geralmente,  acontece quando a pessoa sofre um tipo de acidente, em que pedaços de madeira com fungos atinge os olhos ou as lentes de contato;
  • Gonocócica: este é o tipo que pode ser uma infecção sexualmente transmissível (IST). Ela é causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae (sim, a mesma da gonorreia), mas costuma afetar mais recém-nascidos que contraem da mãe durante o parto. Nos adultos, pode acontecer durante uma relação sexual em que o sêmen infectado acabe atingindo o olho da outra pessoa;
  • De inclusão: esse outro tipo de conjuntivite é causada pela bactéria Chlamydia trachomatis (a mesma da clamídia) e pode estar presente nas regiões genitais dos adultos.

Sinais e sintomas de conjuntivite

Geralmente, o problema é relativamente simples de ser diagnosticado, já que os sintomas costumam ser bastante característicos e evidentes.

Quando você ouve falar em conjuntivite, você muito provavelmente remete o nome à vermelhidão nos olhos acompanhada de coceira, além de um lacrimejamento excessivo. Pois estes são os sinais clássicos da infecção, mas não os únicos.

Os sintomas mais comuns são:

  • Coceira e/ou irritação nos olhos;
  • Sensação de areia nos olhos;
  • Vermelhidão e/ou inchaço das pálpebras;
  • Olhos marejados, secreção ou secura;
  • Pus aparecendo no lugar de uma ferida infeccionada;
  • Dificuldade em abrir os olhos, geralmente ao acordar;
  • Fotofobia, que é a dor ou sensibilidade à luz;
  • Sensação de estar com areia e/ou ciscos nos olhos;
  • Sensação de queimação na região dos olhos;
  • Visão borrada.

No caso da conjuntivite alérgica, podem aparecer também os seguintes sinais:

  • Dores de garganta;
  • Congestão nasal, nariz escorrendo e/ou espirros.

E, em casos específicos:

  • Secreção purulenta, que acontece no caso de conjuntivite bacteriana;
  • Secreção esbranquiçada, que acontece no caso de conjuntivite viral.

Os dois olhos são afetados?

Os sintomas geralmente aparecem primeiro em um olho só, mas acabam passando para o outro, principalmente pelo contato das mãos com os olhos.

Quando os sintomas vão embora?

O problema geralmente dura por volta de 1 e 2 semanas, sendo mais frequente durante o verão, quando os agentes causadores costumam se beneficiar do calor e da maior umidade relativa do ar.

É contagiosa?

Como os tipos mais comuns são transmitidos de pessoa para pessoa, recomenda-se que quem esteja com a inflamação permaneça em casa até o desaparecimento dos sintomas.

Diagnóstico

Na maioria dos casos, a doença é diagnosticada por meio do levantamento do histórico dos sintomas junto ao médico e um breve exame físico dos olhos.

Todavia, algumas exceções podem necessitar de exames oftalmológicos mais abrangentes, como testes que verificam se a visão foi afetada, avaliam a conjuntiva e as estruturas internas dos olhos.

Em casos raros, pode ser necessário fazer uma drenagem do líquido dos olhos e analisá-lo laboratorialmente.

Como tratar conjuntivite?

O tratamento visa diminuir o desconforto visual do paciente, controlar a infecção ou inflamação e evitar a propagação do agente causador. Deste modo, o tratamento depende do tipo apresentado:

Conjuntivite alérgica

O primeiro passo é remover ou evitar o irritante em questão. Para aliviar o desconforto, vale apostar em compressas frias, soro fisiológico e colírios de lágrimas artificiais.

Em casos mais graves, podem ser indicados anti-inflamatórios e antialérgicos. Já quem apresenta o quadro com frequência pode necessitar de colírios esteroides tópicos.

Conjuntivite bacteriana

Este tipo da doença é tratado com colírios ou pomadas antibióticas e costuma melhorar após dois ou três dias de cuidados.

Conjuntivite viral

Não há medicamentos capazes de tratar a conjuntivite viral, portanto o ideal é deixá-la regredir naturalmente, o que pode levar de duas a três semanas.

Apesar disso, os sintomas podem ser aliviados com compressas frias e colírios lubrificantes. Em casos mais graves, podem ser necessários colírios esteroides.

Demais tipos

Os outros tipos de conjuntivite, que são menos comuns, podem ser tratados com antivirais, antibióticos e esteroides tópicos e/ou orais, a depender da gravidade do caso.

Como prevenir?

O olho vermelho pode ser prevenido por bons hábitos de higiene, tais como

  • Lave as mãos com frequência
  • Não toque os olhos com as mãos
  • Troque toalhas de rosto diariamente
  • Não compartilhe, toalhas, lenços, panos e cosméticos com outras pessoas
  • Mude suas fronhas com frequência
  • Após um surto de conjuntivite, jogue fora cosméticos para os olhos

Fontes

American Optometric Association. Conjunctivitis. Disponível em: www.aoa.org/patients-and-public/eye-and-vision-problems/glossary-of-eye-and-vision-conditions/conjunctivitis

American Academy of Ophthalmology. Conjunctivitis: What Is Pink Eye? Disponível em: www.aao.org/eye-health/diseases/pink-eye-conjunctivitis