O que é infarto? Tire 6 dúvidas comuns sobre o problema

30 de abril de 2018 ● POR Lucas Coelho

O infarto agudo do miocárdio, mais chamado simplesmente de infarto, é um problema cardiovascular que ocorre quando a quantidade necessária de sangue não consegue chegar ao coração — geralmente em decorrência da obstrução da artéria coronária.

As doenças cardiovasculares são as principais causas de morte no mundo, matando mais de 17 milhões de pessoas por ano, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Ataques cardíacos e derrames são episódios extremos derivados destas doenças.

No Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde, essa taxa anual de mortalidade gira em torno de 300 mil pessoas. O infarto é a segunda ocorrência cardiovascular mais comum, com mais 85 mil casos ao ano, ficando atrás apenas do Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Portanto, entender melhor as causas, os sintomas e possíveis mudanças que podem evitar o infarto é extremamente importante não só para nós mesmos, como também para o próprio país – segundo o governo brasileiro, medidas preventivas em relação a doenças cardiovasculares custam até cinco vezes menos ao SUS do que os tratamentos.

Para ajudá-lo a conhecer mais o infarto e tudo o que há por trás dele, separamos abaixo algumas das perguntas mais frequentes que pacientes fazem a seus cardiologistas. Confira!

1. O que é infarto?

Segundo Alexandre Rouge, coordenador da Cardiologia do Hospital São Lucas Copacabana, no Rio de Janeiro,  o infarto é um problema cardiovascular muito comum que é provocado pelo bloqueio de uma artéria. Essa obstrução, de acordo com ele, “faz com que o músculo do coração entre em um processo de sofrimento e necrose, o que, em alguns casos, pode resultar em óbito se a extensão for muito grande”.

2. Infarto e parada cardíaca são a mesma coisa?

Não, muitas pessoas usam estes termos como se fossem sinônimos, mas isso é incorreto. Conforme atenta Rouge, é importante não os confundir.

“A parada cardíaca acontece quando o coração para de bater e de distribuir sangue pelo corpo. Isso pode ser uma consequência do infarto ou ter outras causas por trás”, explica ele.

Doenças coronárias, estresse, a prática excessiva de exercícios físicos ou arritmias cardíacas mais sérias são outros exemplos de fatores que podem levar a uma parada cardíaca súbita.

Um termo mais correto para usar como sinônimo de infarto é “ataque cardíaco”.

3. Existe mais de um tipo de infarto?

Existem duas variações do problema, segundo Alexandre. “Quando acontece o bloqueio completo da artéria coronária, o problema é chamado de Infarto com Supra do Segmento ST. Já quando o bloqueio desta mesma artéria é apenas parcial, chamamos de Infarto sem Supra do Segmento ST”.

Na prática, porém, são apenas termos médicos distintos, que ajudam os especialistas a encontrar o melhor caminho para tratá-lo. Não há diferença nas medidas de prevenção necessárias.

4. Quais as causas por trás do infarto?

A causa direta do infarto é quando uma ou mais artérias coronárias têm seu diâmetro reduzido pelo excesso de placas de gordura que se formam dentro delas. Esse excesso vai estreitando a passagem do sangue pelos vasos, gerando uma doença chamada doença arterial coronariana, que é justamente a principal causa da maioria dos infartos diagnosticados.

“Em outras situações, porém, o infarto também pode ser induzido por um espasmo na artéria coronária, o que influencia no fluxo sanguíneo que vai em direção ao coração, ou por doenças inflamatórias das artérias”, diz o cardiologista.

No entanto, estes problemas são muitas vezes consequência de hábitos prejudiciais à saúde, sobre os quais vamos falar no próximo tópico.

5. Quais hábitos de vida aumentam as chances de infarto?

Existem alguns maus hábitos que aumentam os riscos de uma pessoa vir a ter um infarto. Da mesma forma, também há algumas condições crônicas — provocadas por hábitos de vida inadequados ou não — que também elevam as chances de ataque cardíaco.

Enquanto algumas coisas podem ser alteradas a partir da força de vontade do próprio indivíduo, outros fatores pré-existentes infelizmente demandam tratamento e acompanhamento médico para cessar de vez.

Entre os grupos mais propensos a desenvolver uma doença arterial coronariana e consequentemente sofrer um infarto, estão:

  • Pessoas sedentárias;
  • Fumantes;
  • Pessoas com obesidade;
  • Pessoas com colesterol alto;
  • Pessoas estressadas, especialmente as que sofrem de pressão alta;
  • Pessoas com diabetes;
  • Predisposição genética.

6. O infarto manifesta sinais de que está por vir?

Sim. O corpo manifesta alguns sinais de que está para sofrer um ataque do coração, mas nem sempre. Geralmente, os sintomas de infarto são muito parecidos com os de que outros problemas comuns, então podem passar despercebidos. Mas, no geral, sabemos que se trata de um infarto quando eles aparecem todos de uma vez ou o indivíduo que os manifesta apresenta alguns dos fatores mencionados acima.

Os sinais mais comuns de pré-infarto são:

  • Dor no peito em forma de aperto – que pode irradiar para o pescoço, o estômago, nuca, mandíbula e para o braço esquerdo;
  • Desmaio;
  • Possíveis episódios de suor frio;
  • Cansaço;
  • Falta de ar;
  • Enjoo e vômitos.