Sintomas da extrassístole ventricular: quais são, causas e mais

Arritmias cardíacas consistem no batimento anormal do coração, podendo ter origem na parte superior (átrios ou supraventriculares) ou inferior (ventrículos) do órgão. Considerada uma das arritmias mais comuns, muitos pacientes questionam-se sobre os sintomas de extrassístole ventricular. Entender quais são eles é importante para diagnóstico e tratamento precoce.

A seguir, saiba o que é a condição, quais são os sintomas da extra-sístole ventricular, as causas e os prejuízos ao paciente.

O que é extrassístole ventricular?

As arritmias cardíacas podem ser divididas em taquicardia, que surge quando há ritmo acelerado do coração, e bradicardia, que ocorre quando os batimentos são muito lentos.

Extrassístole ventricular consiste em um tipo de taquicardia, pois se deve a um batimento adicional que ocorre entre os intervalos regulares. É o tipo de arritmia cardíaca mais comum nos ventrículos, provocando sensação de tranco ou falha no coração.

Quais são os sintomas da extrassístole ventricular?

Muitos pacientes têm interesse em saber quais os sintomas da extrassístole ventricular com o objetivo de acompanhar as alterações e, se identificá-las, buscar auxílio de um cardiologista.

No entanto, em geral, a condição é assintomática, não apresentando nenhum indício que faz com que o paciente desconfie que possui a doença. Nesses casos, o diagnóstico pode ocorrer durante exames de rotina, principalmente em pacientes mais velhos que fazem o acompanhamento cardiológico.

Ainda assim, alguns pacientes relatam sintomas, sendo que a percepção da presença deles auxilia no diagnóstico precoce. Entre os sinais relatados, destacam-se:

  • Sensação de palpitação no peito;
  • Sensação de “soco no peito”;
  • Percepção de batimento precoce, seguido ou não de pausa;
  • Sensação de interrompimento do batimento cardíaco, mais ou menos prolongado.

Além desses sintomas da extrassístole ventricular mais específicos e relacionados ao batimento cardíaco, o paciente também pode relatar indícios mais gerais associados a quadros de arritmia, como palpitações, fraqueza, tonturas, sudorese, desmaios, confusão mental, falta de ar e mal-estar.

Como a condição é desenvolvida?

A extrassístole ventricular pode ser causada por diferentes condições que interferem no pleno funcionamento cardíaco. Entre as situações associadas ao surgimento da doença, destacam-se:

  • Hiperexcitabilidade do coração provocada pela estimulação adrenérgica excessiva, como quando são consumidas drogas estimulantes;
  • Distúrbio eletrolítico, como falta de potássio;
  • Intoxicação por medicamentos;
  • Metabolismo aumentado, como em casos de hipertireoidismo;
  • Quando há presença de doenças cardíacas, como dilatação do coração e cicatrizes miocárdicas;
  • Devido a alterações isquêmicas;
  • Disfunção ventricular;
  • Alterações congênitas.

A doença também pode ter causas externas ao coração, como estresse e problemas no estômago que desencadeiam reação cardíaca.

Quais são os prejuízos ao paciente?

A maior parte dos quadros dessa arritmia cardíaca é benigna, o que leva o cardiologista a optar por não conduzir tratamento. O grande prejuízo aos pacientes refere-se aos sintomas de extrassístole ventricular que são incômodos quando surgem em excesso. Nesses casos, os médicos costumam receitar tratamento medicamentoso.

Quando a condição é maligna e não há diagnóstico, pode gerar situações graves, como mal súbito.

Portanto, conhecer os sintomas da extrassístole ventricular para buscar auxílio cardiológico adequado é fundamental, independentemente do tipo de arritmia cardíaca presente.