Astigmatismo: o que é e como tratar o problema de visão?

27 de fevereiro de 2019

|

POR Manuela Sampaio

Astigmatismo é um dos problemas de visão mais comuns. Está relacionado principalmente à visão distorcida, dificuldade para visualizar contornos, além da sensação de peso e cansaço nos olhos.

Com influência genética em muitos casos, ele também pode ser causado por maus hábitos, como abusar de dispositivos eletrônicos. Saiba mais sobre este problema de visão e como tratá-lo.

O que é astigmatismo?

O astigmatismo é um dos chamados vícios de refração, popularmente conhecidos como “defeitos visuais” por usuários de óculos e/ou lentes de contato.

Nessa condição, o poder (ou grau) da córnea ou do cristalino não é o mesmo em todos os meridianos. Ou seja, existem diferenças na curvatura – por exemplo, casos em que a córnea não se apresenta como redonda, mas oval –, as quais proporcionam alteração na formação da imagem no fundo do olho.

Como resultado, o paciente tem confusão em formas e contornos, podendo chegar a relatar visão de halos ou raios quando observa uma fonte de luz.

Qual é a diferença entre miopia e astigmatismo?

​​Na miopia, o que existe é um olho com as lentes (córnea e cristalino) regulares, mas que proporciona uma imagem que terá o ponto de foco antes da retina. Tal condição faz o portador apresentar boa visão para perto e baixa acuidade visual para longe.

Não há distorção, apenas foco inadequado, o qual melhora à medida que o observador se aproxima do local a ser visualizado.

Qual é a diferença entre hipermetropia e astigmatismo?

Na hipermetropia, as lentes também são regulares, mas proporcionam uma imagem que terá o ponto de foco projetado para além da retina.

Tal condição, em geral, faz o portador apresentar boa visão de longe e baixa acuidade visual para perto. Não há distorção, apenas foco inadequado, o qual melhora à medida que se afasta o observador do ponto de foco.

Causas

Os chamados vícios de refração em geral estão relacionados ao formato da córnea e do cristalino que, na maioria das vezes, estão vinculados à genética.

Porém, doenças como conjuntivite, alergias, prematuridade, uso abusivo de lentes de contato ou excesso de uso de dispositivos eletrônicos podem induzir tais defeitos visuais. ​​​​​​​

Fatores de risco

O médico explica que coçar os olhos, abusar do uso de celulares e tablets, além da hereditariedade, são os fatores de risco mais prevalentes para astigmatismo.

Sinais e sintomas de astigmatismo

  • Visão distorcida
  • Cansaço visual
  • Sensação de peso nos olhos
  • Ato de apertar as pálpebras na tentativa de ver melhor

Diagnóstico

A investigação deve ocorrer durante consulta com um médico oftalmologista, que poderá solicitar algum teste de astigmatismo.

Deve ser feito o exame de refratometria para medir o grau de refração do olho. Em alguns casos, é necessário realizar uma ceratoscopia computadorizada de córnea, exame que avalia sua curvatura.

Astigmatismo tem cura?

Na maioria dos casos, por se tratar de condição presente desde o nascimento, não há cura no sentido pleno.. No entanto, óculos e lentes podem diminuir a dificuldade visual, enquanto a cirurgia, indicada para pessoas com mais de 20 anos e graus de astigmatismo estabilizados, corrige a alteração na córnea que causa a distorção visual.

Tratamentos

Óculos ou lentes de contato

O uso de óculos e lentes de contato específicos é capaz de compensar o astigmatismo e permitir a visão adequada. É usado um tipo específico de lentes cilíndricas receitado por um oftalmologista.

Cirurgia de astigmatismo

O astigmatismo pode ainda ser corrigido com cirurgias a laser, como Lasik e PRK, que removem tecido excessivo de diferentes partes da córnea.

Prognóstico

Existem diferentes formas de tratar astigmatismo e corrigir a dificuldade visual causada por ele, por isso pode-se dizer que esse erro de refração apresenta bom prognóstico, sem grandes prejuízos à qualidade de vida.

Vale ressaltar que o acompanhamento com um oftalmologista e hábitos de cuidado com os olhos são fundamentais para evitar complicações.

Complicações

O médico explica que existem diferentes complicações relacionadas ao astigmatismo, por isso se faz necessário o acompanhamento com um oftalmologista. Entre as principais, estão:

Ambliopia

A ambliopia nada mais é que a redução da capacidade visual e é a principal complicação relacionada ao astigmatismo. Também chamada de “olho preguiçoso”, esta condição acontece pela falta de estímulo adequado sobre o olho.

Ceratocone

Ceratocone é uma deformação da córnea em que esta estrutura se projeta para fora, adquirindo formato de um cone. Em casos mais graves, pode necessitar de um transplante de córnea.

Prevenção

Além de realizar visitas frequentes a um oftalmologista para diagnosticar a condição o quanto antes, é recomendado evitar os fatores de risco relacionados ao astigmatismo, como coçar os olhos ou abusar do uso de telas, como as de celulares, tablets e computadores.

Fontes

Oftalmologista Luis Eduardo Morato Rebouças de Carvalho, membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia. CRM 58801/SP

American Optometric Association. Astigmatism. Disponível em: www.aoa.org/patients-and-public/eye-and-vision-problems/glossary-of-eye-and-vision-conditions/astigmatism