Causas da arritmia cardíaca: entenda quais são e o que fazer

24 de junho de 2019

|

POR Gabriele Amorim

Muitos pacientes têm dúvidas sobre quais as causas da arritmia cardíaca e como essa condição se desenvolve. O fato é que a doença grave afeta 5% da população brasileira e provoca 250 mil óbitos por ano no País, uma média de uma morte súbita a cada 2 minutos.

Para prevenir, evitar e tratar, entretanto, é preciso conhecer as causas da arritmia cardíaca, os sintomas e impactos na vida dos pacientes. Saiba mais sobre o tema a seguir:

O que é arritmia cardíaca?

Antes de compreender as causas da arritmia cardíaca é necessário entender do que se trata a doença. Ela é caracterizada por um padrão irregular de batimentos cardíacos, podendo ser com batimentos mais rápidos (taquicardia), mais lentos (bradicardia) ou sem ritmo (descompasso).

Essas alterações nos batimentos são provocadas por irregularidades nas correntes elétricas do sistema cardíaco. Apesar de a condição ser preocupante, ela pode ser caracterizada tanto como benigna quanto como maligna.

O primeiro caso ocorre quando a disfunção não afeta o funcionamento do coração, não apresentando risco de vida. Essas ocorrências representam 30% do total. Já as arritmias consideradas malignas são aquelas que impactam negativamente a vida dos pacientes, apresentando risco de óbito, além de sintomas incômodos, como:

  • Palpitação cardíaca e aceleração do fluxo sanguíneo
  • Tonturas ou desmaios
  • Sensação de fraqueza e cansaço
  • Dores no peito, associadas ou não a falta de ar e mal-estar

Caso esses sintomas sejam identificados é imprescindível consultar o cardiologista para verificar se a doença está mesmo presente e quais as causas da arritmia cardíaca.

Quais são as causas da arritmia cardíaca?

Um dos desafios do diagnóstico de arritmia cardíaca consiste em identificar quais as causas da doença, pois, apenas assim o tratamento indicado pode fazer efeito na motivação da patologia, permitindo tratá-la corretamente. Algumas condições de saúde estão entre as causas da arritmia cardíaca, como:

  • Hipertensão
  • Artérias bloqueadas
  • Insuficiência cardíaca
  • Diabetes
  • Hipertireoidismo ou hipotireoidismo
  • Doença da artéria coronária
  • Ataque cardíaco prévio
  • Ter se submetido a cirurgia cardíaca

Quando essas condições estiverem presentes, a investigação da arritmia cardíaca torna-se ainda mais importante, pois, como fatores de risco elas elevam as chances de problemas graves, incluindo o óbito. A condição, no entanto, também pode estar relacionada a hábitos de saúde prejudiciais, como:

  • Estresse
  • Excesso de prática esportiva sem acompanhamento correto
  • Tabagismo
  • Alcoolismo
  • Uso de drogas
  • Consumo exagerado de cafeína
  • Uso recorrente de alguns medicamentos

Portanto, as causas da arritmia cardíaca são várias, exigindo cuidado e acompanhamento médico especializado.

Quais os prejuízos ao paciente?

O paciente com arritmia cardíaca que não é submetido ao tratamento correto da condição pode apresentar uma série de ocorrências médicas danosas, como:

  • Dor e desconforto no peito, podendo ter ainda falta de ar
  • Desmaios, tonturas e fraqueza
  • Batimentos cardíacos sem ritmo
  • Suor excessivo

A gravidade da condição e, consequentemente, os prejuízos à saúde do paciente, depende do diagnóstico realizado, considerando desde doenças ou hábitos associados até se a condição é maligna ou não.

Como é realizado o diagnóstico?

Para o diagnóstico da doença é preciso identificar também as causas da arritmia cardíaca. Para tal, o cardiologista pode indicar uma série de exames, além de conhecer a história clínica do paciente. Entre os exames estão:

A partir da confirmação do diagnóstico e da identificação das causas da arritmia cardíaca, considerando possíveis doenças conjuntas, o cardiologista indicará o tratamento mais adequado à condição.

Quais os possíveis tratamentos da doença?

Existem diversos tratamentos para arritmia cardíaca dependendo do tipo de arritmia identificada, bem como das causas e gravidade da condição. Em geral, as recomendações incluem:

  • Controle através de medicamento
  • Uso de marcapasso
  • Cirurgia de ablação
  • Mudanças nos hábitos de vida

Uma curiosidade é se a arritmia cardíaca tem cura e de fato ela tem quando o diagnóstico é precoce e as causas são identificadas.

Portanto, para dar início a qualquer tratamento da doença é preciso identificar as causas da arritmia cardíaca, realizando o diagnóstico correto para, em seguida, conhecer a conduta mais apropriada de acordo com o cardiologista responsável.

Fonte

Cardiologista Henrique Grinberg. CRM 120100.